Greca é o denominador comum das greves | Fábio Campana

Greca é o denominador comum das greves

Antes da atual a greve, que está no sétimo dia, em 1994 houve oito dias de paralisação, as mais longas da cidade. E o denominador comum nesta história é Rafael Greca, também prefeito 23 anos atrás. Curitiba tem hoje a maior tarifa entre as capitais brasileiras e mesmo assim, ao que tudo indica, não é suficiente para garantir um bom transporte e evitar greve no setor. Com informações da Gazeta do Povo.


3 comentários

  1. Petista
    terça-feira, 21 de março de 2017 – 12:58 hs

    – QUE SAUDADE DO FRUET E, PRINCIPALMENTE, DA COMPANHEIRA MIRIAN!!! ÉRAMOS FELIZES E SABÍAMOS!!!

  2. medonho
    terça-feira, 21 de março de 2017 – 18:56 hs

    Essa história já virou coisa de calendário todos os anos se repetem….parece até coisa combinada.
    Pois bem, Curitiba já está esquematizada, canaletas definidas, contratar os japoneses e implantar metros de superfície, visto que lá no japão não são subterraneos. Vamos acabar com esta máfia, esta “briga”.
    Não justifica o valor atual da passagem, até no japão é mais barato. Lá quem anda mais paga mais, enquanto no Brasil, brasileiro bonzinho o preço é metropolitano e o curitibano sifo.

    Não existinto necessidade de cobradores e nem motoristas o sistema seria automatizado, talvez a única exceção seria algumas linhas pra interligar aos terminais, mas que estariam dentro do pacote. Chega dos mesmos, mais de 60 anos….

    PRIVATIZAR COM REGULAMENTAÇÃO PÚBLICA
    Vamos criar títulos empresariais de transporte, a industria, o comercio, serviços seriam detentores do sistema, e não a prefeitura. Nem uma empresa teria interesse de ver o funcionário faltar por paralização do transporte. Uma questão de bom censo. Todos ganhariamos.

    Temos que desapegar de interesses mesquinhos e financiamentos de políticos que não querem perder a boquinha.

  3. eleitor desmemoriado
    terça-feira, 21 de março de 2017 – 20:29 hs

    kkkk saudades do palerma, ficou doido, o cara era um imbecil. Prefiro as greves dos ônibus e da professorada municipal do que aquele xororô permanente daquele palerma. Passou 4 anos só reclamando dos outros e chorando, não sei de onde tirava tanta lágrima.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*