Dólar sobe 5% e vai a R$ 3,37 com apostas de alta dos juros nos EUA | Fábio Campana

Dólar sobe 5% e vai a R$ 3,37 com apostas de alta dos juros nos EUA

nova-nota-de-dolar-2

O dólar avança mundialmente nesta quinta-feira (10), com a percepção dos investidores de que os juros americanos subirão de forma mais agressiva. No Brasil, a moeda americana sobe mais de 5%, para o patamar de R$ 3,37.

A moeda americana à vista subia há pouco 5,31%, a R$ 3,3725; o dólar comercial ganhava 4,98%, a R$ 3,3710.

Segundo analistas, o presidente eleito dos EUA, o republicano Donald Trump, deve elevar os gastos públicos para acelerar a economia do país. Desta forma, os juros americanos deverão subir para evitar uma alta forte da inflação com o aquecimento da economia. As informações são da Folha de S. Paulo.

A probabilidade de aumento das taxas pelo Fed (Federal Reserve, o BC dos EUA) subiu para 86%, segundo levantamento da agência Bloomberg, ante 78% há uma semana. Para as próximas oito reuniões do Fed em 2017, as chances de aumento superam 86,6%.

Diante da forte volatilidade do câmbio em função da eleição presidencial americana, desde quarta-feira (9) o Banco Central não realiza leilões de swap cambial reverso. A operação equivale à compra futura da moeda americana, ou seja, retira dólares do mercado.

BOLSA

O Ibovespa abriu em alta, mas inverteu o sinal, pressionado pelos papéis do setor financeiro e da Petrobras. Há pouco, o índice perdia 3,75%, aos 60.887,27 pontos.

Segundo operadores, o índice também é penalizado pelo movimento global de saída de ativos de risco e busca por proteção, em meio ás expectativas de alta mais forte dos juros americanos.

As ações do Bradesco recuavam 8,41% (PN) e 7,55% (ON). O lucro líquido ajustado do banco caiu 1,6% no terceiro trimestre, na comparação com o mesmo período de 2015.

As ações ordinárias do Banco do Brasil caíam 5,79%. O lucro líquido ajustado do banco público caiu 18,9% no terceiro trimestre deste ano na comparação anual, para R$ 2,337 bilhões

Ainda no setor financeiro, Itaú Unibanco PN caía 6,00%; Santander unit, -3,83%; e BM&FBovespa ON, -6,51%.

As ações ordinárias da Petrobras recuavam 5,40% e as preferenciais perdiam 5,26%. A estatal divulga o balanço do terceiro trimestre nesta quinta-feira, após o fechamento do mercado.

Os papéis da Vale ganhavam 5,95% (PNA) e 5,32% (ON), sustentados pela forte alta do minério de ferro na China pela quarta sessão consecutiva. O minério de ferro entregue em Qingdao subiu 4,42%, a US$ 74,12 a tonelada, maior cotação desde novembro de 2014.

Entre as siderúrgicas, Gerdau PN, +6,89%; Metalúrgica Gerdau PN, +3,21%; CSN ON, +4,98%; e Usiminas PNA, + 2,10%.

Ações de exportadoras de papel e celulose se beneficiam da forte desvalorização do real: Suzano PNA avançavam 10,74%; Fibria, +10,41%; e Klabin, +4,41%. (Eulina Oliveira, de São Paulo)


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*