Jucá, o foro especial e a suruba! | Fábio Campana

Jucá, o foro especial e a suruba!

suruba

Ricardo Noblat

O que disse o senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Congresso, ao comentar a proposta de restringir o foro especial de políticos somente para crimes cometidos no exercício do mandato eletivo:

– Se acabar o foro, é para todo mundo. Suruba é suruba. Aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada.

Suruba, segundo o Dicionário Aurélio, quer dizer orgia sexual, com a participação de mais de duas pessoas. Ou uma grande confusão.

O comentário de Jucá não dá margem a confusão: ele comparou o foro especial, que garante a políticos e magistrados o direito de só serem julgados pelas mais altas instâncias da Justiça, a uma orgia sexual.

E não somente a uma modesta orgia sexual com três ou quatro ou meia dúzia de pessoas: a uma orgia sexual de grandes proporções. Mais de 20 mil pessoas no Brasil desfrutam do privilégio do foro especial.

Numa suruba não se distingue entre parlamentares e juízes, por exemplo. Por que o direito ao foro especial deveria distinguir? Esse é o cerne da questão levantada por Jucá. E ela faz todo o sentido, sim.

A proposta de restringir o foro de políticos nasceu no Supremo Tribunal Federal, ali atraiu adeptos, mas dali transbordou para os jornais e começou a incomodar principalmente deputados e senadores alvos da Lava Jato.

Como justo neste momento quando eles mais se sentem ameaçados e imploram por proteção, fala-se em deixá-los ao desamparo, salvo nos casos de crimes cometidos no exercício do mandato?

E os crimes passados? E os crimes que possam cometer e que nada tenham a ver com o exercício do mandato? Assim não é possível. Ou nos locupletamos todos ou restaure-se a moralidade.

Como a tarefa de restaurar a moralidade levará muito, muito tempo; como ninguém tem a garantia de que ela será restaurada um dia, então que todos, por ora, se locupletem.

Não posso dizer que Jucá pensa assim. Quero acreditar que ele é um dos arautos da moralidade dentro do Congresso. Ou pelo menos da moralidade dentro do atual Congresso.

Mas quando Jucá compara foro especial com suruba, dá margem a todo tipo de confusão.

(foto: arquivo/google)


3 comentários

  1. Juca
    terça-feira, 21 de fevereiro de 2017 – 10:23 hs

    Senador Romero Jucá fala em tom depreciativo do foro privilegiado qualificando-o como suruba. Senador, não seja tão cruel consigo mesmo pois Vossa Excelência tem grande probabilidade de ter sido gerado numa delas! Atenciosamente, um eleitor brasileiro envergonhado por ter na política gente asquerosa como o senhor.

  2. Cordeiro&Leão
    terça-feira, 21 de fevereiro de 2017 – 10:59 hs

    O nível deste Sr. é muito baixo.

  3. PitBull
    terça-feira, 21 de fevereiro de 2017 – 11:51 hs

    NOJO NOJO NOJO

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*