MImimimimi do Greca | Fábio Campana

MImimimimi do Greca

Um dos traços mais negativos que marcou o ex-prefeito Gustavo Fruet foi seu permanente queixume sobre as agruras do caixa e a falta de apoios para justificar o que não fez. Ora, pois, seu sucessor e crítico, Rafael Greca, na falta de argumentos, adotou a linha de Fruet. Passa a maior parte do tempo a reclamar chorosamente da dívida que herdou e não pode pagar, o que o impediria de cumprir as promessas feitas em campanha. Curitiba sofre.


7 comentários

  1. juca
    sexta-feira, 7 de abril de 2017 – 13:15 hs

    Este comportamento demonstra o despreparo de administrar uma cidade que não é mais a de 20 anos passados.
    Também não tem um equipe de profissionais que recebeu de seu antecessor, pronta, com conhecimento da cidade.
    O atual prefeito prometeu demais e agora já passados cem dias de governo verificamos que nada daquilo e como fora prometido não tem condições de acontecer, quer ´pir falta de recurso, mas sobretudo por incompetência e falta de criatividade.
    Desta forma, só resta o choro de falta de dinheiro, de que pegou a prefeitura com um déficit imenso e coisa e tal.
    Assim, fica sobrando , neste momento, alguns culpados, que seriam na cabeça do prefeito e sua equipe, os servidores, ativos e inativos.
    Com esta nova choradeira joga a culpa na previdência, no quadro funcional que diz ser imenso e esquece que nomeou muito mais comissionados do que havia antes de sai posse.
    Com esta nova modalidade de administrar, causa um clima de terror, uma administração com paranoia de finanças, causando um terrorismo a todos os servidores que ficam no fio da navalha sem saber o dia de amanhã.
    Há uma grande dose de incompetência, por mais que alguns achem a equipe , “o máximo”, não sabem quem na realidade dá as cartas ao alcaide, op que na realidade dos cinco do chamado núcleo duro, tem outros dois componentes que sequer estão formalmente no quadro funcional.
    Vejam o que realmente vem ocorrendo: Na ânsia de provar que há um “rombo” nas finanças municipais, precisa convencer os funcionários e agora os vereadores de que há mesmo necessidade de aprovarem o tal pacote de ajuste fiscal, que na realidade é uma mexida na previdência e saúde e só. O resto é puro encher linguiça, para não dar muito na vista.
    Vejam que uma das maneiras de pressionar tanto os funcionários , como que dizendo : “olhem que a asituação está difícil”, como os vereadores que buscam seus votos, já começa a promover como uma ação terrorista algum atraso em órgãos vinculados a Prefeitura, sabe-se que hoje lá no IPCC já não recebem a dois meses, pelo menos as notícias estão divulgadas por funcionários daquela unidade. Também recentemente uma agência do município atrasou os salários em dois meses e se tem notícias que já quitaram esse compromisso.
    Então tudo leva a crer que isso é mesmo uma situação financeira, mas uma grande dose de pressão para a a aprovação do tal pacote, sob a ameaça de que se isso não acontecer os salários e aposentadorias não terão lastro para cumprir.
    Ora prefeito, uma pergunta fica no ar . Qual é a real garantia que esta reforma dure e qual sua vida.
    Com esse comportamento quase que culpando os aposentados e pensionistas do caos, esquece o prefeito que é aposentado, esquece que também se aposentou com proventos integrais, com idade inferior a que está propondo.
    Então no meu simples modo de ver essas coisas, acho que o prefeito deveria expor a realidade da situação, sem querer jogar a culpa nesse ou naquele e prestar bem atenção quanto a questão previdenciária, pois aí pode estar o “pulo do gato”, co9m relação a previdência privada….. espero que esta privada não seja a que estamos acostumados a frequentar todos os dias.

  2. Bad
    sexta-feira, 7 de abril de 2017 – 13:33 hs

    É o sujo falando do mal lavado! Mas encheu a PMC de comissionados com altos salários e depois quer tirar o couro do pobre servidor concursado para pagar a conta do mal uso do dinheiro público!!!

  3. GRECA É MENTIROSO
    sexta-feira, 7 de abril de 2017 – 14:16 hs

    Já tem 380 comissionados nomeados: Quer economizar mas com o dinheiro do servidor mas nomeia seus meninos com altos salários:

    O Greca fala que possui 12 secretarias mas no site da prefeitura tem 17 secretarias, sem contar IMAP, ICS, URBS, IPMC e as regionais:

    1)SECRETARIA DO GOVERNO MUNICIPAL – SGM
    2)SECRETARIA DE INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA – SIT
    3)SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS METROPOLITANOS – SMAM
    4)SECRETARIA MUNICIPAL DO ABASTECIMENTO – SMAB
    5)SECRETARIA MUNICIPAL DA COMUNICAÇÃO SOCIAL – SMCS
    6)SECRETARIA MUNICIPAL DA DEFESA SOCIAL – SMDS
    7)SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO – SME
    8)SECRETARIA MUNICIPAL DO ESPORTE, LAZER E JUVENTUDE – SMELJ
    9)SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS – SMF
    10)SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE – SMMA
    11)SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO – SEPLAD
    12)SECRETARIA MUNICIPAL DE RECURSOS HUMANOS – SMRH
    13)SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PÚBLICAS – SMOP
    14)SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE – SMS
    15)SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO E EMPREGO – SMTE
    16)SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO – SETRAN
    17)SECRETARIA MUNICIPAL DO URBANISMO – SMU

  4. FUI !!!
    sexta-feira, 7 de abril de 2017 – 15:35 hs

    O chororô do Greca dá nojo. Se candidatou e venceu, agora traba-
    lhe. Dívidas !? Ou achava que o Fruet deixaria o caixa transbordan-
    do de grana. Pura inocencia, Sr. Prefeito !!!

  5. iri
    sexta-feira, 7 de abril de 2017 – 18:13 hs

    Esse discurso é o mesmo de quem quando candidato faz pacto com o capeta para se eleger, vendem a própria mãe ao diabo e depois não tem onde por tanta gente por compromisso político, aí falta verba para o principal, administrar a cidade,e ficam discursando ao vento o texto ensaiado, cada comparsa exige uma secretaria, cada secretário é colocado pelo compromisso da eleição e por sua vez eles enchem as secretarias com seus amiguinhos do tempo de bolinhas de gude, não é a toa que temos um Richa dentro da prefeitura com sua equipe de coleguinhas que desembarcaram do estado.

  6. Jeremisa Franco
    sexta-feira, 7 de abril de 2017 – 18:47 hs

    É o mesmo comportamento do secretário importado do Beto Richa. Arrebentam a gestão e os servidores e depois ficam mentindo que fizeram o ajuste tendo arrasado tudo. E dá-lhe propaganda na TV Globo, Globo News, SBT, Band… O dinheiro pra saúde, educação, segurança fica só na telinha. O Greca nós já conhecemos, é o faroleiro de sempre, o Beto Richa que se tinha tanta esperança, acabou.

  7. irineu berestinas
    sábado, 8 de abril de 2017 – 10:32 hs

    Meu Caro Campana, talvez muito do que esteja acontecendo por aí, neste mundo de meu Deus, possa ser explicado pelo texto de minha autoria que encaminho, por este expediente, e que publicarei na Revista da Cidade, edição de abril, aqui de Arapongas. Att. Irineu Berestinas

    MARXISMO: NUANCES E CORRENTES

    Na formulação filosófica de Karl Marx, o guru teórico mais expressivo das esquerdas, os acontecimentos históricos não se concretizariam por nossa vontade ou pela carregada ideologia, mas pelas forças objetivas e materiais (luta pela sobrevivência, meios de produção, técnica a eles inerentes e os materialismos histórico e dialético*1). A História, em face desses pressupostos, é constituída por diferentes fases e movida pela lógica dialética (a realidade movimenta-se por contradição, em face da unidade entre dois polos opostos: burguesia e proletariado, determinado o fim de cada período histórico e o surgimento de um novo). Assim, desdobra-se em comunismo primitivo, período escravocrata, feudalismo, capitalismo, socialismo*2 e comunismo. De degrau em degrau, evolui, até se deparar com o ponto de chegada, viabilizado pelas contradições inerentes ao capitalismo (ambiente industrializado, superprodução, desemprego crescente e redução dos lucros).
    Em linhas gerais, a menos que eu esteja desalinhado com a memória, essa é a síntese do pensamento marxista. Vale dizer: para Marx, a política é um epifenômeno (fenômeno cuja presença ou ausência não interfere em nada no principal). Muitos dos ideólogos de esquerda dos nossos dias, certamente desconhecem esses pressupostos básicos do marxismo. E se julgam, eles próprios, portadores de uma IDEOLOGIA superior, que vai, por meio da sua atuação política, conduzir a classe operária ao paraíso…
    O determinismo histórico de Marx, entretanto, não tem sido bem assim… As revoluções russa e chinesa, por exemplo, foram conduzidas pelo partido comunista, em verdadeira luta de massas camponesas, sob o comando de vanguardas revolucionarias (Lênin, Stalin e Trotsky), no primeiro caso; e, no segundo, sob a liderança de Mao-Tsé-Tung, Chu-En-Lai e Deng Xiaoping. Já na Cuba ruralista e canavieira de Fulgêncio Batista, triunfou a teoria do foquismo, coisa da engrenagem do francês Régis Debray e do argentino Ernesto Che Guevara, ladeados por Fidel Castro. A tática era a de guerra de guerrilhas (ações rápidas e não convencionais de guerra, associadas a sabotagens, com os guerrilheiros normalmente entrincheirados em ambientes rurais).
    De outro lado, e muito em voga entre nós, destaca-se a teoria política do italiano Antonio Gramsci, que substitui a luta armada pela chamada revolução cultural e pela ocupação dos espaços públicos (Guerra de Posições). Por essas iniciativas, promove-se a destruição dos valores burgueses para entronizar a classe operária no poder. A luta cultural desenvolve-se em várias frentes: nas escolas, universidades, jornais, televisão, sindicatos, associações, igrejas, etc.
    Do ponto de vista teórico, Gramsci não se alinhou ao determinismo histórico de Marx, embora não tenha dispensado os favores da lógica dialética (sobre ela, já discorremos no primeiro parágrafo deste texto). A sua preocupação era com contextos históricos específicos.
    Em auxilio a Gramsci, ainda tem contribuído a teoria de Herbert Herbert Marcuse. O seu diagnóstico é o de que a classe operária havia-se afastado do seu poder revolucionário, por ter sido domesticada pelos favores do capitalismo, e que a revolução deveria ser conduzida pelas minorias ( grupos excluídos socialmente). Deflagra-se, então, a luta entre brancos e negros; homossexuais e heterossexuais, homens contra mulheres, etc.
    E, ainda, nesta análise, há que registrar o papel dos socialistas fabianos. Estes, pela sedução e convencimento dos seus pares nos parlamentos, pretendem implantar o socialismo , sem luta armada ou derramamento de sangue.
    Conclusivamente, é bom dizer, que a prevalecer o pensamento das esquerdas de um modo geral, desaparece a propriedade privada dos meios de produção (terras, fábricas e bens de capital), os quais passam a ser de propriedade do Estado, que se encarrega de prover todos os bens de consumo e a prestação de serviços, e, embora Marx previsse que o Estado desapareceria, isso não ocorreu historicamente. O que tem sido registrado e a presença de uma elite partidária dirigente no comando do processo, como acontece na Coreia do Norte, Cuba e China, a despeito de esta última estar promovendo aberturas para os capitais e investidores (o que me parece ser meramente estratégico, com o objetivo de incorporar conhecimentos e tecnologia, e não uma mudança do regime).

    *1 – Concepção em franca oposição ao aspecto transcendental das religiões, pois a estas Marx ofereceu o desprezo da sua teoria, considerando-as o ópio do povo.

    *2 O socialismo é meramente uma fase intermediária entre a tomada do poder e o advento do comunismo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*