Empresas querem passagem em R$ 4,75 | Fábio Campana

Empresas querem passagem em R$ 4,75

da Banda B

Um dia após o anuncio de reajuste de 8,72% na tarifa técnica do transporte coletivo, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) divulgou nota nesta quarta-feira (5) informando que o valor de R$ 3,98 é insuficiente para cobrir os custos do sistema. Mesmo com o reajuste no valor da tarifa paga pelo usuário para R$ 4,25, até o momento as empresas recebiam R$ 3,66 para os custos. As empresas defendem que o valor adequado para custear o sistema seria de R$ 4,75.

A tarifa técnica é o valor que a Urbanização de Curitiba (Urbs) repassa para as empresas. O valor é definido através de uma planilha formada a partir dos custos do transporte coletivo. O reajuste na tarifa técnica foi publicado no Diário Oficial de Curitiba nesta terça-feira (4).

De acordo com o Setransp, o valor de R$ 4,75 não significaria valor repassado ao usuário. “O Setransp apoia a criação de novas receitas para custear o serviço, como a municipalização da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico, a chamada Cide Municipal”, dizem as empresas.


5 comentários

  1. Vitor
    quinta-feira, 6 de abril de 2017 – 8:43 hs

    Eleiçãozinha cara essa do seu Greca heim?

  2. Vitor
    quinta-feira, 6 de abril de 2017 – 8:47 hs

    Há de se pensar num recall desse mandato, porque não?

  3. joao
    quinta-feira, 6 de abril de 2017 – 10:48 hs

    Os cidadãos deveriam exigir uma consultoria econômico financeira, a lenda diz que as empresas de transporte é a maior financiadora de políticos, e inexplicavelmente, o povão tem de arcar com custos elevados, visto que é a maior tarifa do pais.
    O monopólio dos transportes públicos fere a lei de licitações, que deveria ser universal, os preços praticados com reajuste de contingênciais embutidos tornam se insuportáveis para os nossos padrões salariais.
    O prefeito fala em tantas tecnologias, modernização, este é o momento oportuno para implantar trens de superfície, similar aos usados no japão. Impossível acontecer enquanto a cidade tiver “donos”

  4. Sou sem noção
    quinta-feira, 6 de abril de 2017 – 10:49 hs

    sugiro R$5,00, assim facilita o troco de quem paga em dinheiro.

    e quando houver reajustes que seja sempre numeros inteiros,

    por ex R$ 6,00, 7,00, 8,00 , 9,00 E O MELHOR R$10,00 QUE PODERIA ESTAR VALENDO JA EM DEZEMBRO DE 2017.

  5. eleitor desmemoriado
    quinta-feira, 6 de abril de 2017 – 16:24 hs

    O que é que as empresas de ônibus querem mais, já não recebem o suficiente para não fazerem nem a manutenção dos ônibus? Hoje viajamos em ônibus caindo aos pedaços, verdadeiras latas velhas pintadas de vermelho, amarelo, verde e cinza e, invariavelmente sujos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*