Gilmar Mendes contra ataca | Fábio Campana

Gilmar Mendes
contra ataca

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou duramente a força-tarefa do Ministério Público Federal do Paraná, que conduz os processos da Lava Jato na primeira instância, por ter apresentado uma nova denúncia contra o ex-ministro petista justo no dia em que o pedido de liberdade feito pela defesa seria analisado na Segunda Turma do STF.

“Creio que hoje o tribunal está dando uma lição ao Brasil. A pessoas que têm compreensão equivocada do seu papel. Não cabe a procurador da República pressionar, e não cabe a ninguém pressionar o Supremo Tribunal Federal. É preciso respeitar as linhas básicas do Estado de Direito. Quando nós quebramos isto, nós estamos semeando o viés autoritário, é preciso ter cuidado com esse tipo de prática”, afirmou.

“A imprensa publica que as razões que os valorosos procuradores de Curitiba dão para a data de hoje é porque nós julgaríamos o habeas corpus hoje, ministro Fachin. Já foi dito da tribuna pelo advogado de defesa, Roberto Podval. Se nós devêssemos ceder a este tipo de pressão, quase que uma brincadeira juvenil, são jovens que não têm a experiência institucional nem vivência institucional, então eles fazem esse tipo de brincadeira… Se nós cedêssemos a esse tipo de pressão, nós deixaríamos, ministro Lewandowski, de ser ‘supremos’. Nem um juiz passaria a ser ‘supremo’. Seriam os procuradores. Quanta falta de responsabilidade em relação ao Estado de Direito. O Estado de Direito é aquele em que não há soberanos, todos estão submetidos à lei”, afirmou Gilmar Mendes.

“Não se pode imaginar que se pode constranger o Supremo Tribunal Federal, porque esta Corte tem uma história mais do que centenária. Ela cresce neste momento. Esta é a sua missão institucional”, continuou o ministro, no meio do seu próprio voto a favor da concessão de liberdade a José Dirceu, preso preventivamente desde agosto de 2015.

O voto de Gilmar Mendes desempatou o julgamento, somado aos do ministro Dias Toffoli e do ministro Ricardo Lewandowski, que venceram os ministros Edson Fachin, relator, e Celso de Mello, que queriam a manutenção da prisão. Gilmar Mendes acrescentou que a decisão de soltar o ex-ministro, ao contrariar a manifestação do Ministério Público Federal do Paraná, seria uma “lição a pessoas que têm compreensão equivocada do seu papel”.

“Evidentemente essa acusação já estava sendo elaborada, amadurecida, prova disso é que foram colhidos depoimentos em 2016, expedidos ofícios com o objetivo de alcançar informações. É uma acusação que amadureceu, estava para ser oferecida e em razão da análise, pelo Supremo Tribunal Federal, de um habeas corpus referente a José Dirceu, houve a precipitação com o objetivo de trazer à tona informações que são relevantes, que são pertinentes e que podem ser, ou não, consideradas pelo Supremo Tribunal Federal dentro da ampla independência que goza aquele tribunal.”


14 comentários

  1. BETO
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 14:36 hs

    RATAZANA.

    Quero te chamar de bandido, de verme, de câncer do Brasil. Vc é um LIXO GILMAR

  2. PEDROCA DO SUDOESTE
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 15:03 hs

    KKKKK;O TRIBUNAL ESTÁ DANDO UMA LIÇÃO AO BRASIL (GILMAR MENDES)Cuspindo na cara do povo brasileiro isso sim. Cara de pau, tudo manipulado, arranjado.Manda fazer uma pesquisa, uma porcentagem de quantos o apóiam.

  3. JÁ ERA...
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 15:09 hs

    Realmente esta trinca de Ministros (que só tem cargo de Ministro)
    deram uma lição de imoralidade aos brasileiros. Não há nada neste
    planeta pior do que sentirmos na pele que a desonestidade e rouba-
    lheira tem mais valor moral do que o resto. STF… que STF !?

  4. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 16:01 hs

    O editorial do Migalhas de hoje diz tudo. Nada mais.

  5. Sergio R.
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 17:28 hs

    O supremo babaca do supremo.

  6. Franchico
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 17:40 hs

    Ainda acho que o foco principal é: ladrão é ladrão e deve ficar na prisão, sem todas essas brechas jurídicas, que levam o nosso País para o caos.

  7. quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 18:06 hs

    EU ACHO O CONTRÁRIO, VOSSA EXCELÊNCIA?

  8. paulo
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 18:38 hs

    A opinião publica não tem duvida alguma quanto as condutas do arrogante Gilmar Mendes.Aliás, ele está no lugar errado!!!

  9. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 19:38 hs

    O sapo boi tá certo,esses procuradores tem que procurar sua rola,estão passando dos limites .são debiloides e nem sei como passaram em concurso,e até o japonez já quer ser deputado,o Moro presidente,já não chega essa merda de Pais todo judicializado?

  10. quarta-feira, 3 de maio de 2017 – 19:38 hs

    Boa Gilmar, o pessoal que não resolve julgar em Porto Alegre e o STF leva a culpa. O povo não entende de lei e xinga o maquinista quando o trem não tem rodas.

  11. Helena
    quinta-feira, 4 de maio de 2017 – 0:06 hs

    Sr. Ministro, o que V. Excelência esqueceu-se é que o Sergio Moro e a Lava Jato não estão sozinhos nessa jornada, mas toda a sociedade brasileira clama por justiça. Será que o Ministro conseguirá encarar o povo nas ruas??? sinceramente o Brasil todo ficou estupefato com seu voto e muito maior com a sua justificativa, nada técnica, e sim pessoal e muito infeliz. Dos os outros dois Ministros todos sabíamos que seus votos eram aqueles mesmos, sempre soltando bandidos ligados ao PT e seus puxadinhos.

  12. FUI !!!
    quinta-feira, 4 de maio de 2017 – 6:00 hs

    Este debilóide precisa ser crucificado em praça pública. Depois
    de abrir a porta da cadeia vai conseguir dormir !?

  13. Dionleno Silva
    quinta-feira, 4 de maio de 2017 – 8:50 hs

    Esse é mais um daqueles que deu manutenção no avião que estava o Teori…

  14. Dionleno Silva
    quinta-feira, 4 de maio de 2017 – 9:01 hs

    V-A-G-A-B-U-N-D-O !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*