PR tem maior índice de praias próprias para banho no país | Fábio Campana

PR tem maior índice de praias próprias para banho no país

0502 praias parana

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo neste domingo (05), mostra que o Paraná tem o maior índice de praias próprias para banho no Brasil. Segundo o levantamento, 98% das praias monitoradas no estado são consideradas “boas”, em uma classificação que vai de “boa” a “péssima” . Uma praia é considerada própria se não tiver registrado mais de 1.000 coliformes fecais para cada 100 ml de água na semana de análise e nas quatro anteriores. O estudo seguiu as normas federais para medir a qualidade das águas.

Curiosamente, os Estados com maior índice de praias boas são dois dos que têm o litoral menos conhecido: PR (98% de praias boas) e RS (95%). No Paraná, com exceção da Praia da Ponta da Pita, em Antonina, com balneabilidade considerada “péssima”, todas as outras praias no estudo – localizadas em Guarutuba, Matinhos, Paranaguá e Pontal do Paraná – foram consideradas “boas” para banho.

Três em cada dez praias brasileiras ficaram impróprias para banho por mais de três meses ao longo de 2016. Entre esses pontos, 42% foram classificados como “bons” ou “ótimos” para banho, 29% estavam “regulares”, e 29%, “ruins” ou “péssimos” por mais de três meses no ano.

No Rio, a maior concentração de praias sujas está na região da baía de Guanabara, cuja superfície de cerca de 400 km abrange vários municípios. Quase todas as praias banhadas por essas águas têm balneabilidade “péssima”, devido ao despejo de esgoto. Entre elas estão cartões-postais, como Botafogo e Flamengo, com vista ao Pão de Açúcar.

Em São Paulo, Ilhabela, um dos destinos mais visitados do litoral paulista, teve apenas 7 das 18 praias próprias no ano passado inteiro. Apenas 28% da população da cidade está conectada à rede de esgoto. Entre as capitais nordestinas, São Luís é a de pior situação: todas as 16 praias foram consideradas “péssimas”. A situação é menos pior em Salvador. Das 37 praias avaliadas, 20 são “ruins” ou “péssimas”, 12 são “regulares” e cinco são consideradas “boas”


6 comentários

  1. Sergio Silvestre
    domingo, 5 de fevereiro de 2017 – 16:45 hs

    98% das praias do PARANÁ não tem banheiros químicos,se quiser fazer o serviço tem que fazer na água,os banhistas do Parana descem a maioria para Santa Catarina,os restaurantes das praias paranaenses só tem aventureiros de temporada,comida ruim,atendimento péssimo e caro,quem quer ver a prova do que eu estou falando desce ai na divisa uns km até são Francisco,e visitem Enseada e notem a diferença,

  2. paulo
    segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017 – 10:53 hs

    Pudera, pois nossa costa marítima só é menor comparada com a do Piaui

  3. segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017 – 12:53 hs

    O SÉGIO SILVESTRE….VAI MORAR LÁ ENTÃO E PARE DE DESFAZER AS NOSSAS PRAIS QUE SAO AS MAIS LIMPAS DO BRASIL…..TÁ COM IINVEJA SÓ PODE SER;;;;;;;;;;;;

  4. Dionleno Silva
    segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017 – 13:32 hs

    O Paraná tem litoral?

  5. Aguirre
    segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017 – 15:04 hs

    Se o índice não for devido a uma intervenção divina, uma hipótese a considerar é o menor número de frequentadores em nosso litoral devido a seu menor apelo em relação às praias de outros estados.
    Outra hipótese poderia ser á menor produção de coliformes fecais do banhista paranaense.
    Que se manifestem os estatísticos para dirimirmos dúvida tão angustiante.

  6. Carlos Ronasi
    terça-feira, 7 de fevereiro de 2017 – 20:38 hs

    E Santa Catarina que tem otimas Praias, não se fala nada , porque ???

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*