Radicalização é ruim para Temer e para Diretas-já | Fábio Campana

Radicalização é ruim para Temer e para Diretas-já

Todo governo em crise terminal tem no fator “ruas” seu maior temor. Que o digam Fernando Collor e Dilma Rousseff. Assim, a radicalização dos protestos nesta quarta (24) é um daqueles signos de mau agouro que acompanham todo processo degenerativo de governabilidade. Informações da Folha de SP.

Michel Temer (PMDB) fez o que pôde: chamou os militares para ajudar a evitar depredações mais intensas do patrimônio público. Mas o sinal que fica é péssimo, o de um governo acuado em tribunais, no Congresso e, ao menos simbolicamente, no seu quintal (a Esplanada dos Ministérios).

Paradoxalmente, o mesmo movimento é péssimo para quem foi à rua com a bandeira do “Diretas-já” acoplada à do “Fora, Temer”. As cenas vistas em Brasília não lembram as concentrações que pediam a cabeça de outros presidentes, e sim lembravam a baderna generalizada que marcou o declínio do movimento de rua de 2013.

Naquele momento, a violência era patrocinada pelos aderentes de técnicas “black bloc”. Agora, ela veste as camisetas vermelhas de sindicatos associados largamente ao PT de Luiz Inácio Lula da Silva.

Poucos no próprio PT consideram que a defesa das diretas tem alguma chance de ultrapassar o campo da retórica política. Mas se houver uma associação entre o movimento e atos de vandalismo, como os atos desta quarta sugerem, o caminho para o enterro político da ideia está dado.

Perdem, pois, o movimento das diretas e Temer. Com um risco adicional para os envolvidos de todos os partidos: o discurso populista de cunho mais extremado à direita, de garantia de lei e ordem, poderá ganhar mais corpo, em um momento de enorme vácuo de lideranças políticas no país.


5 comentários

  1. Medrosinho
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 21:28 hs

    Temos que AGRADECER A JOESLEY, JANOT E FACHIN, por terem mostrado ao Brasil os VERDADEIROS CHEFES, Andréia e Aécio Neves, do mega esquema no BNDES, que nos últimos 15 anos deu um prejuízo estimado em 1,2 TRILHÃO DE REAIS aos cofres públicos, pois sem esses três heróis, jamais saberíamos da VERDADE!!!!

  2. Medrosinho
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 22:03 hs

    Agora os deputados e senadores querem fazer uma CPI para investigar o rombo de 1,2 trilhão no BNDES!!! Para quê uma CPI? Os CHEFES DO ESQUEMA NO BNDES já foram identificandos!! São os irmãos Aécio e Andréia Neves!! Os outros que trabalhavam no BNDES, pessoas ligadas a Lula e ao PT, são inocentes, pois só OBEDECIAM ORDENS de Andréia e Aécio, que, graças a Deus, já foram IDENTIFICADOS, ela presa pelo nosso Fachin, e ele afastado de suas funções no Senado!!! Não precisa de CPI nenhuma, pois já está TUDO ESCLARECIDO, graças à PERSPICÁCIA DE JANOT, FACHIN E JOESLEY!!!

  3. SR. EUDES
    quarta-feira, 24 de maio de 2017 – 23:46 hs

    ESTÁ LEMBRADO ? : ” – os nomes do envolvidos estão sendo mantidos em sigilo para não prejudicar as investigações” ?. ESTÁ LEMBRADO ? : “O Engavetador Geral da República” ? ou “Nos tempos do engavetador-geral: Refrescando Henrique Cardoso” ?.Pois bem, a partir da primeira gestão Lula, as gavetas e portas foram abertas e até fomos tomados de surpresa com a presença da Exma. Sra. Dra. Eliana Calmon, verdadeira pioneira que nos revelou os “bastidores” dos ilícitos acobertados pelas togas…!!.

  4. Do Interior...
    quinta-feira, 25 de maio de 2017 – 0:43 hs

    Fachin, defensor fo mst e, portanto, do pt que a bomba fo bndes iria estourar e no colo de pt. Este sabendo disso, fizeram essa manobra para encobrir os verdadeiros bandidos do bndes: o pessoal do pt e os irmãos Wesley. Deu tudo como previsto pela turma da baderna.

  5. BETO
    quinta-feira, 25 de maio de 2017 – 9:23 hs

    DIRETAS é INCONSTITUCIONAL.

    É uma manobra macabra e diabólica pra políticos ladrões se livrarem da CADEIA (lula, temer, Cabral, Aécio) e tantos outros ladrões do dinheiro público.

    A solução é colocar esses vermes no paredão e fuzil neles.

    “EU NÃO ACREDITO MAIS NO BRASIL”.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*