Uma vez confirmada edição da gravação, Janot e Fachin impichados | Fábio Campana

Uma vez confirmada edição da gravação, Janot e Fachin impichados

por Reinaldo Azevedo

Se estiverem certos os peritos que asseveram à Folha que o áudio que registra a conversa entre Joesley Batista e Michel Temer sofreu mais de 50 cortes, estamos falando de dois crimes. Nesse caso, o sr. procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tem de ser alvo de um processo de impeachment no Senado. E aproveito para pedir também o de Edson Fachin, ministro do Supremo. Sim, explicarei as duas coisas. Até porque há uma diferença entre mim e “eles”: nunca me descuido da lei.

Fachin declarou que a gravação de Joesley é legal porque, afinal, seu conteúdo foi “ratificado e elucidado” em depoimento. É mesmo? Belo conceito de direito, que legitima a tortura caso se confirme, depois, que a realidade é compatível com a confissão do seviciado. O sol nas bancas de revista enchia Caetano de alegria e preguiça. Fachin só me enche de preguiça.

Insisto: um ministro do Supremo aceitou em juízo um elemento que ele sabe fatalmente ilegal: ou é ilegal porque gravações clandestinas não são aceitas em juízo (a não ser em circunstâncias que não estão dadas) ou é ilegal porque parte de um flagrante forjado.

Aí, algum recalcitrante do MST, amigo de Fachin, poderia dizer: “Ah, mas ele não decidiu com base na gravação, só na delação…”.

É mesmo? Então decidiu que o presidente tem de ser investigado por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça apenas em decorrência de depoimentos que listaram a bagatela de 1.890 políticos? E, pior, o faz asseverando a legalidade de um material que, sem edição, já seria ilegal?

E Janot?

Bem, dizer o quê? A fita foi editada pela Procuradoria-Geral da República ou já chegou cheia de cortes às mãos do Ministério Público Federal?

É aceitável que o chefe do Ministério Público Federal peça a investigação de um presidente sem nem se ocupar em saber se existe ou não fraude no material que a justifica?

“Ah, mas o pedido foi feito com base em depoimentos também…” É? Porque será que Temer merece tanta celeridade quando se compara o caso com o de outros famosos? Com tal rapidez, a Lava Jato estaria bem mais adiantada.

Crimes
Caso se confirme a adulteração, estamos diante de dois crimes — e aí será preciso saber quem os cometeu: a. Falsidade material, prevista nos Artigos 297 e 298 do Código Penal:

Art. 297 – Falsificar, no todo ou em parte, documento público, ou alterar documento público verdadeiro:

Pena – reclusão, de dois a seis anos, e multa.

Artigo 298 – Falsificar, no todo ou em parte, documento particular ou alterar documento particular verdadeiro:

Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa.

b. obstrução da Justiça: eis aí! Esta, sim, é verdadeira caso se confirme a edição do material. Afinal, a coisa foi alterada. Quem o fez pretendia o quê? A resposta é óbvia: derrubar o presidente.

Já seria grave se o presidente tivesse sido alvo só de “entrapment”, de uma cilada armada, de um flagrante forjado? Mas, e isto é espantoso, tudo indica que se trata de algo ainda mais grave.

Afirmei nesta quinta que seria necessário investigar a investigação. Confirmados os cortes, é a hora de um duplo impeachment no Senado: de Janot e de Fachin. As consequências de seus respectivos atos, ignorando o devido processo legal, são muito graves.


16 comentários

  1. Palpiteiro
    sábado, 20 de maio de 2017 – 10:55 hs

    Nesta república bananeira todos são safados. Todos.

  2. Daniel Fernandes
    sábado, 20 de maio de 2017 – 11:25 hs

    A consequência, caso esta suspeita de edição,vai ser que as investigações serão paradas depois do Fachin e do Janot saírem. Simples assim!
    Começo a achar que foi uma coisa armada para derrubar os dois, e
    dar um jeito de parar todas as investigações.
    Ou seja, eu acho que foi algum grupo político (ou todos,pois quase todos têm interesse em que cessem as investigações) que armou essa palhaçada de consequências colossais.
    Estarei sendo muito conspiracionista?

  3. Edson Luiz
    sábado, 20 de maio de 2017 – 12:05 hs

    Meu Deus, calma sr. Reinaldo Azevedo, tome seu remedinho e respire um pouco. Até porque tudo indica que ano que vem quem vencerá a eleição será alguém participe do golpe de 2016. Não precisa de tanto alvoroço, o povo continuará dócil e imbecil como sempre, sem alterações.

  4. Paolo
    sábado, 20 de maio de 2017 – 12:16 hs

    Alto lá, escriba!!! Não foram Fachin e Janot que cometeram o suposto crime de adulteração!! Foi o corruptor!!!
    O erro de Janot e Fachin foi dar CREDIBILIDADE às gravações apresentadas pelo corruptor, SEM ANTES REALIZAR RIGOROSA PERÍCIA NO MATERIAL!!! Só depois dessa perícia, poderiam ter dado publicidade à coisa toda!!!

  5. Paolo
    sábado, 20 de maio de 2017 – 12:19 hs

    Pessoalmente, na condição de advogado, sempre imaginei que o Presidente da República não poderia ser grampeado SEM PRÉVIA ORDEM DO STF, ainda mais por um bandido!!! Mas, enfim, parece que estou meio enferrujado nessa área do direito!!!

  6. CURITIBANO ROXO
    sábado, 20 de maio de 2017 – 12:33 hs

    Editada ou não Temer cometeu o ilícito de receber um investigado e a procurador e o o ministro também ficam suspeitos por deixarem o investigado livre ………..

  7. Paulo Tadeu Macedo Neves
    sábado, 20 de maio de 2017 – 12:54 hs

    Realmente se for editada a fita, deve o sanado mandar embora esse ministro Fachim.
    Ele é cria do PT, apoiou a eleição da Dilma inclusive foi fazer discurso e pedir votos abertamente para ele.
    Foi colocado no Supremo para livrar os amigos do PT.
    Faz jogo de cena para a mídia mas, na hora do pega pra capá, eler vai livrar os amigos petistas e tentar manchar a imagem dos políticos sérios desse Brasil.

  8. PAULO HENRIQUE
    sábado, 20 de maio de 2017 – 12:59 hs

    Nunca vi tanta asneira em um único artigo. O autor demonstra não ter o mínimo conhecimento jurídico do assunto que tenta comentar. Lamentável.

  9. ferreira
    sábado, 20 de maio de 2017 – 14:10 hs

    https://www.youtube.com/watch?v=DQ66zWs_beQ

  10. eleitor desmemoriado.
    sábado, 20 de maio de 2017 – 15:34 hs

    Nesta história toda só nós, o povo é que se ferra. Vamos pagar a conta até quando? Canalhas constituem ex-procuradores da República como seus conselheiros e, de brinde ganham impunidade, podem até se arrancar para a terra do Trump na boa, com os bolsos cheios de bilhões de Reais e Dólares. Até quando esta palhaçada vai perdurar?
    As tão necessárias Reformas já eram, ficam para nunca mais. e o desemprego fica como, como esta? É triste saber que os 14 milhões de desempregados vão ficar mais um bom tempo sem emprego e sem renda, como vão sobreviver não sei, quem sabe os donos da JBS saibam.

  11. Luiz Eduardo
    sábado, 20 de maio de 2017 – 18:32 hs

    É intrigante um presidente da república receber em sua casa una pessoa, seja lá quem for, neste horário e sem os registros de praxe. Algo esta muito bem escondido nesta situação. Infelizmente, a marginalidade politiqueira tomou conta do mundo e do sub mundo das instituições. A moral, a ética e os valores da cidadania foram trocados por dinheiro. É triste reconhecer que continuaremos a pagar impostos em ter o retorno que seria dever do Estado, principalmente em saúde e educação.

  12. Indignado3
    sábado, 20 de maio de 2017 – 19:43 hs

    É impressionante como a justiça, QUE SEM VER A FUNDO, as gravações, de um BANDIDO que até ontem DEITOU E ROLOU COM
    OS EMPRÉSTIMOS do BNDS, que os quadrilheiros PETISTAS, liberavam, sem critério, causando enorme prejuizo ao PAIS, de imediato deram crédito, e homologaram a DELAÇÃO PREMIADA.
    Acreditaram na ARMAÇÃO DE UM CANALHA, que esta rindo dos
    Brasileiros, lá nos EUA. .E a parceria com o PT, em troca de PROPINA com LULA SEUS FILHOS, e a maioria de seus filiados,
    para o JANOT e o FACHIN é NORMAL?

  13. VISIONÁRIO
    domingo, 21 de maio de 2017 – 5:08 hs

    De um lado a justiça e do outro o povão. Um tem a faca e o outro
    o título de eleitor mas para quem não sabe usar dá no que deu. De
    toda esta bagunça que vai dar pano pra manga ainda, o Temer pre-
    cisa ser deposto imediatamente por um só ato:- O Presidente da
    República receber um empresário a sós e sem protocolo oficial e altas horas da noite. Nem para jogar truco…
    Temer, desta vez se fo_eu !!!

  14. Sergio Silvestre
    domingo, 21 de maio de 2017 – 12:49 hs

    HAHAHA,ESSES COMENTÁRIOS DOS MIQUINHOS DO CAMPANA ME DIVERTEM,ESSE AZEVEDO DEVE ESTAR COM UMA RAIVA,

  15. Luiz Antonio
    domingo, 21 de maio de 2017 – 17:17 hs

    Editada ou não, um Presidente da República receber um investigado ?
    e ainda por cima na própria residencia? No mínimo, estranho, muito estranho ….

  16. Daniel Fernandes
    domingo, 21 de maio de 2017 – 17:27 hs

    Claro que é estranha a tal visita.
    Mas falsificar a gravação?
    Não sou a favor do Temer, nem do Lula, nem de ninguém.
    Mas se uma ilegalidade pode ter sido cometida contra alguém, mesmo que seja contra alguém que eu abomine (é o meu caso com o Temer), a gente não pode apoiar a ilegalidade apenas por ser feita contra um desafeto nosso.
    A gravação, se foi mesmo editada, está simplesmente invalidada. E o PGR aceitar uma prova inválida, dá margem a que muita coisa aconteça. Acho que o primeiro sinal foi esta diminuição da verba da PF e do número de delegados atuando na Lava-Jato…
    A gravação não tinha como alvo o Temer. Começo a achar que os alvos eram o Fachin, o Janot e a Lava-Jato.
    E vamos dar o braço a torcer. Se estes três eram os alvos, foi uma trama muito inteligente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*