É tudo fofoca, diz Ratinho Junior | Fábio Campana

É tudo fofoca, diz
Ratinho Junior

ratinho-junior2

O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior (PSD) negou que intenção de deixar o governo Beto Richa. A saída dele foi aventada por aliados depois que um decreto baixado logo após as eleições municipais de 2016 tirou autonomia da Pasta ao estabelecer que qualquer convênio ou repasse de recurso para municípios tem que passar pelo governador.

Ratinho Jr atribui as especulações sobre sua saída a “fofoca” em razão das articulações para as eleições de 2018. O secretário é um dos pré-candidatos ao governo do Estado. Outro nome da base política de Richa já colocado para a sucessão é o da vice-governadora Cida Borghetti (PP), mulher do ministro da Saúde e deputado federal licenciado Ricardo Barros (PP). As informações são do Bem Paraná.

“A gente interpreta isso mais como uma fofoca de bastidor política. Nesse momento já se discutindo eleição em 2018 – que também é muito cedo – é natural que vários grupos políticos comecem a se posicionar e até fomentar um certo volume de fofoca”, afirmou o secretário.

O decreto foi editado por Richa quatro dias após as eleições municipais. Em Curitiba, Ratinho Jr apoiou a candidatura do deputado estadual Ney Leprevost (PSD), derrotado no segundo turno por Rafael Greca (PMN), candidato do governador. Na época, Richa chegou a reclamar publicamente das críticas que Leprevost fez a seu governo durante a campanha, chamando a atenção de Ratinho Jr e do ex-chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD). Apesar desse episódio, o secretário garante que não há qualquer problema entre ele e o governador.

“O relacionamento com o governador é muito bom. Nossa bancada faz parte da base. Então eu acredito que isso é muito mais murmúrio político de bastidor, de fofoca, do que de fato qualquer tipo de problema de relaciomento”, assegura.

Segundo Ratinho Jr, o decreto não lhe causou constrangimento pois vale para todas as secretarias. Ele admitiu que pode se desincompatibilizar para disputar as eleições de 2018, mas que isso não é uma preocupação do momento. “Não posso dizer em que momento. Até porque também cabe muito ao governador tomar qualquer tipo de decisão. O que posso dizer é que estou muito animado com a secretaria, continuo trabalhando bastante. Então eu vou continuar o meu trabalho. Acho que enquanto eu estiver prestando um bom serviço na secretaria e ajudando o meu Estado essa é a minha missão”, aleogu. “Se em algum momento tanto eu quanto o próprio governador entender que isso precisa de um novo desafio a gente vai reavaliar e conversar pessoalmente”, disse o secretário.

Richa também negou intenção de promover mudanças no secretariado nesse momento. Não tem nenhuma previsão de mudança nesse momento. Sempre que há necessidade eu não tenho dificuldades em fazer as mudanças”, afirmou. “Eu digo sempre que o resultado da minha administração passa pelo bom desempenho de cada um dos secretários. Então com essa questão eu não brinco. Havendo necessidade de mudanças eu faço. Mas no momento não há nenhuma previsão de mudança de secretariado”, disse o governador.


Um comentário

  1. João Luiz
    quarta-feira, 18 de janeiro de 2017 – 9:41 hs

    Isso é coisa de alguns blogs e de alguns jornalistas por aí que ficam querendo colocar a discórdia em tudo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*