Sem eleições diretas, Lula reza para Temer permanecer no governo | Fábio Campana

Sem eleições diretas,
Lula reza para Temer permanecer no governo

Radar On-Line, VEJA

O PT não tem plano B: gritará até o último minuto em favor da renúncia de Michel Temer e da realização de eleições diretas.

A depender da pressão, o presidente pode até entregar o boné, mas é mais fácil uma vaca voar do que o Congresso permitir que o povo escolha seu substituto. E o PT sabe disso.

Nas conversas com correligionários, Lula vem afirmando que, diante desse cenário, não há nada melhor para ele e seu partido do que Temer permanecer no Palácio do Planalto, sangrando até 31 de dezembro de 2018.

Lula não admitirá seu desejo publicamente nem sob tortura, por isso a ordem é para que os petistas massacrem a tecla das diretas.


7 comentários

  1. quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 9:38 hs

    é oque deveriam ter feito com dilma, no final do seu governo o p.t. estaria mais arrasado do hoje.

  2. Tisa Kastrup
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 9:55 hs

    São todos nojentos. Quem sangra é nossa economia!

  3. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 10:03 hs

    Alguém leu o depoimento da Claudia Suassuna,mulher do Jonas, que é sócio do Fernando Bittar?
    Leiam, por favor!
    Em certos momentos ela fala sobre a ligação deles com a Fundação Roberto Marinho.
    Eu achei estranho.

  4. BETO
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 10:07 hs

    Pilantra, porco, vagabundo, ladrão, verme, lixo, bêbado, larápio, jaguara, escroto, vigarista, comunista, Fascista, picareta, cara de pau, idiota, imbecil, ignorante, inconsequente, palhaço, arrogante, desonesto, analfabeto etc…. etc….etc…..

  5. Daniel Fernandes
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 10:11 hs

    Desculpe-me, Fabio. Se você não quiser aprovar este comentário, tudo bem. Mas acho que as pessoas têm de saber. Ninguém está falando sobre isso. E digamos que as coisas relatadas pela Claudia Suassuna são estranhas.
    Leiam, por favor, e vejam se não é interessante:

    Procurador: A senhora trabalha com o que?
    Claudia: Eu, de 2009 pra 2010, até final do ano passado, eu fui a principal implementadora da
    Fundação Roberto Marinho para os projetos de telecurso, implementação de projetos, né?
    Telecurso, Tecendo o Saber, qualificação profissional e etc. Eu tinha duas funções na Fundação
    Roberto Marinho: uma que era de implementadora, então eu tinha que ter uma equipe de
    formadores pra correr o Brasil inteiro e, outra, como vendedora de franquia, como responsável pela
    franquia. O que que seria isso. A Fundação só conseguia vender os produtos para governos, não
    tinha estrutura para vender seus produtos pra prefeituras, então, foi me dado.

    Procurador: Só um instante, por favor.
    Claudia: Foi me dado esta franquia pra que eu pudesse prospectar prefeituras. Isso durou até ano
    passado, quando eu tive um problema sério cardíaco…..
    ……
    Anterior isso, anterior à Fundação Roberto Marinho, eu por quinze anos
    fui dona, fui a rainha do fitness no Brasil porque eu inaugurei uma nova maneira de se fazer……….
    Procurador: Excelente. Eu vou tentar, agora só recobrar alguns detalhes pra que a gente entenda
    um pouco melhor. A senhora disse que fez essa implementação do Telecurso e a senhora
    mencionou um instituto.
    Claudia: sim, eu era presidente do Instituto Educação.
    ………
    Claudia: Sim, é, Fernando Bittar, esse, inclusive, no Instituto, com a interveniência e autorização da
    Fundação, ele prospec…, nós tínhamos, é, nós tínhamos que trabalhar o sul e o sudeste. E na parte
    de São Paulo, quem prospectava o Instituto com interveniência, com ciência, levando os prefeitos
    pra dentro da Fundação Roberto Marinho para vender projeto pra prefeitura foi o Fernando Bittar,
    que era comissionado pelo Instituto para poder fazer essa prospecção, esse abre portas na
    prefeitura que não é uma coisa fácil na secretaria de educação. E eu, por ele, vendi e implementei
    três projetos aqui em São Paulo, aqui não, lá em São Paulo, que foi Hortolândia, esse, inclusive,
    esse prefeito almoçou com agente na Fundação Roberto Marinho com seu Nelson Savioli, na
    época com seu Ricardo “Piquet”, que era o diretor de franquia e com a senhora Vilma Guimarães
    que é a responsável pela educação. Eh, Jaguariúna e Pedreira. Pedreira foi um negócio
    pequenininho que não tinha verba, Jaguariúna não quis renovar e Hortolândia, se eu não me
    engano, ela renovou porque em Hortolândia era uma coisa tão próxima da Fundação que eu
    viajava sempre com alguém da Fundação, sempre com a senhora Aparecida.
    …………..
    Procurador: A senhora fala Fábio filho do ex-presidente?
    Claudia: Sim, eu não tinha o contato com a vida profissional deles, nenhum, porque eu tinha outra,
    eu trabalhava o dia inteiro pra Fundação Roberto Marinho.
    ………
    Claudia: Jonas é um mega empresário, foi um empresário a vida inteira, tem um grupo bom, éh, o
    forte do Jonas hoje em dia é informática. O Jonas tem uma editora há vinte anos que produz os
    livros da Fundação Roberto Marinho.
    ……….
    Claudia: Livros da Fundação Roberto Marinho.
    Procurador: Que tipos de livros seriam esses?
    Claudia: Telecurso e Tecendo o Saber e Qualificação Profissional. Hoje em dia…
    Procurador: Telecurso…
    Claudia: Tecendo o Saber é da primeira à quinta série. Da quinta à oitava série e Qualificação
    Profissional. Esse é um, hoje em dia reconhecido pelo MEC, éh, você implementa isso dentro das
    escolas públicas, isso é da minha parte de instrutores, tá? Ele vende o livro, eu implementava a
    metologia. Éh, é pra evasão, é pra reforço, é pra correção. Isso é o problema do nosso país em
    educação, é a defasagem. Então esse produto serve exatamente pra isso.
    ……
    Procurador: Perfeito. A senhora tem conhecimento da empresa “Cosquim”?
    Claudia: Sim. Do Fernando.
    Procurador: E o que essa empresa faz?
    Claudia: Essa empresa era exatamente a empresa que eu emitia a nota pela prospecção das
    prefeituras que ele fazia aqui, em São Paulo.
    Procurador: Era relacionado com o que?
    Claudia: Ele abria, para implementar os projetos da Fundação Roberto Marinho. O que que são os
    projetos da Fundação Roberto Marinho? São implementações, dentro das escolas municipais,
    municipais, porque estaduais eu não podia, a minha ordem era prospectar prefeituras, então eu
    prospectava e a gente implementava dentro das escolas municipais a metodologia telecurso, este é
    o trabalho. Que faz a criança em quatro anos chegar na série escolar em um ano e meio,
    aceleração escolar
    Procurador: Certo. Então vamo…
    Claudia: E quando ele abria a porta pra mim da prefeitura, eu chegava eu, meu diretor pedagógico
    porque eu não sou pedagoga, eu sou gestora e Bittar e, ia sempre obrigatoriamente, alguém daFundação Roberto Marinho, que nesse caso quem ia com a gente era o senhor Marcelo Mendes,
    que era uma pessoa responsável na Fundação Roberto Marinho.

    Procurador: Então, vamos, só pra que a gente entenda bem esse processo, a Fundação Roberto
    Marinho contratava a editora Gol, é isso?
    Claudia: Não. Eu, você tá falando do instituto? A fund., o instituto era o único, não era o único, eu
    seria muito prepotente em falar isso, mas era o maior implementador da Fundação Roberto
    Marinho a nível nacional, porque? Porque eu não fiquei com três formadores, eu fui pra sessenta
    formadores e, de repente, todos os formadores da metologia, o que são formadores? Aqueles que
    formam os professores que estão lá na escola municipal, então, nós fazíamos inserções de uma
    semana inteira com esse pessoal, formava dentro da metologia que é muito interessante, as
    cadeiras não são assim, são em U. Telecurso é totalmente diferente, é atrativo e a cada vez que nós
    fazíamos isso, nós implementávamos isso. Agora quem era responsável, tinha um contrato, era o
    Instituto Educação.
    Procurador: O Instituto tinha o contrato.
    …….
    Procurador: Então ele tinha uma relação comercial com a “Cosquim”…
    Claudia: Tinha relação comercial com o Instituto, não a “Cosquim” era dele. Ele tinha uma relação
    comercial com o Instituto e tinha uma relação muito próxima dentro da Fundação Roberto
    Marinho, ele entrava, ele discutia com os diretores da área, ele já até prospectou sem o Instituto,
    pra você ter noção, ele até prospectou já sem o Instituto, direto com a Fundação Roberto Marinho
    ………..
    Procurador: Foi a partir de que ano essa prospecção efetuada pela “Cosquim”?
    Claudia: Ah, foi 2010, 2011, depois começou ficar tão difícil vender Fundação Roberto Marinho que
    a gente começou a dar uma relaxada.

  6. Do Interior...
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 12:42 hs

    Para o PT pouco importa o Brasil. Sempre agiram assim, desde a CF/88. Nunca pensaram no povo, só no poder. Quanto pior melhor para voltar ao poder.

  7. BETO
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 14:08 hs

    Já que não tem CADEIA pra esse VAGABUNDO a solução é paredão e fuzil.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*