Mega-assalto no Paraguai tem a marca de facção brasileira | Fábio Campana

Mega-assalto no Paraguai tem a marca de facção brasileira

Um assalto cinematográfico, já considerado o maior da história do Paraguai, assombrou os moradores de Ciudad del Este na madrugada desta segunda-feira (24). Por volta de 1h30 da madrugada (horário local), um grupo de cerca de 50 homens armados com fuzis, metralhadoras e granadas explodiu a sede da transportadora de valores Prosegur na cidade vizinha à brasileira Foz do Iguaçu. Os ladrões levaram pelo menos R$ 120 milhões da empresa. Na fuga, incendiaram 15 veículos para dispersar a polícia. Um agente foi morto. Os explosivos danificaram casas próximas e uma concessionária de carros. As informações são de Aline Ribeiro na Época.

O modo de agir combina com o estilo de atuação do PCC, Primeiro Comando da Capital, a organização criminosa que domina os presídios do estado de São Paulo e é considerada hoje a maior do Brasil. Atacar sedes de empresas de valores em busca de altas somas de dinheiro, espalhar artefatos para furar pneus de carros da polícia, fechar ruas com carros incendiados e causar pânico ao redor são marcas de assaltos feitos pela facção no interior de São Paulo.

A Polícia Nacional do Paraguai suspeita que o mega-assalto tenha sido executado pelo PCC pelo modo de agir e pelo contexto no submundo do crime no país neste momento. A facção criminosa brasileira está em processo de expansão no Paraguai. Em junho do ano passado, em outra atuação ousada, a organização matou o traficante Jorge Rafaat Toumani. Até então considerado o “rei da fronteira” com o Brasil, Toumani dominava o tráfico de drogas na divisa de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, com a cidade paraguaia Pedro Juan Caballero. Sua morte abriu caminho para a organização paulista dominar a já consolidada rota do narcotráfico no corredor Bolívia-Peru-Paraguai em direção ao Brasil.

Em entrevista à radio ABC Cardinal, o ministro do Interior do Paraguai, Lorenzo Lezcano, afirmou que os assaltantes eram brasileiros. De acordo com ele, a maioria dos carros usados no assalto tinha placas do Brasil. Uma testemunha afirmou que os criminosos falavam português. Pelo menos três suspeitos morreram durante confronto com a polícia no início da tarde.


2 comentários

  1. Sergio Silvestre
    terça-feira, 25 de abril de 2017 – 8:24 hs

    TEM A MARCA REGISTRADA DO JOSÉ SERRA,O MAIOR LADRÃO DO BRASIL.

  2. JOHAN
    terça-feira, 25 de abril de 2017 – 11:30 hs

    Caro FÁBIO, agora com esse assalto no Paraguai o Brasil da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA fecha o ciclo de envolvimento do países latino-americanos e das pequena ditaduras. Com exportação de corrupção e agora com tecnologia de grandes assaltos. Com isso podemos avaliar o quadro:
    – é bandido o assaltante que mata o proprietário do carro quando roubado,
    – é bandido o traficante que mata o viciado mal pagador da droga,
    – é bandido o assaltante de banco no Brasil e no Paraguai,
    – é bandido o parlamentar que desvia recursos da merenda escolar, dos postos de saúde, para compra de votos, para enriquecimento ilícito, desvios de recursos na aquisição de remédios dos idosos.
    Todos são bandidos, qual a diferença entre eles. E como diz o velho adágio popular ” Bandido bom é bandido morto. Escolha o seu bandido preferido e procure destruí-lo logo, antes que eles derrotem e destruam a sua família. A sociedade continua insegura e desarmada. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*