Quem é o próximo da lista? | Fábio Campana

Quem é o próximo da lista?

Ricardo Teixeira está na mira de uma operação desencadeada hoje na Espanha. O ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell e sua mulher foram presos pela manhã, acusados de lavagem de dinheiro.
A investigação é sobre cobrança de comissões ilegais de direitos de imagem da seleção brasileira de futebol. Até agora, o valor está em US$ 16,8 milhões. A polícia espanhola utilizou dados obtidos pelo FBI na prisão de diversos dirigentes em maio de 2015, que prendeu, entre outros, José Maria Marin (que cumpre prisão domiciliar em Nova York).
E o que que Ricardo Teixeira tem com isso?
É uma longa, repetitiva e conhecida história…

Texto da Folha de São Paulo:

Sandro Rosell desenvolveu ao longo dos anos uma intensa ligação com o Brasil e, especialmente, com Ricardo Teixeira, que deixou o comando da CBF em 2012.

O espanhol atuou como executivo da Nike no Brasil, e na década de 1990 operou inúmeras negociações com o cartola, como a assinatura do contrato para fornecimento de material para a seleção nacional.

No início da década, Rosell foi acusado por autoridades brasileiras de usar uma de suas companhias para superfaturar o amistoso entre Brasil e Portugal disputado em 2008, em Brasília.

Em série de reportagens que rendeu o Grande Prêmio Esso de Jornalismo, a Folha revelou o elo entre Teixeira e a Ailanto, de Rosell, que recebeu R$ 9 milhões do governo do Distrito Federal pelo jogo amistoso.

A série também descobriu como R$ 705 mil da empresa foram parar nas contas do dirigente. Essa foi a primeira vez que ficou comprovado que Teixeira recebeu dinheiro ligado a jogos da seleção.

Folha ainda comprovou que uma sócia da Ailanto tinha uma fazenda no mesmo endereço que Teixeira e, no dia seguinte, publicou que havia cheques nominais ao cartola.

Na sequência, outra reportagem contou que Teixeira montara uma empresa de investimentos na Flórida e que a Ailanto era alvo de ação pela suspeita de desvio de R$ 1 milhão. Esta empresa foi montada para receber o dinheiro do jogo e Teixeira participou das negociações.

Outra questão tem a ver com a contratação de Neymar pelo Barcelona. A transação ocorreu na época em que Rosell dirigia o clube catalão, e o cartola é acusado de fraude e corrupção.

A alegação dos promotores é a de que o valor real da transferência foi encoberto pelo dirigente e por Neymar e seu pai. Todos foram denunciados por fraude ainda respondem pelo processo.

O caso Neymar fez com que Rosell renunciasse à presidência do Barcelona em 2014, quatro anos depois de ascender ao comando do clube.


2 comentários

  1. Daniel Fernandes
    terça-feira, 23 de maio de 2017 – 13:13 hs

    E o Neymar é um herói dos brasileiros.
    Por favor!

  2. Daniel Fernandes
    terça-feira, 23 de maio de 2017 – 13:13 hs

    Com heróis deste tipo, a gente mostra o que é.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*