Eleições 2018: "Devagar com o andor", diz Osmar Dias | Fábio Campana

Eleições 2018:
“Devagar com o andor”, diz Osmar Dias

OSMAR DIAS ABRIL 2011

Artigo de Celso Nascimento, na Gazeta do Povo

Aumenta a aflição dos que querem se juntar a Osmar Dias e dele recebem nada do que seja uma simples e cordial atenção. Pré-candidato à sucessão paranaense em 2018 e até agora considerado imbatível em relação aos demais pretendentes, o ex-senador do PDT mantém a promessa de que só vai tratar de alianças depois de aclarado o quadro político-partidário no país. Isto é, segundo calcula, só a partir de maio.

Os mais aflitos se dizem representantes da ala do governador Beto Richa. Tucanos amestrados e também empenhados em salvar a própria pele, têm feito romaria no escritório político dele, perto do Centro Cívico. Mas não são os únicos nem os menos frequentes. Dirigentes de outros partidos que não vislumbram possibilidade de montar a própria chapa oferecem suas fatias de tempo de propaganda na televisão como moeda de troca – troca por posições na chapa de Osmar Dias e de cargos na administração após eventual vitória.

Numa roda informal de amigos e jornalistas, Osmar apontou dia destes outros fatores para justificar sua falta de pressa em escolher aliados. Um dos critérios diz respeito à peneira da Lava Jato, que pode vir a ser alimentada com nomes importantes da política paranaense após levantado o sigilo das megadelações da Odebrecht. “Quem não passar pela peneira estará fora”, diz ele.

Também não quer carregar e absorver rejeições alheias. Políticos desaprovados pela opinião pública e sem chance de alçar voos independentes também estariam afastados da montagem das alianças que fatalmente precisará fazer. Os que sobrarem do pente fino só participarão da ceia se se comprometerem com o programa de governo e com os métodos que pretende imprimir para recuperar a perdida capacidade de desenvolvimento do estado. Osmar diz já ter pago o preço de duas derrotas em disputa pelo governo (2006 e 2010) em razão dos vínculos que firmou e que não foram compreendidos pelo eleitorado.

Outro obstáculo que diz ser ainda necessário superar para construir sua campanha é a reforma político-partidária, em debate no Congresso. O desaparecimento de algumas siglas e a fusão de outras tendem a mudar a paisagem. E será apenas após a definição do novo cenário que será possível pensar nos arranjos políticos – como escolher os candidatos a vice e a senador em sua chapa.

Único compromisso que diz já ter firmado é de apoiar o irmão senador Alvaro Dias, candidato a presidente da República pelo PV – recíproca já anunciada por Alvaro, que também compartilha a ideia de ser desaconselhável a companhia de políticos de má-fama. Por isso mesmo, preferiu deixar o PSDB – partido no qual gozava de proeminência – para se filiar ao pequeno Partido Verde.

Osmar refuta a suspeita de que, outra vez, esteja se comportando como um político indeciso, que só define o jogo nos últimos segundos da prorrogação. Contesta: “Fui o primeiro a anunciar minha candidatura, com dois anos de antecedência. Por isso mesmo não preciso ter pressa para decidir rumos que não dependem de mim. É preciso ir devagar com o andor”.


9 comentários

  1. JOHAN
    sábado, 18 de fevereiro de 2017 – 16:14 hs

    Caro FÁBIO, pelas declarações do pretenso candidato OSMAR, onde ele afirma algumas das medidas que necessita ver aprovadas para entrar no processo eleitoral, sendo 1° – a reforma política, e baseado nela ver o que sobrará; 2° – A peneira da Lava Jato, ver o que sobrará; 3° – A oferta dos partidos e parlamentares, que desaparecerão, por tudo isso e ainda mais, pois os parlamentares com mandato, não possuem mais qualquer credibilidade com o eleitorado, e isso pode ser verificado nas redes sociais, onde o eleitorado afirma “que os atuais parlamentares não nos representam”. 4° – Ouvir o presidente da ALEP – TRAIANO, que deseja acabar com senadores e deputados federais, abrindo caminho direto com o presidente, de acordo com sua proposta. . Dessa maneira toda a precaução é oportuna. Ouvir parlamentar cantar ” é o canto da sereia”, nenhum morre abraçado com o candidato. Eles não sabem o que falam, desejam apenas garantir o seu espaço no próximo governo. Atenciosamente.

  2. eleitor desmemoriado.
    sábado, 18 de fevereiro de 2017 – 22:20 hs

    Faz bem urtigão, cueca de seda morre só de pensar que um dia pode deixar de ser, cueca de seda. Então fique firme e deixe este povo acostumado a só mamar deitado desesperado, sem dormir.

  3. SOLANGE LOPÉS
    domingo, 19 de fevereiro de 2017 – 10:28 hs

    Pobre Paraná. As opções que sobraram, Greca na Prefeitura e Osmar para o Governo do Estado. Cheiro de ranso no ar. Precisamos de novas lideranças, gente nova, sangue novo.

  4. Petista
    domingo, 19 de fevereiro de 2017 – 10:58 hs

    – OSMAR É UM BOM CANDIDATO!!! HÁ UMA TENDÊNCIA QUE NOSSO PARTIDO NÃO LANCE CANDIDATO A GOVERNADOR DO PR EM 2018, PARA DAR MAIS FORÇA À CANDIDATURA DE OSMAR, POIS ESTE SEMPRE FOI UM COMPANHEIRO LEAL QUE TIVEMOS NO PDT!!

    – MAS, É CERTO TAMBÉM, QUE NÃO O APOIAREMOS FORMALMENTE NO 1º TURNO, SÓ NO 2º TURNO (SE É QUE ELE JÁ NÃO SE ELEGE NO 1º) PARA NÃO ATIÇAR A DIREITA!!

  5. Marco aurflio
    domingo, 19 de fevereiro de 2017 – 11:26 hs

    Se o senador Álvaro Dias vier candidato a presidência! O meu voto é dele.

  6. sergio
    domingo, 19 de fevereiro de 2017 – 12:02 hs

    Pô meu, já tem governista se garantindo?

    O Beto vai apoiar quem? Um dia é
    a Cida, no outro é o Ratinho e agora é o
    Osmar;

    O Osmar vai mesmo ser candidato ou se
    aparecer uma boquinha ele abre mão?

    É nosso Paraná vai continuar uma porcaria
    pois o nível dos nossos políticos é uma
    lastima.

  7. Jotinha
    domingo, 19 de fevereiro de 2017 – 20:42 hs

    Sei lá, mas acho que sai Osmar para o Governo e com grandes chances de ser eleito, inclusive no primeiro turno; para o Senado sai Richa e Ratinho também ambos com grandes chances de serem eleitos; aí sobra uma vaga de vice, não sei quem vai negociar e os demais é pra Deputado mesmo; aí tiramos o urtigão e a beiby paraguaia, kkkk

  8. morador do centro
    segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017 – 8:27 hs

    O Beto vai ficar em cima do muro, que todos trabalhem para ele chegar ao senado. Precisamos testar Osmar no governo, chega de quase, embora tenha minhas dúvidas de um bom governo frente ao perfil dos pendurados nos governos passados, ele tem posições firmes que provavelmente atrapalharão interesses diversos existentes no balaio do atual governo. Mas precisamos contar com novos nomes!

  9. Dionleno Silva
    segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017 – 9:09 hs

    Para o Osmar ter uma vitória certa e no primeiro turno, basta sair desse partidinho podre que virou puxadinho do pt.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*