Barros defende compra de asparaginase da China | Fábio Campana

Barros defende compra de asparaginase da China

Ricardo Barros reafirmou a eficiência do medicamento chinês asparaginase, importado pelo governo brasileiro para tratamento de leucemia. O ministro participou ontem de audiência pública conjunta das comissões de Defesa do Consumidor e de Seguridade Social e Família.

A asparaginase é utilizada para o tratamento de leucemia linfoide aguda, que atinge principalmente crianças. No Brasil, quatro mil pacientes do SUS recebem o medicamento. Mas desde 2010 o Ministério da Saúde vem enfrentando problemas na importação do produto. Neste ano, o Ministério comprou o remédio da China, o que foi alvo de críticas veiculadas por meios de comunicação.

Ricardo Barros rebateu as críticas de que o medicamento não teria garantia, afirmando que a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), por meio do Instituto Nacional de Qualidade em Saúde, já realizou testes que comprovam a eficácia do medicamento chinês dentro de sua especificação.

Ricardo Barros disse que a importação vinha sendo feita de outros laboratórios por um preço maior e sem respaldo jurídico. Segundo ele, foi feita cotação de preços, ganhando a empresa que ofereceu o menor preço. “Não há nada de excepcional nesse processo, a não ser o fato de que o ministério estava comprando, com dispensa de licitação, de um laboratório que não tinha registro da Anvisa.”


Um comentário

  1. jaferrer
    quinta-feira, 11 de maio de 2017 – 11:40 hs

    O medicamento é comprovadamente de qualidade inferior. É lamentável que um ministro seja tão irresponsável e cara de pau para não rever sua posição. Gente como essa não merece nenhum respeito. Quero ver se vai tratar um filho ou neto com esse medicamento. Cara de pau!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*