Denúncia de plágio no pacotaço de Greca | Fábio Campana

Denúncia de plágio no pacotaço de Greca

Hoje pela manhã, servidores municipais foram à Câmara para tratar do Plano de Recuperação Fiscal que Rafael Greca tenta aprovar. Além de, mais uma vez, pedirem aos vereadores que negassem a aprovação, os manifestantes denunciaram que dentro do pacotaço de Greca há propostas copiadas na íntegra de um documento formulado pelo governo do Rio de Janeiro no ano passado.

Segundo a comunicação da Câmara Municipal, o vice-presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Municipais de Curitiba (Sinfisco), Alisson Matos apontou que o artigo 18 do projeto, o dispositivo que limita a variação da despesa com o pessoal ativo a até 70% do crescimento anual da receita corrente líquida, traz até uma vírgula usada incorretamente na proposição do Rio de Janeiro. Dentre outros itens, ele também questionou a legalidade da iniciativa por “inviabilizar totalmente a revisão anual garantida na Constituição Federal”.

“No Rio de Janeiro o pacotaço era inconstitucional. Existe outra Constituição para a República de Curitiba?”, continuou Rejane Soldani, do Sindicato dos Servidores da Guarda Municipal de Curitiba (Sigmuc).


8 comentários

  1. Macambúzio
    segunda-feira, 8 de maio de 2017 – 16:31 hs

    E desde quando é proibido copiar um plano de governo ou um programa de outro ente da federação? Por acaso o Greca está lançando um livro com suas propostas copiadas do RJ? Cada uma!!!

  2. Montes
    segunda-feira, 8 de maio de 2017 – 18:32 hs

    Curitiba e os curitibanos não merecem esse amadorismo. Que decadência a nossa prefeitura. Copiar lei e ainda do Rio de Janeiro é demais. Curitiba e o Paraná deixaram de pensar com a inteligência dos paranaenses. Importa-se leis ou secretários.

  3. tolerância zero
    segunda-feira, 8 de maio de 2017 – 18:57 hs

    Ô Macambúzio, leia direito. Você acha que copiar plano inconstitucional é coisa boa? Presta atenção, rapaz!

  4. Antonio Tadeu Meneses
    segunda-feira, 8 de maio de 2017 – 19:21 hs

    Acho que o problema verdadeiro é o prefeito vai fracassar ou não no seu governo, é necessário evitar alguns erros comuns de má gestão, por exemplo, como aponta a webcast da FNQ- Politização da Gestão no Brasil: uma tragédia anunciada.

    – Falta de lideranças de qualidade;
    – Pessoas erradas nos lugares errados;
    – Loteamento de cargos;
    – Corrupção como moeda de troca;
    – Muita política e pouca gestão;
    – Modelo político anacrônico e Paroquial;
    – Falta de Planos e Metas, promete uma coisa e faz outra;
    – Decisões sem apoio de fatos;
    – Desperdícios de recursos;
    – Falta de transparência e deficiência de controle;
    – Falta de comprometimento e Cultura de resultados;
    – Resistência a mudança e corporativismo

  5. Benjamin Button
    segunda-feira, 8 de maio de 2017 – 19:33 hs

    Ih Greca, viu no que deu ficar com os cuecas de seda de sempre, este bando de come e dorme não serve como nunca serviu para nada. E agora, foi pego com o porco nas costas, agora vai ter que refazer todo o serviço de novo.

  6. Jorge Hardt Filho
    segunda-feira, 8 de maio de 2017 – 19:41 hs

    As medidas para sanear as finanças de estado falido são óbvia e necessariamente semelhantes.Aos manifestantes falta um tanto de entendimento, ou sobra sectarismo.

  7. Equipe do Fruet
    terça-feira, 9 de maio de 2017 – 9:13 hs

    Como pretende aumentar a receita do município com a mesma equipe do Fruet na prefeitura? Quase uma centena de proposta para cortar despesas mas nenhuma para aumentar a arrecadação. Aumentar alíquota de imposto não é gestão criativa. Se entrarmos no Portal Transparência da prefeitura vamos constatar que existem 408 comissionados na folha de abril. Onde está a economia?

  8. DOUTOR OTTO
    terça-feira, 9 de maio de 2017 – 11:23 hs

    Será que não há, dentre os inúmeros comissionados intocáveis do sr. Greca, alguma pessoa com QI para elaborar um plano decente ( e original ) para a cidade ?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*