'Nem a esquerda nem flores vão me intimidar', diz Doria em Nova York | Fábio Campana

‘Nem a esquerda nem flores vão me intimidar’, diz Doria em Nova York

Folha de S. Paulo

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), reafirmou nesta segunda-feira (15) em Nova York que não é candidato à Presidência nem ao governo em 2018.

Em café da manhã com empresários, Doria defendeu as reformas do governo Temer. Disse que nem a esquerda nem flores vão intimidá-lo, em referência ao episódio em que jogou fora flores oferecidas por manifestantes em protesto contra o aumento dos limites de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros.

Ele disse ainda que vem recebendo ameaças do que chamou de esquerdistas mais radicais. “Nem sob ameaças, que tenho recebido constantemente, sobretudo dos esquemas mais radicais, que pensam que com telefonemas, cartas e e-mails, não vão me intimidar. Nem com flores. Não vão me intimidar.”

O prefeito encerrou o discurso com uma menção à bandeira petista: “Minha bandeira não é vermelha. É verde e amarela”.

Num discurso de 35 minutos, Doria defendeu também uma política de privatizações. Pregou venda de ativos da cidade, de mercados municipais a cemitérios. “Vamos colocar no setor privado até cemitérios, crematórios”, afirmou o prefeito, chamando a administração de cemitérios de foco de corrupção.

Segundo Doria, o estádio do Pacaembu e os mercados não têm que estar sob o comando ao governo.

O prefeito anunciou ainda para o próximo semestre a concretização da PPP da Iluminação.

“O governo passado [gestão Fernando Haddad, do PT] não conseguiu. Nós faremos. E é para já”, afirmou.

Após relatar sua trajetória até as eleições, Doria repetiu que “está político”. Embora negue qualquer pretensão eleitoral no ano que vem, Doria afirmou que “quem determina a eleição é o povo, não os caciques”.

Doria iniciou neste domingo (14) uma série de encontros em Nova York para promover São Paulo e oferecer oportunidades de negócios para investidores. Na terça (16), ele vai receber o prêmio “Person of the Year”, da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.


6 comentários

  1. Zifio
    segunda-feira, 15 de maio de 2017 – 20:28 hs

    Cumpre todo o seu mandato de prefeito, depois de quatro anos dá pra saber a que veio. Em um ano e quatro meses, de repente nem quatro anos, aparecem as consequências das políticas aplicadas, para serem analisadas ! O senhor está no começo, se for bom, segue em frente !

  2. Tradicional
    segunda-feira, 15 de maio de 2017 – 21:09 hs

    É tanta mentira na cabeça e ferro na bunda do povo … vamos discutir sem demagogia(?) o bem do BRasil e dos brasileiros meu pai!

  3. Motoqueiro Infernal 666
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 8:51 hs

    Nem coxinhas… nem petralhas… nem New York Dolls…
    Ano que vem se cumpre uma profecia sobre a próxima presidência do Brasil, quem viver verá.

  4. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 9:59 hs

    Este Jânio Quadros de terno italiano e sapatos alemães, bem penteado e botocado, fala um script que já conhecemos, do próprio Jânio, de Collor e outros. Bravatas, fantasias de gari e carteira e trabalho. Só falta parar no meio da rua, sacar um talão de multas para multar carros estacionados em cima da calçada. O Brasil não tem originalidade.

  5. EUDENOVO
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 10:33 hs

    Tudo bem.Nem flores e nem a esquerda.Homem corajoso este,mas convenhamos,o tucano de Tróia,fabiano,logo um comunista enrustido não pode ter medo dos seus pares.E também essa serviu para desviar a atenção para ninguém perceber que o que bota panico nesse populista é o Bolsonaro.Esse sim está assombrando a malandragem politica.É desse que os tucanos tem medo,do primeiro ao último,prova é que a imprensa venal tenta abafar Bolsonaro ,mas as redes sociais já definiram quem vai governar o Brasil a partir de 2019.Dória é só mais um jumentinho a serviço da esquerdalha internacionalista e entreguista.
    O único homem capaz de tirar o Brasil do atoleiro é Bolsonaro,o resto é enganação.

  6. Aragão
    terça-feira, 16 de maio de 2017 – 14:29 hs

    O pior é que Dória é centro-esquerda, não é esquerdista “marxista” igual ao PT/PSOL/PcdoB, mas é esquerda “fabiana”, adeptos de Gramsci e Marcuse.!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*