FHC, Lula e Sarney articulam o pós-Temer | Fábio Campana

FHC, Lula e Sarney articulam o pós-Temer

da Folha de S. Paulo

As articulações para a substituição do presidente Michel Temer evoluíram nas três principais forças políticas do país –PMDB, PSDB e PT– e agora envolvem diretamente três ex-presidentes da República: Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney.

Desde a última quinta (18), quando foram divulgados os detalhes da delação da JBS que envolvem Temer, eles têm liderado conversas suprapartidárias em busca de um consenso para a formação de um novo governo, caso o peemedebista seja cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os três caciques, pontos de contato nos diálogos que acontecem reservadamente em Brasília e São Paulo, cuidam para que os debates não ganhem caráter partidário.

As conversas estão pulverizadas, uma vez que, por ora, cada sigla traça caminhos diferentes para o desfecho da crise.

Do lado do PSDB, fiel da balança do governo, FHC se tornou referência e, segundo relatos de tucanos, já abriu contato com parlamentares do PT. Além disso, é o mais importante interlocutor do presidente do TSE, Gilmar Mendes, considerado “peça-chave” para viabilizar a saída institucional de Temer.

“O Brasil exige o que temos de melhor e não o que temos de pior”, disse à Folha o senador Jorge Viana (PT-AC), um dos emissários petistas nas conversas com integrantes do PSDB e do PMDB.

Nesta semana, Viana esteve em dois jantares na casa da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para discutir soluções com aliados do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), líder peemedebista no Senado e opositor de Temer.

Na terça-feira (23), o senador petista se encontrou com Lula. O ex-presidente disse que o partido precisa insistir na defesa das eleições diretas. Até aqui, Lula não acredita que um perfil “de centro” será incluído pela base de Temer no processo de eleições indiretas e diz que a ventilação do nome do ex-ministro Nelson Jobim, que tem sua simpatia, tem o objetivo de “adoçar a boca do PT”.

Apesar da determinação dada à cúpula petista, Lula se mantém disposto a conversar com as lideranças políticas que trabalham exclusivamente com a alternativa de eleições indiretas para escolher o sucessor ao Planalto.

Na avaliação de aliados de Temer, a escalada da crise, com os primeiros protestos violentos contra o governo, nesta quarta-feira (24), precipita uma concertação que envolve o trio de ex-presidentes.

Eles acreditam que a articulação suprapartidária pode reduzir a tensão do ambiente político e permitir uma transição suave a partir do julgamento do TSE, que começa no dia 6 de junho e pode tirar Temer do poder.

Nesse cenário, Lula tem sido estimulado a procurar FHC em busca de entendimento. Aliados de Temer consideram essa conversa fundamental porque o petista tem pontes com movimentos sindicais e sociais à frente dos protestos, e o tucano é o principal conselheiro do pilar de sustentação de Temer.

O ex-presidente José Sarney, por sua vez, esteve com Temer na segunda (22) e, no dia seguinte, recebeu parlamentares do PMDB e dirigentes tucanos.


5 comentários

  1. Roberto Cardoso
    quinta-feira, 25 de maio de 2017 – 8:31 hs

    Veja que ponto chegamos: três NEFASTOS querendo resolver a situação caotica do Brasil. A solução é: REGIME MILITAR,JÁ!!!!

  2. BETO
    quinta-feira, 25 de maio de 2017 – 9:18 hs

    Três pilantras. S
    O Coronel Sarnei que há muito tempo apossou-se do Estado do Maranhão.

    FHC, que colocou o Brasil nos eixos e cometeu o erro de entregar pro PT.

    E LULA DA SILVA, o maior câncer e ladrão do Brasil. O verme que aperfeiçoou o modo de roubar no Brasil, montando a maior quadrilha já vista.

    Eles vermes estão articulando isso????
    Se for real, é o fim de todas as esperanças e os militares tem mesmo que tomar conta deste País.

    Lula da Silva esta prestes a ser preso pela lava jato e esta se metendo nessa articulação com intuito único de se safar da PRISÃO.

    Não podemos permitir que este absurdo aconteça.

  3. quinta-feira, 25 de maio de 2017 – 9:40 hs

    esses bostas já tiveram a sua chance, cada um de fazer algo pelo pais e, só fizeram merda !

  4. Daniel Fernandes
    quinta-feira, 25 de maio de 2017 – 12:03 hs

    Nunca pensei que ia dizer isto, mas aí vai: se o que o futuro nos reserva é isto, estes três VAGABUNDOS, começo a achar melhor uma intervenção militar.
    Nunca pensei que iria dizer isso um dia.
    O governo é uma cambada de salafrários; a oposição também.
    Para onde correr?
    Só sobraram os militares.
    Sinto muito. Nunca imaginei que iria dizer isto!
    E eu tenho um viés mais esquerdista.
    Quase sempre votei no PT (como fui idiota!).
    Mas quando a situação muda, nossas ideias têm de mudar.

  5. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 25 de maio de 2017 – 13:20 hs

    -A pior combinação possível. Três raposas felpudas atrás de mais poder!!!
    -Querem à todo custo voltarem a comandar este País em nome do que mesmo. Pois esquecem do que o povo precisa: emprego, saúde, educação e segurança.
    -Querem tomar o poder a todo custo para manter o “esquema” funcionando…para auto financiar seus projetos de poder….
    -Melhor mesmo seria uma inédita Intervenção Institucional aclamada pelo povo brasileiro e acatada pelas Forças Armadas brasileiras, sem prazo para término, até que toda a sociedade repense a democracia federativa brasileira e o poder seja devolvido ao povo para decidir seu próprio futuro e não assinar um cheque em branco para esta desmoralizada classe política brasileira!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*