Sem dó. Faltou, perdeu | Fábio Campana

Sem dó. Faltou, perdeu

Tanto no Estado, quanto na Prefeitura de Curitiba, a ordem é a mesma: descontar o dia não trabalhado dos servidores que faltarem ao serviço nesta sexta-feira, 28. Rafael Greca disse que respeita as manifestações, mas avalia que a população não pode ser penalizada com a falta de aulas, atendimentos de saúde, cuidados com o trânsito e a segurança, encaminhamento de processos e documentação, entre outros prestados pelo serviço público.

No Estado, tudo igual. O governo reconhece o direito à manifestação, mas a determinação é para que haja expediente normal em todas as repartições públicas e empresas do Estado nesta sexta-feira (28), inclusive com a manutenção do horário de aulas em todas as escolas da rede estadual.

O governo alertou que os funcionários públicos que faltarem ao trabalho terão o dia descontado da folha de pagamento, conforme determinou o Supremo Tribunal Federal em outubro passado. “Os paranaenses não suportam mais tantas greves. É preciso entender que o dinheiro utilizado para pagar salário do funcionalismo vem do suor da população, através dos impostos. Não é do governador ou meu”, declarou.


7 comentários

  1. juca
    quinta-feira, 27 de abril de 2017 – 17:00 hs

    Vamos começar a ver no gabinete do prefeito……… Ontem ele próprio faltou uma reunião em São Paulo, coisa que interessava para Curitiba.
    Os secretários devem estar nas portas das secretarias e marcar presença, não vale ficar com medinho.

  2. Valmor Lemainski - Cascavel
    quinta-feira, 27 de abril de 2017 – 17:07 hs

    Auspiciosa decisão… Nossos governantes poderiam ter tomado essas decisões há muito tempo. Se a lei era confusa, que depositassem em juízo o salário dos dias parados e que a justiça, ao longo dos 20 anos, decidisse. GOSTEI – Sou contribuinte…

  3. Valmor Lemainski - Cascavel
    quinta-feira, 27 de abril de 2017 – 17:09 hs

    Auspiciosa decisão… Nossos governantes poderiam ter tomado essa decisao há muito tempo. Se a lei era confusa, que depositassem em juízo o salário dos dias parados e que a justiça, ao longo dos 20 anos, decidisse. GOSTEI – Sou contribuinte…

  4. LENZA TOLEDO
    quinta-feira, 27 de abril de 2017 – 17:35 hs

    boa, Greca!

  5. Azedo
    quinta-feira, 27 de abril de 2017 – 18:30 hs

    Só coçador de saco, sindicalista-parasita e demais mortadelas acéfalos é que querem greve amanhã. Gancho de salário pra todos eles é o certo! Não trabalha, não recebe. Ou vão pra rua fazer companhia para os quase 14 milhões de desempregados.

  6. MARIANA
    quinta-feira, 27 de abril de 2017 – 19:29 hs

    Mas o judiciário vai ter o direito de repor e não ter o dia descontado….

  7. FUI !!!
    sexta-feira, 28 de abril de 2017 – 4:46 hs

    A greve que é um direito do trabalhador transformou-se desde que
    o PT assumiu o comando do país em um instrumento de baderna
    sem precedentes. Como fazer baderna não tem rumo e nem precisa
    de cabeça o país continua piorando o caos que já vivemos. Os ser-
    viços essenciais precisa separar muito bem a greve do estado de
    greve !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*