No cacete, policiais derrubam de 60 para 55 anos idade mínima da aposentadoria | Fábio Campana

No cacete, policiais derrubam de 60 para 55 anos idade mínima da aposentadoria


Os policiais que invadiram a Câmara, quebraram vidraças, ameaçaram a guarda legislativa e se fizeram receber pelo relator da Reforma da Previdência, deputado Arthur Maia, do PPS, que afinou e disse que vai reduzir em cinco anos a idade mínima para aposentadoria dos tiras. Passa de 60 anos, como está no projeto, para 55 anos.


6 comentários

  1. FUI !!!
    quarta-feira, 19 de abril de 2017 – 11:25 hs

    Todas as decisões contrárias ao povo brasileiros deveriam ser resol-
    vidas exatamente assim. Se o bom senso não vale, vale a ignorancia
    contra estes políticos.

  2. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 19 de abril de 2017 – 11:34 hs

    Esta reforma está fadada ao fracasso. Não haverá mudança para a nomenklatura estatal, os funcionários públicos de altíssimo luxo. Ninguém mexe nos seus queijos importados, caviar beluga e nas suas dachas. São castas criadas pela CF 88 que jamais se submeterão às reformas. Estas castas ficarão de fora da reforma que será atochada no trabalhador comum privado, como sempre foi. O resto é papo furado.

  3. jose
    quarta-feira, 19 de abril de 2017 – 12:05 hs

    nesses vagabundos la de Brasilia, só no cacete mesmo, a aposentadoria deles, não mexem.

  4. Observador
    quarta-feira, 19 de abril de 2017 – 12:53 hs

    Para a Polícia tem que ser no cacete, para o Judiciário e Ministério público é na “canetada”.

  5. LENZA TOLEDO
    quarta-feira, 19 de abril de 2017 – 14:14 hs

    Quer dizer que agora não somos mais cidadãos brasileiros, tudo gira em torno de classes e as classes caladas são perdedores natos. Assim está o Brasil, se estou entendendo bem o assunto. Que baderna é essa?

  6. Benjamin Button
    quarta-feira, 19 de abril de 2017 – 17:03 hs

    e o mais absurdo de tudo isto é que o relator da Reforma se deixou convencer pelos meganhas, será que tem medo de cacete? Só pode.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*