Projeto de Maria Victoria busca desenvolver turismo no Noroeste | Fábio Campana

Projeto de Maria Victoria busca desenvolver turismo no Noroeste

Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Água, a deputada Maria Victoria protocolou na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei 103/2017, que institui a Rota Turística das Praias Fluviais, contemplando 12 municípios às margens dos rios Paranapanema e Paraná, na região Noroeste.

“O turismo em muitos casos pode ser uma oportunidade de promover a integração e a dinamização local nessa região, oferecendo uma possibilidade de desenvolvimento econômico e de inversão das tendências demográficas”, avalia a deputada na justificativa do Projeto.

A iniciativa pretende estimular a visitação pública, contribuir com a preservação do patrimônio natural e dos recursos hídricos, promover a educação ambiental, desenvolver o ecoturismo e gerar emprego e renda em 12 cidades integrantes da Associação dos Municípios do Noroeste do Paraná (Amunpar) – Jardim Olinda, Paranapoema, Inajá, Santo Antônio do Caiuá, Paranavaí, Terra Rica, Diamante do Norte, Nova Londrina, Marilena, São Pedro do Paraná, Porto Rico e Querência do Norte. Os pontos de visitação serão definidos pelas prefeituras, com o auxílio do Governo do Estado.

Maria Victoria lembra que um dos maiores trunfos do Noroeste do Estado são os seus recursos endógenos, incluindo os patrimônios natural, cultural, histórico e arquitetônico. “O desenvolvimento das praias fluviais na região vem com o incremento da criação de acessos e infraestrutura, como estacionamentos, casas de banho, quiosques de alimentos e bebidas e vigilância”, destaca a deputada.

Outras iniciativas

Não é a primeira vez que a deputada se dedica à causa do turismo fluvial. No dia 6 de março, Maria Victoria protocolou um projeto semelhante, o 71/2017, que pretende desenvolver o potencial turístico de municípios situados nas margens do Rio Iguaçu. E em 16 de junho do ano passado foi sancionada a Lei Estadual 18808, oriunda de outro Projeto apresentado pela deputada, que criou o Corredor das Águas do Paraná e o incluiu no roteiro turístico oficial do Estado, contemplando 52 municípios.

Foto: Divulgação / Prefeitura Querência do Norte


2 comentários

  1. J. Jorge
    quinta-feira, 23 de março de 2017 – 0:53 hs

    Nossa!
    Precisa lei pra isso?
    Brasil piada.

  2. morador do centro
    quinta-feira, 23 de março de 2017 – 7:18 hs

    Nesse mar de lama e projetos de anistia , um projeto visando aproveitar as belezas naturais do Paraná , só pode contar com aprovação dos que amam esse estado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*