Osmar Dias resiste à sedução | Fábio Campana

Osmar Dias resiste
à sedução

osmar-dias1

Celso Nascimento, na Gazeta do Povo

A infalível sabedoria popular diz que a pressa é inimiga da perfeição. Assim, como diziam os habitantes do Lacio, “in medio stat virtus” – a virtude está no meio, nem muito à terra nem muito ao mar; nem rapidez demasiada nem excessiva vagareza.

Escolado por duas eleições perdidas para o governo do estado (2006 e 2010) porque teria demorado muito para se decidir, o ex-senador Osmar Dias, em 2016, agora apenas observa a afoiteza dos que o procuram oferecendo apoios e propondo alianças para a disputa de 2018. Candidato que atualmente aparenta reunir as melhores condições para viabilizar uma candidatura forte, Osmar diz não terem sido poucos os convites para deixar o PDT e ingressar no PMDB. Michel Temer, cacique nacional do partido, tem sido um dos mais insistentes.Nota-se também grande agito no grupo ligado ao governador Beto Richa, tucano que tem no PSB um “puxadinho” fiel. Esta semana, o presidente estadual socialista Severino Araújo abriu as portas da legenda a Osmar.

A carta-convite que Severino endereçou foi subscrita também pelos seis deputados estaduais que se rebelaram contra o tacão despótico do presidente estadual do PMDB, Roberto Requião, e se filiaram ao PSB. Romanelli (líder do governo), Alexandre Curi, Stephanes Jr., Jonas Guimarães, Tiago Amaral e Artagão Jr. (atual secretário da Justiça) – todos eles com ligações umbilicais com o Palácio Iguaçu – agora partilham da mesma opinião: “Osmar é um homem íntegro, um político que honrou os mandatos que teve como senador e acreditamos que é o mais preparado para ser governador”.

Não é exatamente o que diziam e pensavam de Osmar quando ele foi adversário de Richa na campanha de 2010. Convenientemente, não viam nele tantas virtudes quanto as que agora enumeram para seduzi-lo, com a evidente intenção de, em contrapartida, garantir mais tranquilidade para a eleição do governador ao Senado.

Osmar Dias vê com naturalidade estas aproximações entre contrários. “É da política”, diz ele. Sem pressa nem vagareza, recebe os convites mas não confirma a aceitação. Como ainda há muita água para correr debaixo da ponte, deu-se um tempo que considera razoável para responder e iniciar negociações: nada decidirá antes de comemorar seu próprio aniversário em 10 de maio.

Até lá, estarão na pauta nacional fatores determinantes para desenhar alianças . A situação política e econômica do país, assim como o desaparecimento de grande parte dos atuais partidos a serem vitimados por cláusulas de barreira, devem entrar nas cogitações que necessariamente antecedem o período de campanha. Sem contar a própria realidade estadual no próximo ano.

O candidato não alimenta ilusões: não chegará ao Palácio Iguaçu se não fizer alianças partidárias, mas afirma que vai repelir qualquer oferta de apoio em troca de cargos e/ou outras vantagens. “Quem quiser subir no meu palanque deverá estar comprometido com o modelo de administração que vou propor aos paranaenses”, afirma. “Todo mundo sabe que a população quer educação, saúde e segurança melhores, obras de infraestrutura, etc. A questão que se impõe é como fazer isto acontecer, o que significa escolher um novo modelo de gestão, fazer diferente e melhor.”


6 comentários

  1. Flávio Luiz
    quinta-feira, 15 de dezembro de 2016 – 15:31 hs

    O loco PMDB , que diferença faz do PT ? Aí não da né Senador…

  2. JOHAN
    quinta-feira, 15 de dezembro de 2016 – 16:47 hs

    Caro FÁBIO, para um agente político que esteve na geladeira nos últimos 08 anos servindo a ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA, como dirigente, é prematuro qualquer avaliação, visto que como será a avaliação dos eleitores, tendo em vista que estão escolados com profissionais desse perfil. Os eleitores estão receosos, possuem tempo para assumir qualquer candidatura nesse momento, e nomes do PT, PMDB, PDT como dirigentes no executivo, a sociedade tem visto inúmeros nas penitenciárias, que estão reclusos e os ainda a entrarem. .É temerário. A sociedade espera candidatos novos, sem vícios, sem experiência em desvios, sem compromissos com grupos econômicos. Atenciosamente.

  3. Nosferatu
    quinta-feira, 15 de dezembro de 2016 – 18:30 hs

    Tá certo urtigão, fica na tua e poupa o lombo de mais lambadas.

  4. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 15 de dezembro de 2016 – 22:48 hs

    Que saia pelo PSB. Pelo PMDB, colecionará a terceira derrota. Aberto para apostas.

  5. LENZA TOLEDO
    sexta-feira, 16 de dezembro de 2016 – 10:32 hs

    O.D. – Se estava na geladeira deveria agora ir para o freezer, junto com o partido político que defende(PT).

  6. Luiz Antonio
    sexta-feira, 16 de dezembro de 2016 – 15:26 hs

    Há cerca de 9, 10 anos virou um “baba ovo” do Lula e sua trupe de canalhas. Agora que a vaca foi pro brejo, já está arquitetando uma forma de babar o ovo de outro (certamente de quem der mais).

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*