Segurança, Saúde e Educação na greve de amanhã | Fábio Campana

Segurança, Saúde e Educação na greve de amanhã

As categorias trabalhistas estão se pronunciando a favor da greve geral. A Educação promete participar da paralisação até nas escolas particulares, um fato inédito que envolve o Sinpropar, representante de 10 mil professores de escolas privadas no estado. Em 74 anos de história, é a primeira vez que o sindicato se envolve num movimento assim.

Até o início da tarde, a prefeitura afirmava não ter recebido comunicado oficial do Sismuc, representante dos servidores públicos municipais, a respeito do posicionamento dos profissionais da saúde nas UPAs e UBSs. Mas a categoria diz que todas as unidades funcionarão com menos médicos, enfermeiros e técnicos.

O SindSaúde, dos servidores estaduais da saúde, também confirmou adesão nos hospitais próprios do estado, como o do Trabalhador, afirmando que trabalharão com 30% do quadro. Outros hospitais também sofrerão o baque, porque com a inclusão dos funcionários da UFPR, o Hospital de Clínicas deixa de funcionar em sua normalidade (apesar de informar que mantém o cronograma de consultas e cirurgias normalmente). Além disso, Sinditest-PR também confirmou seu quadro na paralisação, o que desfalca a Maternidade Victor Ferreira do Amaral.

O Sinclapol, policiais civis, informou que as delegacias apenas atenderão casos de emergência, boletins de ocorrência não serão feitos e os institutos de identificação não emitirão documentos.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*