PF puxa orelha da Procuradoria Geral da República | Fábio Campana

PF puxa orelha da Procuradoria Geral da República

A Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais não gostou nada nada de a Procuradoria Geral da República aceitar como prova o áudio da conversa de Joesley com Michel temer sem passar por uma perícia técnica feita por peritos federais.
Edson Fachin afirma que submeteu o aúdio ao setor técnico da PGR, mas não para perícia técnica completa da Polícia Federal.
Em nota, a Associação disse que “inaceitável que, tendo à disposição a Perícia Oficial da União, que possui os melhores especialistas forenses em evidências multimídia do país, não se tenha solicitado a necessária análise técnica no material divulgado; permitindo que um evento de grande importância criminal para o país venha a ser apresentado sem a qualificada comprovação científica.”
E, num puxão de orelhas, recomendou o envio imediato do áudio e do equipamento gravador ao Instituto Nacional de Criminalística. Mas há boatos de que Joesley Batista não entregou o equipamento usado na gravação. Vamos ver.
Leia na íntegra:

Nota – Perícia da PF recomenda análise de áudio que envolve o Planalto

Em relação às recentes notícias veiculadas pela mídia, que dizem respeito a existência de possíveis edições na gravação da conversa entre Joesley Batista e o presidente da República Michel Temer, a Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais esclarece que, ao se ouvir o áudio divulgado pela imprensa, percebe-se a presença de eventos acústicos que precisam passar por análise técnica, especializada e aprofundada, sem a qual não é possível emitir qualquer conclusão acerca da autenticidade da gravação. Ademais, sempre que houver vestígios materiais, é temerária a homologação de delações sem a devida analise pericial.

Cabe destacar, ainda, ser inaceitável que, tendo à disposição a Perícia Oficial da União, que possui os melhores especialistas forenses em evidências multimídia do país, não se tenha solicitado a necessária análise técnica no material divulgado; permitindo que um evento de grande importância criminal para o país venha a ser apresentado sem a qualificada comprovação científica.

Por fim, a APCF recomenda o envio imediato do áudio e do equipamento gravador ao Instituto Nacional de Criminalística (INC), órgão central de perícia criminal da Polícia Federal, de reconhecida idoneidade e imparcialidade; estando convicta de que tudo será devidamente esclarecido quando forem realizados os necessários exames periciais por Perito Oficial.

Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais – APCF


3 comentários

  1. Petista
    domingo, 21 de maio de 2017 – 11:52 hs

    Só Lula é honesto na política brasileira, pois SOMENTE LULA NUNCA FOI DELATADO, COM PROVAS CABAIS, como o foram os ladrões Aécio e Temer!!!

  2. Sergio Silvestre
    domingo, 21 de maio de 2017 – 12:11 hs

    Querem mais o que ,batom na cueca,será que esse setor da policia federal é aquela que serve a republica de Curitiba que passou batida nessa?

  3. eleitor desmemoriado
    domingo, 21 de maio de 2017 – 15:46 hs

    kkkk mas era isto mesmo que se pode esperar de um juiz adepto do pestismo, porque não fez a coisa certa? Das duas, uma, ou o Fachin é muito mal intencionado ou ele só imitou o Sérgio Moro na divulgação do grampo que, ferrou com a nomeação do 51 para a Casa Civil da infeliz. Ambos os casos são deploráveis e imperdoáveis, jamais deveriam ter acontecido. E, muito menos repetidos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*