Colaborador da Lava Jato é encontrado morto | Fábio Campana

Colaborador da Lava Jato é encontrado morto

Colaborador nas investigações da Operação Lava Jato, o uruguaio Carlos Díaz foi encontrado morto pela mulher na piscina de sua casa, na noite do último sábado (25), em Punta del Leste, informa a Folha de São Paulo. Díaz, chefe do órgão Uruguai responsável pelo combate de crimes de lavagem de dinheiro, havia se comprometido a colaborar com as autoridades envolvidas na Lava Jato. Recentemente, ele chegou a oferecer as instalações da secretaria aos procuradores brasileiros.

Segundo fontes oficiais ouvidas pelo periódico “El País”, a polícia não encontrou indícios de atos de violência na casa do secretário.

A autópsia realizada no corpo de Díaz indicou morte por afogamento, mas uma série de perícias em laboratório ainda serão realizadas, informou o juiz responsável pelo caso, Marcelo Souto, ao jornal uruguaio.

As autoridades que atuam na apuração trabalham com a hipótese de que o afogamento tenha sido precedido por um desmaio ou infarto.

Desde 2010, Díaz comandava a Secretaria Nacional Para a Luta Contra a Lavagem de Ativos e o Financiamento do Terrorismo do Uruguai e comandou investigações contra organizações criminosas que tiveram grande repercussão no país, de acordo com a imprensa local.

A apuração da Lava Jato mais recente que cita operações no Uruguai é aquela relativa ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB). Ele movimentou recursos no Uruguai e outros cinco países, em dez contas no exterior, apontou o Ministério Público Federal brasileiro.

Com informações Folha de São Paulo


Um comentário

  1. Pirado
    segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017 – 13:18 hs

    Bem si vê qui os bolivarianu num brinca em selvício!!! Eles suicidam os inimigo, e tamo conversado!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*