Rocha Loures, breve biografia | Fábio Campana

Rocha Loures, breve biografia

Não é só Temer que anda preocupado com uma possível delação de Rodrigo Rocha Loures.
Ele chegou à política em 2002 pelas mãos de Roberto Requião então candidato a governador. Foi competente durante a campanha e Requião o convidou para ser seu Chefe de Gabinete, função que exerceu de até 2004, depois passou a diretor do Instituto Paraná Desenvolvimento. Em 2005 era o novo filiado do PMDB e o padrinho-governador apoiou-o para deputado federal. Venceu.

Em Brasília, aproximou-se de Temer, que entre outras manobras, o indicou como candidato a vice-governador na chapa de Osmar Dias (Requião queria Caíto Quintana).
Osmar Dias perdeu as eleições, Temer e Rocha Loures ficaram mais próximos.
Em 2010 Rocha Loures não tentou reeleição para Câmara, mas conseguiu cargo de prestígio ao lado de Temer, em escalada de predileção, proximidade e confiança na vice-presidência e presidência.
Em 2017 se tornou deputado porque era suplente de Osmar Serraglio, que virou Ministro da da Justiça e Segurança Pública. Antes disso, como se sabe, era Assessor Especial do Gabinete Pessoal da Presidência. O Portal da Transparência acusou seu último recebimento de salário no valor de R$ 4.067, além de R$ 6.914 em verbas indenizatórias.
Chegamos ao tempo recente.
A acusação ao deputado afastado é de ter recebido propina de R$ 500 mil para para viabilizar nomeações e operações de interesse da empresa. Seria, segundo denúncias, o interlocutor entre Temer e a JBS e a propina era o estrondoso valor de R$ 500 mil por semana.
Sobre o caso, Rocha Loures diz que “está à disposição das autoridades para prestar os devidos esclarecimentos”.
Roberto Requião, se esquiva do assunto.
Temer falou da boa índole do ex-assessor, de possível deslumbramento pelo valor da propina e que não tem nada com isso.
A política local, massacra Rocha Loures com comentários indignados e que extravasam um misto de ressentimento pelo o “escolhido” de nomes tão poderosos e a bomba que será se ele resolver falar.


Um comentário

  1. sexta-feira, 26 de maio de 2017 – 17:46 hs

    Estamos pensando que eles os políticos estão preocupado com o Brasil,correndo na rua com malas de dinheiros ,e gente morrendo por falta de medicamentos e outras coisas mais neste país tão rico e de político tão desumanos

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*