Moro fala diante de investigados na Lava Jato e é aplaudido pelo Senado | Fábio Campana

Moro fala diante de investigados na Lava Jato e é aplaudido pelo Senado

moro

Quando Sergio Moro chegou ao Senado, no fim da manhã desta quinta-feira (1), trocou poucas palavras com o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e falou diante de uma plateia de senadores, muitos deles investigados na Operação Lava Jato.

Romero Jucá (PMDB-RR), Edison Lobão (PMDB-AM), Lindbergh Farias (PT-RJ) e o próprio Renan, todos alvos de inquéritos na investigação do esquema de corrupção da Petrobras, assistiram às críticas de Moro ao projeto de abuso de autoridade, de autoria do próprio presidente do Senado, que terminaram em aplausos dos parlamentares. As informações são da Folha de S. Paulo.

Um dos mais ferrenhos críticos a Moro, porém, Fernando Collor (PSC-AL) não estava presente durante a fala do juiz, e Ciro Nogueira (PP-PI), também investigado na operação, preferiu o café do Senado, anexo ao plenário, pouco antes da sessão começar.

Sentado à esquerda de Renan, com quem interagiu apenas protocolarmente, Moro disse que era preciso “preservar o agente da lei”, de juízes e promotores a policiais, de serem “punidos por uma interpretação errada de uma lei de abuso de autoridade”. Segundo Moro, a aprovação da medida poderia “tolher investigações e persecuções penais”, inclsuive a Lava Jato.

O juiz também questionou o pacote anticorrupção aprovado na madrugada de quarta-feira (30) pela Câmara que, segundo ele, foi desconfigurado pelos deputados –as dez medidas haviam sido propostas pelo Ministério Público Federal no início do ano, mas somente uma delas foi mantida na íntegra.

Durante todo o discuso de Moro, Renan permaneceu impassível, acenando positivamente com a cabeça apenas quando o juiz se dirigia a ele, especificamente. E foram poucas vezes.

Pouco antes, ainda durante a fala de um juiz de São Paulo também contrário ao projeto de Renan, Moro e o presidente da Casa também evitavam se encarar.

Moro falava com o relator do projeto, senador Roberto Requião (PMDB-PR), que não é investigado na Lava Jato mas já foi citado em delações de executivos envolvidos no esquema, e mal olhava para Renan.

‘ESCUSAS’

Moro fez um discurso rápido, com postura empolada, utilizando-se de palavras como “escusas”, mas derrapando em outras, mais simples.

O juiz falou diversas vezes em “Câmera” para se referir à Câmara dos Deputados, confundiu “célere” com “célebre” e disse “cervo” quando queria dizer “servo” em outro ponto de suas colocações.


4 comentários

  1. Pedro Mota
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2016 – 15:31 hs

    Resumindo caro jornalista que eu respeito muito ..
    O MP e os magistrados tem medo do que ??
    Já quem aplica às leis são eles ué
    E eles não são cidadãos como qualquer outro….?? A lei não é para todos ?? Então a lei tem que ser aprovada sim…. E quem não deve não teme , e quem não comete abusos também não tem o que temer …então vamos ser a favor da lei e a lei tem que ser aprovada

  2. medonho
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2016 – 16:20 hs

    Moro representa a figura estranha aos habitos de um segmento que era considerado imune e apenas tinham os benefícios da lei. Portanto, diante da mudança querem impor o inexistente abuso de autoridade.
    Estão na grande verdade contra a operação LAVA JATO, uma revolução para um sistema de CORONELISMO e dos que acham donos do poder.

  3. jATLETICANO
    quinta-feira, 1 de dezembro de 2016 – 23:02 hs

    o pedro motta pare com isso rapaz. O MP e Magistrados , por exemplo, eles estão investigando quem cometeu corrupção ou quem não deve nada? até agora o Brasil só viu que foram incomodados os que fizeram a coisa errada então, você acha que tem que facilitar para quem fez coisa errada e prejudicou toda uma cidade, um estado , uma nação inteira. Qual será o futuro de quem ta nascendo hoje?

    . Bota essa cabeça pra funcionar rapaz.

  4. Tarzan
    sexta-feira, 2 de dezembro de 2016 – 9:32 hs

    Dia 4.12.16 esse dia será lembrado mas, vai depender da tua participação nesse manifesto de PAZ. Vamos todos protestar a favor do bem da NOSSA NAÇÃO!
    Os inimigos do Brasil tentarão nos impedir. O povo pede justiça a esses políticos corruptos, mas para isso vamos dar força ao Juiz Sergio Moro e equipe. Nas urnas já demos o recado a esses malandros! Curitiba, CAPITAL DA REPÚBLICA tem que dar exemplo!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*