Decisão sobre preço da passagem de ônibus de Curitiba pode sair hoje | Fábio Campana

Decisão sobre preço da passagem de ônibus de Curitiba pode sair hoje

A prefeitura de Curitiba espera para esta quinta-feria,16, a decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) sobre o preço da passagem de ônibus de Curitiba, que entrou com um pedido de liminar para anular a determinação do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) para suspender o aumento da tarifa de R$ 3,70 para R$ 4,25. Para esta quinta também está agendada a reunião do pleno para homologar a medida cautelar expedida na última segunda-feira, 13, pelo TCE-PR suspendendo o aumento. A cautelar foi expedida pelo conselheiro Ivan Lelis Bonilha, relator do processo que analisa do Transporte Coletivo de Curitiba e Região Metropolitana. As informações são do Bem Paraná.

Nesta quarta-feira, 15, o presidente da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), José Antonio Andreguetto, disse que tarifa técnica paga às empresas de ônibus de Curitibapode chegar a R$ 4,31. Andreguetto participou, de uma reunião com vereadores de Curitiba, e respondeu a questionamentos sobre o valor da passagem e do impasse com o Tribunal de Contas do Estado do Paraná TCE-PR).

Atualmente a tarifa técnica está em R$ 3,66. Desde o dai 6 de fevereiro a passagem para o usuário custa R$ 4,25. Na segunda-feira o TCE, por meio de medida cautelar, ordenou que a Urbs baixasse a passagem para os antigos R$ 3,70. A Urbs está recorrendo.

Questionado sobre o porquê de “antecipar” o aumento, que geralmente acompanhava a revisão da tarifa técnica contratual, no fim de fevereiro, o presidente da Urbs disse que a prática não era uma imposição. “Hoje a tarifa técnica está em R$ 3,66, então (com a diferença) fazemos uma reserva de recursos para quando ela chegar em R$ 4,31 (e estiver acima do valor da passagem)”, justificou.

Andreguetto defendeu a estratégia e confirmou ter feito um pedido de reconsideração ao Tribunal de Contas do Estado, que determinou a suspensão do aumento. “Não se trata de afrontar (o TCE), mas de buscar o que julgamos correto”, disse, sem descartar medidas judiciais. O Pleno do TCE tem a cautelar contra a Urbs na pauta de hoje.

Nesta quinta, também acontece uma mesa redonda entre morotistas e cobradores e o sindcato patronal. Urbs e Comec também foram convidadas. O encontro tenta mediar o acordo trabalhista da data base da categoria, vencida no dia 1º de fevereiro. Os motoristas e cobradores pedem 15% de reajuste, justificando perdas antigas. O salário de motoristas e cobradores representa mais de 50% da tarifa paga pelo usuário.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*