J&F não aceita acordo de R$ 11,1 bi com MPF | Fábio Campana

J&F não aceita acordo de R$ 11,1 bi com MPF

Para fechar acordo de leniência, o Ministério Público Federal se o grupo J&F (que é dono do frigorífico JBS) concordasse em pagar R$ 11,1 bilhões em multa por conta dos esquemas de corrupção em que estava envolvida nos últimos anos.

Na proposta do MPF o pagamento seria feito em dez anos. A J&F tentou pechinchar, propondo primeiro R$ 1 bilhão, depois subiram para R$ 1,4 bilhão. A proposta não foi aceita. Nem de um lado, nem de outro.

Acordo desfeito.

O valor proposto pelo MPF corresponde a 5,8% do faturamento da empresa em 2016, a J&F ofereceu 0,51%, a lei estabelece que em casos de acordos de leniência, a multa pode variar entre 0,1% e 20% do faturamento.

O acordo de leniência é a versão pessoa jurídica para o acordo de delação premiada. Ou seja, depois do acordo, a empresa volta a ser idônea, o que permite que possa novamente fazer negócios com o poder público.

Como o prazo para a aceitação dos termos era sexta-feira, 20, a proposta dá-se como cancelada. Mas a história, provavelmente, terá ainda outros capítulos.


4 comentários

  1. Parreiras Rodrigues
    sábado, 20 de maio de 2017 – 10:14 hs

    Leniências e acordos com delatores parecem caminhar na contra-mão das premissas da Lava Jato.
    Enquanto a última se esgoela para escarafunchar ações de corruptos e corruptores cujos resultados tanto mal fazem à população, os primeiros passam a mão nas cabeças dos meliantes.
    Ora, penso eu, pratico hoje um roubo bilionário, delato os cúmplices, vou para prisão domiciliar na minha cobertura – mil ms2 – na Vieira Souto – academia, sauna, piscina, o escambau, e depois duns dois anos, liberdade plena.
    Vamos gente, vamos roubar!

  2. Parreiras Rodrigues
    sábado, 20 de maio de 2017 – 10:17 hs

    …liberdade plena para usufruir a grana que garantirá o luxo dos meus filhos e netos.
    Vamos gente…

  3. Valmor Lemainski - Cascavel
    sábado, 20 de maio de 2017 – 10:34 hs

    Se algo parecido tivesse acontecido com uma pequena empresa teriam caçado o alvará e confiscado os bens… Mas como é uma grande empresa geradora de empregos e receitas tributárias, precisaria ficar acariciando?… Fez bem o MPF…

  4. sábado, 20 de maio de 2017 – 12:11 hs

    SE É SÓ 6% DO FATURAMENTO ANUAL DA EMPRESA..ENTÃO AINDA SOBRA Á ELES..QUASE UM TRILHÃO???????????????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*