Modificações no disque-denúncia da Odebrecht | Fábio Campana

Modificações no disque-denúncia da Odebrecht

A Odebrecht tem um disque-denúncia desde 2014 no ar. Hoje, a empresa mudou um pouco o conceito e a forma de atendimento.
Chamado de “Linha Ética”, o canal se propõe a relatar suspeitas de irregularidades praticadas no grupo.
Desde a criação, o serviço era operado pela própria Odebrecht, mas com o receio de que as informações pudessem não ter o curso devido, uma empresa terceirizada foi contratada para registrar as ocorrências. Do outro lado da linha, todos os atendentes têm curso superior de direito, engenharia ou cientista político.
Outra modificação é que quem denuncia poderá acompanhar a evolução da investigação em questão.
O serviço funciona em três línguas (português, espanhol e inglês) nos 26 países em que a Odebrecht tem negócios.
No ano passado, o antigo serviço recebeu 3.122 relatos sobre eventuais desvios, 24% deles tinham fundamentos para ser investigados, segundo a Odebrecht. Como resultado da apuração, a empresa demitiu 30 funcionários.


Um comentário

  1. BETO
    sexta-feira, 26 de maio de 2017 – 14:47 hs

    Mendes quer rediscutir no plenário acordo da JBS e prisão após 2ª instância

    Segundo ministro, homologações de delações podem ser feitas pelo plenário e não somente pelo relator. Ele também disse que pretende reavaliar prisão somente após segunda instância.

    Questionado também acerca da prisão após a condenação em segunda instância – possibilidade aberta no ano passado pelo próprio STF –, Gilmar Mendes disse que analisa uma revisão, para que ocorra somente após a terceira instância, no caso, o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

    GILMAR MENDES – Petista sem vergonha. imoral. Quer a todo custo safar Lula da Silva da 2ª Instância que certamente será condenado pelos crimes cometidos de lesa pátria. Você nos envergonha Gilmar.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*