Quem sobreviverá à delação da Odebrecht? | Fábio Campana

Quem sobreviverá à delação da Odebrecht?

requiao_globo

Quem ouve o senador Requião falar, mesmo dando o desconto de sua natural propensão para a sinistrose, fica com a impressão de que poucos políticos vão se safar da megadelação da Odebrecht. Além de Marcelo Odebrecht, falaram todos os 50 executivos da maior empresa privada do continente. E entregaram tudo e todos que podiam para se safar do pior. A lista de acusados será conhecida ainda em 2016, se a Procuradoria Geral da República, que promete validar as delações até o final deste mês, se dispuser a divulgá-la na íntegra.

Requião tem as suas fontes e convive com o medo cotidiano de seus pares no Senado. Segundo ele, a delação atinge, quase todos os presidenciáveis. Estes seriam apenas os mais graduados de uma lista de cerca de duzentos nomes. É claro que uma parte das acusações ainda não se materializou em provas. Mas como o custo de uma delação falsa é o aumento da pena do delator, alguma credibilidade tem e gera imenso dano moral e político ao acusado. No mínimo, o fim da carreira.

É claro que Requião tem um interesse adicional nessa caça aos corruptos. A esperança de ver prováveis adversários fora de combate, o que facilitaria a disputa de mais um mandato. Na delação há deputados (federais e estaduais), senadores, governadores, prefeitos, vereadores – todo o arco dos que disputam eleições e postulam contribuições. E o próprio Michel Temer foi acusado, esta semana, pela defesa de Dilma Roussef, de ter recebido cheque de R$ 1 milhão para a campanha de 2014. Isso enfraquece, perante o TSE, a tese de que as campanhas não se misturaram. Essa mistura, se comprovada, o afasta inapelavelmente do cargo, lembra Requião. E mesmo não se comprovando, a jurisprudência lhe é desfavorável. Os delitos de campanha têm penalizado a chapa, independentemente de quem seja o infrator.

A Câmara dos Deputados tentou aprovar um projeto salvacionista com punição específica para caixa dois. O truque é que, se aprovada a lei, estariam anistiados os que incidiram até aqui no caixa dois, uma vez que a lei, segundo cláusula pétrea constitucional, não retroage para punir. Só seriam alvos os que voltassem a delinquir. Seria um golpe na Lava Jato, que teria de abandonar investigações nesse quesito, que é dos mais densos até aqui. Não deu certo. A denúncia do golpe correu rápida na internet e impediu a falcatrua.


7 comentários

  1. El Cabrón
    sábado, 12 de novembro de 2016 – 20:09 hs

    A LAVA JATO NÃO TRATA DE CAIXA 2!! TRATA DE ROUBO DO ERÁRIO!!! O DESTINO DO DINHEIRO ROUBADO, SE FOI PARA CAMPANHAS ELEITORAIS OU PARA LOCUPLETAMENTO PESSOAL, É MERO DETALHE!!! MESMO SE APROVADAS ESSAS NORMAS PARA LIVRAR OS POLÍTICOS DA ACUSAÇÃO DE USO DE CAIXA 2, O CRIME DE ROUBO DO ERÁRIO PERSISTE E SERÁ INVESTIGADO, DENUNCIADO E PROCESSADO PELA PF, MPF E JUSTIÇA FEDERAL!!! CAIXA 2 É CRIME ELEITORAL, MAS SUA “LEGALIZAÇÃO” PELO CONGRESSO, NÃO APAGA O CRIME MAIOR, A ORIGEM DO RECURSOS, FRUTO DE ASSALTO AO ERÁRIO!!!

  2. PIXULEQUINHO
    domingo, 13 de novembro de 2016 – 0:34 hs

    . A COBRA VAI FUMAR …

  3. FUI !!!
    domingo, 13 de novembro de 2016 – 5:34 hs

    Quanto ao Requião, deixe falando sozinho. Comeu tanta mamona
    que simplesmente exacerbou a loucura habitual. O que a delação
    da Odebrecht vai trazer à tona é simplesmente a verdade mais es-
    cancarada que todos os políticos mais temem. Que enfiam na jaula
    todos eles e metam fogo.

  4. cllarice
    domingo, 13 de novembro de 2016 – 10:37 hs

    SALVE- SE QUEM PUDER.

    MAS QUEREMOS SABER TIM TIM .

    O BRASIL ESTÁ ´MINGUA.

  5. RR
    domingo, 13 de novembro de 2016 – 13:28 hs

    Esse também deve estar perdendo o sono.

  6. anavaldo Pessanha
    domingo, 13 de novembro de 2016 – 18:25 hs

    Não conheço nenhum projeto importante desse senador. Será que se elege e reelege para o fazer pronunciamentos intrigantes e insignificantes? Senador faça jus ao que vc rebebe dos cofres públicos! !!!!

  7. Freddy Kruger
    quarta-feira, 16 de novembro de 2016 – 12:05 hs

    A Dilma e o Lula, companheiros que ele sempre apoiou, já estão na lista. Requião deve estar preocupado, se existe alguma referência a ele.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*