Cúmulo da desfaçatez | Fábio Campana

Cúmulo da desfaçatez

Carlos Marun, do PMDB, corregedor da Câmara, defendeu que os deputados que abandonaram tudo em Brasília para vir apoiar Lula em Curitiba estavam “em atividade político-parlamentar” e, portanto, não há problema em terem usado recursos da Casa e não devem ter o dia de falta descontado do salário. É o mesmo Marun que usou verba da cota parlamentar para visitar Eduardo Cunha na cadeia — e devolveu o dinheiro “para não polemizar”.


2 comentários

  1. Priscilla
    quinta-feira, 11 de maio de 2017 – 12:09 hs

    E de onde vem o dinheiro para bancar toda aquela gente em Curitiba ontem? Falo da massa, do povão. Ônibus, alimentação, acampamento custam, não custam?

  2. JÁ ERA...
    quinta-feira, 11 de maio de 2017 – 16:39 hs

    O Marum foi braço direito de Cunha. Um cara como este é o relator
    da Previdencia. O Congresso brinca realmente de gato e rato. O
    grande problema é que já não existem mais gatos, transformaram-se
    em ratazanas felpudas !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*