Destaque internacional é meta para Curitiba, diz Rodolpho Zannin Feijó | Fábio Campana

Destaque internacional é meta para Curitiba, diz Rodolpho Zannin Feijó

zannin

Referência em transporte, gestão do lixo e urbanismo, Curitiba quer voltar a reforçar laços com organismos internacionais. A afirmação é do novo assessor de Relações Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Zannin Feijó. “Precisamos nos reconectar com a agenda global de desenvolvimento”, diz ele.

Com a aproximação, benefícios podem surgir para a cidade. “A Organização das Nações Unidas (ONU), por exemplo, desenvolve diversos programas de capacitação para que municípios possam receber e gerenciar recursos internacionais”.

Entre diversas possibilidades práticas, o assessor lembra que instituições financeiras internacionais, como o Banco Mundial, e grandes empresas multinacionais, preveem em seus orçamentos investimentos em iniciativas de desenvolvimento sustentável e inovação. “Logicamente, esses recursos serão destinados àqueles programas que apresentam melhor estrutura e reconhecimento. A participação destas organizações, portanto, é uma ótima maneira de chancelar o que temos”, conclui.

Inovação

Inovação deve ser um dos pontos fortes da gestão do prefeito Rafael Greca, segundo Feijó. “O prefeito é uma pessoa com uma mentalidade global. Até por isso recebeu o Prêmio Mundial do Habitat, em 1996, da ONU”, diz. “Também é muito importante destacar o compromisso de Curitiba com novas energias, que foi simbolizada através da ida do prefeito à posse no ônibus elétrico.”

Projetos como o Vale do Pinhão mostram esse potencial, de acordo com a sua visão. “Iniciativas como essa devem contribuir para o desenvolvimento de Curitiba e é nossa intenção que o mundo tome conhecimento disso. Existem exemplos muito interessantes no quesito inovação, como o Vale do Silício, nos Estados Unidos, Cingapura e Alemanha. Vamos procurar esses atores”, revela.

Cidades-irmãs

O assessor de Relações Internacionais da Prefeitura pretende ainda recuperar o sentido real do status de cidades-irmãs. O assessor acredita que a relação de Curitiba pode ir muito além de convênios simbólicos. “Através dos pactos de irmandade, diversos outros acordos de cooperação técnica e parcerias podem surgir em âmbito comercial e cultural.”

Relações Internacionais

Rodolpho Zannin Feijó é mestre em Políticas Públicas pela Universidade das Nações Unidas (ONU), com especialização em Governança Multinível e Integração Regional.

Após a graduação em Maastricht, Holanda, assumiu a posição de articulador regional do Programa Cidades do Pacto Global das Nações Unidas (UNGCCP) no Brasil.

É Bacharel em Comunicação Social e em Engenharia de Áudio, esta última pela Universidade Central de Lancashire, na Inglaterra. Também presidiu a Sociedade Unicef no câmpus da universidade, onde recebeu, em 2013, o Prêmio Conquista Especial pela Futureworks School of Media.

Além de ter sido Coordenador da Anistia Internacional em Manchester para assuntos da América Latina, foi agraciado em premiações universitárias das Universidades de Manchester e Cambridge, na Inglaterra.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*