Tiro no pé | Fábio Campana

Tiro no pé

O vereador Helio Wirbiski (PPS) quer obrigar empresas que trazem turistas para Curitiba a contratar guia local. Em vez de se concentrar em pensar em coisas que, de fato, podem atrair visitantes para a cidade, ele resolve o caso com penalidades, justificando tratar-se de um “atendimento de excelência”.


15 comentários

  1. JÁ ERA...
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 8:26 hs

    Cada dia lemos uma notícia mais doida que outra dos políticos.
    Ora, vereador, se queres obrigar a utilização maior dos guias locais
    comece dando maiores treinamentos para eles. Hoje só sobrevive
    aqueles que são melhores.

  2. Paulo Tadeu Macedo Neves
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 8:54 hs

    Esse projeto de vereador, na realidade é um pau mandado do seu dono o dep. Rubens Bueno, deve ter montado uma empresa de turismo e agora está tentando criar um cartório de exclusividade para ele e sua turma.

  3. Luci Jacomel kowalczuk
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 13:31 hs

    Caro sr. Fabio Campana

    Seria interessante que se informasse melhor a respeito do Projeto de Lei (obrigatoriedade do Guia de Turismo… )
    proposto pelo vereador Hélio Wirbiski e defendido pelas categorias representativas, ABGTUR e SINDEGTUR, antes de emitir opinião a respeito.
    Grata pela atenção.
    Luci Jacomel Kowalczuk
    Presidente da ABGTUR

  4. Luci Jacomel kowalczuk
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 13:31 hs

    Caro sr. Fabio Campana

    Seria interessante que se informasse melhor a respeito do Projeto de Lei (obrigatoriedade do Guia de Turismo… )
    proposto pelo vereador Hélio Wirbiski e defendido pelas categorias representativas, ABGTUR e SINDEGTUR, antes de emitir opinião a respeito.
    Grata pela atenção.
    Luci Jacomel Kowalczuk
    Presidente da ABGTUR

  5. Doria2018
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 13:41 hs

    Parabéns pelo projeto Vereador!
    Não entendi a colocação do nobre jornalista!!! Pode ser mais claro??
    Entendi que o projeto busca atender nossos turistas com excelência.

  6. Patricia
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 14:13 hs

    O projeto vai fortalecer o turismo da nossa cidade. Além de valorizar a cultura e os profissionais daqui. Sou a favor, com certeza!

  7. Julia
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 14:19 hs

    Sou a favor, pois o projeto visa valorizar e instruir os turistas sobre a cidade de uma forma mais profissional, garantindo assim, mais segurança para os turistas que vierem nos visitar. O turista deve saber o que está visitando e é através desse profissional que ele (o turista) vai conhecer melhor a nossa cidade. Isso é cultura.

  8. Milton C Z Gonçalves
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 14:48 hs

    Acredito que o senhor nunca utilizou do serviço de guias e nem viajou para outros lugares para entender minimamente a complexidade do Turismo. Isso é fundamental para qualificação e gestão do sistema. Quando o senhor for atendido por um guia que nunca pisou em Curitiba e inventa qualquer coisa sem entender os fotas históricos, como o porque da existência do Parque barigui ou do Passeio Publico como solução urbana ao invés de um piscinão de Ramos, dai o sr vai dar valor ao seu investimento numa viajem turística… Verás que nos paises que vivem de turismo isso é uma pratica obrigatória!!!
    Procure se informar mais antes postar qualquer coisa apenas para dizer que esta trabalhando.

  9. Waldemar
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 15:48 hs

    O projeto é viável, pois garante que os turistas tenham um serviço de qualidade, conhecendo a real cultura e características da cidade.

  10. que preguiça
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 16:51 hs

    vocês que tão defendendo vereador, são bobos? recebem? embora não tenha entendido nada que o jornalista falou tbm. Mas o Estado querer obrigar alguém a fazer qualquer coisa é palhaçada. Acordem. Avante Brasil, volta Lula, não foi por 20 centavos! O gigante adormeceu.

  11. Priscilla
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 17:01 hs

    Obrigar agências a contratar guias turísticos locais? Isso não existe em nenhum lugar do mundo. Não existe a obrigatoriedade. Ao contrário, nas cidades turísticas como Paris, Roma, Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu e qualquer circuito nacional ou internacional, o que existe é a oferta do serviço capacitado. Pega/paga quem quer.

  12. IVETE FAGUNDES
    quarta-feira, 17 de maio de 2017 – 10:20 hs

    Caro jornalista.
    Antes de divulgar besteira, conheça as leis que regem o profissional guia de Turismo,UNICA profissao regulamentada no Turismo brasileiro.
    Antes de divulgar qualquer materia sobre Guia de Turismo registrado no Ministerio do Turismo CADASTUR, leia as Leis que regem o profissional:
    a) Lei de Contravenções Penais – Decreto-Lei nº3.688 de 03 de outubro de 1941 – Artigo 47 da Exercício ilegal da profissão. http://www.oas.org/juridico/mla/pt/bra/pt_bra-int-text-cp.pdf
    b) Lei Federal Nº 8.623, de 28 janeiro de 1993 – http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8623.htm
    c) Decreto nº 946, de 01 de outubro de 1993 – http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D0946.htm
    d) Lei Estadual Paraná – 16623 de 22 novembro de 2010 – http://www.alep.pr.gov.br/web/baixarArquivo.php?id=28149&tipo=LM&tplei=0
    e) Oficio nº 166/2012 Pr Departamento da Policia Civil – DPI – abaixo;
    f) Além de muitas outras.
    Estao disponiveis no site do Ministerio do Turismo e no site da ABGTUR http://www.abgtur.tur.br.
    Sabe o que significa ABGTUR? Associação Brasileira dos Guias de Turismo, fundada em Curitiba – Pr.
    Com esta Lei na Camra de Curitiba, queremos dar um basta a ILEGALIDADE que acontece no Municipio de Curitiba. Exemplo: Temos pessoas ilegais no Jardim botanico esperando os onibus de Turismo e se apresentando como Guia de Turismo. Pessoas sem credencial, bebadas lesando o turista.
    Só peço atrapalhe o nosso direito e a qualidade de atendimento ao turista. O Guia de Turismocredenciado e qualificado é a continuidade do trabalho da operadora e agencia de viagem. Senhor Jornalista queremos direito de resposta no jornal que V.Sa representa.

  13. Parece Piada
    quarta-feira, 17 de maio de 2017 – 11:12 hs

    só rindo mesmo….. beneficiarios do projeto se mobilizando pra floodar os comentarios do blog….. poderiam pelo menos dar uma disfarçada pra nao ficar tao na cara

  14. Nancy Pinheiro Lima de Abreu
    quinta-feira, 18 de maio de 2017 – 12:49 hs

    Caro Sr. Fábio Campana
    É lamentável nos depararmos com uma crítica a um pleito justo e necessário sobre o direito ao exercício pleno da profissão. Uma lei sobre a qual nos debruçamos por mais de um ano, cumprindo todo o protocolo exigido pelos trâmites burocráticos: assessoria jurídica, consulta a leis similares, consulta aos guias de turismo, apreciação da proposta com o Sindicato das Agências de Turismo, Audiência Pública, revisão de forma e conteúdo. Não só participamos da elaboração como somos gratos ao Vereador Helio Wirbiski por acolher nossa causa.
    A profissão de Guia de Turismo foi reconhecida e regulamentada pela Lei Federal nº 8.623, de 28 de janeiro de 1993
    A formação profissional é obtida através de Curso Técnico Pós Médio com um ano e meio de duração. Em sua grade curricular estão conhecimentos sobre História, Geografia, Manifestações Folclóricas, Arte, Arquitetura, Segurança e Higiene no Trabalho, Comunicação, Técnicas de Animação, Relações Interpessoais, Primeiros Socorros, Ética, Etiqueta, Legislação, Prática Profissional, Legislação. Ainda muitos alunos e profissionais realizam cursos de atualização e de idiomas.
    É direito do turista que adquire um pacote turístico contar com o acompanhamento e orientação de um guia local ou regional, qualificado e credenciado através do CADASTUR do Ministério do Turismo, em todos os destinos turísticos.
    Permitir que leigos exerçam seu papel e que motoristas desacompanhados circulem ao bel prazer é prestar um desserviço ao visitante e um risco à rotina e logística do trânsito na cidade.
    A ABGTUR e o SINDEGTUR vêm realizando há mais de dois anos um Programa de Melhoria Contínua com Visitas Técnicas a Museus, Estabelecimentos e Eventos Culturais, Templos e Igrejas de diferentes denominações religiosas, espaços gastronômicos e de lazer.
    Todo este empenho é no sentido de proporcionar serviços de qualidade a nossos visitantes e estimular sua fidelização pela satisfação.
    Assim, caro jornalista, estamos exatamente evitando o “tiro no pé”, assegurando e oferecendo serviços com profissionalismo, tal como outros destinos turísticos já o fazem, dentre os quais Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu, Campo Grande, São Luiz, Florianópolis, Balneário Camburiú…
    Estamos à sua disposição para um encontro com guias de turismo e seus órgãos de representação para quaisquer esclarecimentos.
    Cordialmente
    Nancy Pinheiro Lima de Abreu
    Guia de Turismo Regional PR e Guia de Excursões Nacional e América do Sul
    Vice Presidente da ABGTUR Associação Brasileira dos Guias de Turismo

  15. Nancy Pinheiro Lima de Abreu
    quinta-feira, 18 de maio de 2017 – 13:47 hs

    Gostaria de aproveitar e responder aos “anônimos” “Já era”, “Que preguiça” e Parece piada”, bem como à Priscilla sobre o teor da lei proposta. Não se refere ao turista individual ou grupo familiar. Estamos numa democracia (espero) e ninguém pode ser obrigado a adquirir ou contratar nada sem que deseje.
    A questão diz respeito ao Código de Defesa do Consumidor. Ou seja, um grupo que comprou um pacote turístico tem direito a um Guia Regional, inscrito no CADASTUR para acompanhá-lo, informá-lo e orientá-lo durante o Tour no destino turístico. A proposta de lei refere-se, também, ao combate ao Exercício Ilegal da Profissão (que é contravenção penal) por pessoas desqualificadas, que abordam turistas e ônibus que chegam aos atrativos turísticos.
    Quanto ao Sr. Paulo Tadeu Macedo Neves (Parabéns por ter se identificado.), tenho a informar que esta proposta de lei foi provocada pela própria categoria profissional, e vai coibir, inclusive, a ação irregular de agências e transportadoras que atuam sem cumprir o que já está previsto na Lei Federal 8623 de 1993.
    Cordialmente
    Nancy Pinheiro Lima de Abreu
    Guia de Turismo

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*