Julgamento de Dilma-Temer no TSE começa com disputa por voto | Fábio Campana

Julgamento de Dilma-Temer no TSE começa com disputa por voto

De Brasília, os jornalistas Guribe e Leticia Casado informam que o julgamento da ação que pede a cassação da chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer começa na próxima terça (4) com uma primeira disputa: a tentativa de garantir que o ministro Henrique Neves dê seu voto antes que seu mandato no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) chegue ao fim.

A defesa de Dilma pediu cinco dias de prazo para se manifestar sobre o relatório do ministro Herman Benjamin, relator do processo, que concedeu 48 horas para tanto.

O relatório é uma espécie de resumo do processo, sem juízo de valor.

O pedido da ex-presidente será analisado na abertura do julgamento de terça. Se os ministros do TSE entenderem que os cinco dias solicitados são necessários, a sessão será suspensa, impedindo que o relator apresente seu voto sobre o mérito da ação.

Neves faz sua última participação como ministro do TSE na sessão de 6 abril, quinta-feira. Seu mandato acaba dez dias depois e ele será substituído pelo advogado Admar Gonzaga, indicado por Temer.

Nos bastidores, a expectativa é que Neves acompanhe Herman Benjamin, que deve votar pela cassação da chapa presidencial.

Os aliados de Temer apostam na posição de Gonzaga contrária ao relator e torcem para que Neves fique de fora da votação.


Um comentário

  1. eleitor desmemoriado
    quinta-feira, 30 de março de 2017 – 14:25 hs

    kkkk a defesa da infeliz quer é ferrar com a mesma, sabe que um dos votos garantidos a favor dela caiam nas mãos de um voto seguramente contra ela? Pedir cinco dias para ler o tal relatório é pedir para piorar uma situação já ruim. Todo mundo sabe como o relator vai votar e, vai votar não só contra a infeliz mas contra o presidento também. Este deve estar dando graças a Deus apesar de não acreditar nele. Quem sabe, o Homem pode existir.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*