71% rejeitam reforma da Previdência | Fábio Campana

71% rejeitam reforma
da Previdência

O Datafolha diz que 71% dos brasileiros rejeitam a reforma previdenciária. A rejeição chega a 83% entre os funcionários públicos, que representam 6% da amostra. Cabe a pergunta: quantos brasileiros estão dispostos a pagar mais impostos para cobrir o rombo com as aposentadorias?

Sete em cada dez brasileiros se dizem contrários à reforma da Previdência, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha. A rejeição chega a 83% entre os funcionários públicos, que representam 6% da amostra e estão entre os grupos mais ameaçados pelas mudanças nas regras para aposentadorias e pensões.

Há maioria antirreforma entre todos os grupos sociodemográficos, e a taxa cresce entre mulheres (73%), brasileiros que ganham entre 2 e 5 salários mínimos (74%), jovens de 25 a 34 anos (76%) e os com ensino superior (76%).

O Datafolha fez 2.781 entrevistas em 172 municípios na quarta (26) e na quinta (27), antes das manifestações ocorridas na última sexta-feira (28). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Apesar da rejeição à ideia de mudanças, a maioria dos entrevistados concorda com tópicos que o governo pretendia mudar na proposta inicial e outros que ainda estão em discussão no Congresso.

MENOS DIFERENÇAS

É o caso, por exemplo, das regras especiais que permitem aos professores se aposentar cinco anos mais cedo do que outros trabalhadores.

A proposta original do governo previa que os requisitos para aposentadoria seriam os mesmos para todas as profissões, gêneros e setor de trabalho, com exceção de policiais militares dos Estados e membros das Forças Armadas.

A proposta foi alterada pelo relator da reforma na Câmara, Arthur Maia (PPS-BA). Na versão que os deputados debatem, professores e policiais mantêm condições mais favoráveis de aposentadoria.


2 comentários

  1. PEDROCA DO SUDOESTE
    segunda-feira, 1 de maio de 2017 – 13:26 hs

    Em resumo, ninguém quer perder privilégios. Quem mais reclama, são os que mais ganham. Agora, falar em aumento de impostos para cobrir o rombo, aí ninguém quer também. O cidadão até quer alguma reforma, mas desde que ele não seja prejudicado…..Assim é a cabeça de nosso cidadão.

  2. JÁ ERA...
    terça-feira, 2 de maio de 2017 – 6:13 hs

    A famosa reforma da Previdencia deveria ser chamada de tapa bu-
    raco ou meia sola. Se o governo não consegue cobrar as dívidas bi-
    lionárias de clubes de futebol, Banco do Brasil, Caixa e tantas outras
    e agora quer jogar o equilíbrio das contas no colo dos brasileiros é
    necessário ser contra sim. Que este governo maldito faça a sua li-
    ção de casa primeiro.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*