Gaeco na segunda fase da Operação Riquixá | Fábio Campana

Gaeco na segunda fase
da Operação Riquixá

O Gaeco realizou hoje a segunda fase da Operação Riquixá, que investiga fraudes em licitações do transporte coletivo em cidades do Paraná. Policiais cumpriram 26 mandados em Curitiba, Guarapuava e Campo Largo, sendo 10 de condução coercitiva e 16 de busca e apreensão.

Das conduções coercitivas, duas foram de pessoas ligadas a um escritório de advocacia, três contra ex-servidores públicos de Guarapuava e cinco contra empresários ligados a um grupo de transporte coletivo. Os mandados foram cumpridos em um escritório, sete empresas e nove residências.

O Ministério Público do Paraná denunciou 22 pessoas investigadas na primeira fase da operação. Entre elas, o ex-prefeito do município, Luiz Fernando Ribas Carli; a ex-secretária de Administração; o ex-diretor do departamento de licitações da prefeitura; além de dois ex-assessores e dos donos da concessionária que comanda o transporte coletivo em Guarapuava, a Pérola do Oeste. Também foram denunciados dois advogados e sócios de empresas especializadas em engenharia de transportes. Entre eles, o advogado Sacha Reck, preso por fraude. De acordo com o MP, eles seriam os operadores do esquema em Guarapuava e em outros municípios.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*