Em posse, Temer não agradece Calero e diz que Freire 'salvará o país' | Fábio Campana

Em posse, Temer não agradece Calero e diz que Freire ‘salvará o país’

Em cerimônia fechada aos veículos de imprensa, o presidente Michel Temer não agradeceu e não mencionou o nome nesta quarta-feira (23) de Marcelo Calero em evento de posse do novo ministro da Cultura, Roberto Freire.

O ex-titular da pasta pediu demissão na última sexta-feira (18) e acusou] o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, de pressioná-lo a liberar a obra de um empreendimento imobiliário no qual ele tem um apartamento. As informações são da Folha de S. Paulo.

O agradecimento ao trabalho do ministro anterior é comum em cerimônias de posse realizadas pela Presidência da República. No único momento em que se referiu a Calero, Temer o chamou apenas de “outro companheiro”.

Em discurso, a uma plateia sem a presença de nomes de peso da classe artística ou intelectual, o presidente disse que o Ministério da Cultura “ganha muito” com Freire e afirmou que ele “vai salvar o Brasil”.

“Nós temos hoje a absoluta certeza de que o governo federal está ganhando muito. E se o governo federal foi bem até agora, a partir do Roberto Freire vai ganhar céu azul, velocidade de cruzeiro e vai salvar o Brasil”, disse.

O peemedebista disse ainda que, quando assumiu o Palácio do Planalto, Freire era sua primeira opção para a pasta. No entanto, o novo ministro abriu mão do cargo quando ela foi fundida ao Ministério da Educação, o que levou o presidente a escolher o nome de Calero.

Temer chamou de “grita” os protestos à época da classe artística contra o rebaixamento da pasta e disse que, quando decidiu recriá-la, já havia “outro companheiro” para assumi-la. O peemedebista ressaltou ainda que dar posse a Freire é para ele uma “felicidade cívica e pessoal”.

“Houve uma grita natural na área cultural à junção das pastas e acho que nós, alertados, devemos verificar a procedência ou improcedência dessas contestações. Quando são legitimas, você revê o ato e foi isso que fiz. Mas, a essa altura, não foi possível levá-lo, porque já havia outro companheiro na então Secretaria de Cultura”, disse.

Em meio à polêmica, o presidente fechou à imprensa a posse do novo ministro. A prática não é comum no Palácio do Planalto. No governo peemedebista, o único ministro que havia até hoje tomado posse em cerimônia fechada era o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

DIÁLOGO

Em entrevista após a cerimônia de posse, Freire disse que não sabia que o evento seria fechado e afirmou que pretende conversar com Calero para dar continuidade a iniciativas da gestão anterior.

Como seu antecessor, ele criticou a tentativa de se “satanizar” a Lei Rouanet, instrumento de financiamento de atividades culturais por meio de isenção fiscal. O ministro, contudo, ressaltou que pretende retirar no Congresso Nacional projeto que altera a iniciativa para reavaliá-lo.

Freire ressaltou ainda que já conversou com a presidente do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Kátia Bogéa, e que ela será mantida no cargo.

Segundo Calero, Geddel chegou a ameaçar pedir a demissão de Kátia ao presidente Michel Temer caso o parecer técnico do Iphan não fosse alterado. Em entrevista à Folha, contudo, Geddel negou a acusação.


8 comentários

  1. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 23 de novembro de 2016 – 16:49 hs

    Gente honesta não perfila nesse governo corrupto,mas vem ai o boca de porco Freire,um trairão que até comunista fingiu ser.

  2. WYK
    quarta-feira, 23 de novembro de 2016 – 17:16 hs

    Imagina a quantidade de vezes que essas pressões políticas acontecem sobre decisões técnicas.

  3. Plantador de Alface
    quarta-feira, 23 de novembro de 2016 – 17:41 hs

    educação e caldo de galinha não faz mal a ninguem.

    educação não tem classe, credo, cor, enfim, se tem ou não se tem.

    frase do pequeno dracula – …é nóis que manda no pedaço, ta tudo dominado.

  4. marcio ferreira
    quinta-feira, 24 de novembro de 2016 – 9:03 hs

    Freire salvador da pátria, viche, tá feia a coisa!

  5. Indignado 3
    quinta-feira, 24 de novembro de 2016 – 9:11 hs

    A gente honesta do Calça Frouxa, é a QUADRILHA DO P T

  6. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 24 de novembro de 2016 – 12:08 hs

    -Roberto Freire salvará o País?!?!?!? Só pode ser brincadeira…ou tudo esqueceu que ele é comunista até a medula óssea…lembram de quando disputou as eleições presidenciais em 1989 pelo PC do B e recebeu doações em dinheiro da extinta União Soviética????
    -Quem salvará o País não será nenhum político, muito menos demagogo e populista e sim seu próprio povo, nós os brasileiros!!!

  7. odair medeiros
    quinta-feira, 24 de novembro de 2016 – 17:59 hs

    Sabe a diferença entre o Temer (que com papo furado quer ser honestinho) e a Dilma, na área da corrupção? Nenhuma. O baiano canalha Geddel Vieira Lima é conhecido na corrupção desde deputado. Agora é um dos principais ministros do Temer. E o Temer já lhe passou a mão na cabeça, tal qual a Anta Dilma fazia, e o calhorda seguirá no governo., certamente praticando corrupção. Dias passados, O Geddel, recebeu nota de apoio, e os seus 40….(engano) 26 bajuladores, corruptos, ordinários, larápios, o apoiaram na maracutaia do edifício LA VIE e ressalte-se que todos os 26 …. (só lembrar o Ali Babá) são da base do governo Temer. Então, concluí-se que Temer, Renan, Jucá, Collor, Geddel, Eunício de Oliveira, Sarney são todos cachorros que só roubam o Brasil. Até quando isso continuará?

  8. odair medeiros
    quinta-feira, 24 de novembro de 2016 – 18:02 hs

    E o Temer agradeceria um ministro honesto, o Calero, que apontou mais um pilantra em seu governo?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*