Cuba não comenta Trump, mas anuncia exercícios militares | Fábio Campana

Cuba não comenta Trump, mas anuncia exercícios militares

O governo cubano não comentou nessa quarta-feira (9) a vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, mas anunciou que fará uma semana de exercícios militares em toda a ilha para “enfrentar o inimigo”.

Mesmo não se referindo abertamente à mudança de governo nos Estados Unidos, que pode comprometer o processo de degelo das relações entre as duas nações, o momento no qual a notícia foi divulgada faz com que ela seja indiretamente direcionada a Trump e aos republicanos. As informações são da Agência Brasil.

Segundo o jornal governista Granma, a partir do dia 16 próximo, daqui há exatamente uma semana, as forças armadas cubanas darão início à Operação Bastião 2016, cujo objetivo é verificar “a preparação das tropas e da população civil para enfrentar diversas possíveis ações do inimigo”.

O jornal afirma que essas manobras militares incluirão “movimentos de tropas e de material bélico, voos de aviões da aeronáutica militar e testes de materiais explosivos”.

É a sétima vez que o regime dos irmãos Raul e Fidel Castro anuncia esses exercícios, que acontecem sempre em concomitância com momentos de tensão nos Estados Unidos. A primeira vez que foram organizados foi em 1980, após as eleições do ex-presidente Ronald Reagan.


6 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 10 de novembro de 2016 – 10:45 hs

    Exercícios militares… Rsrsrsrsrs…. Todos na praia fazendo ginástica e polichinelo, sob as ordens do coma-andante e do seu anão de jardim octogenário… essa é a melhor da semana…

  2. Petista Doidão
    quinta-feira, 10 de novembro de 2016 – 10:59 hs

    É isso aí!!! Invadam logo essa josta de EUA!!! Todos os petistas e assemelhados ESTÃO CONVOCADOS para cerrar fileiras no exército dos Castros!!! Que ninguém, em idade de 18 a 60 anos, ouse amarelar, pois será sumariamente expulso da Organização!!!! Eu, já mandei minhas credenciais ao companhero Raúl, pondo-me à disposição!!! Todos convocados à Operação Porcos Gordos!!!

  3. Tarzan
    quinta-feira, 10 de novembro de 2016 – 11:09 hs

    Cubanos peçam ajuda ao governo Venezuelano, a cavalaria da marinha deles é muito bem preparada. Será um excelente reforço! Kkkkkkkkkkk

  4. Igor
    quinta-feira, 10 de novembro de 2016 – 11:30 hs

    DONALD TRUMP NÃO É O FALASTRÃO ILETRADO QUE A IMPRENSA BRASILEIRA PINTOU PARA VOCÊ!
    Do professor e analista político Loryel Rocha:
    “Desde 1987 Trump tem vários livros publicados. O primeiro, “The Art of the Deal”, escrito quando tinha 41 anos (portanto, há mais de 30 anos atrás) explica o poder da psicologia e do embuste. Em Junho, quando se apresentou como candidato às presidenciais americanas, disse: “O que precisamos é de um líder que tenha escrito The Art of The Deal”, frase que passou a adotar em muitas das suas aparições públicas (conforme lembrou o esquerdista Carlos Lozada).
    No “The America We Deserve” (2000) fala da necessidade de o Presidente assumir a condução dos acordos internacionais ao invés de deixá-los nas mãos de burocratas globalistas. Tema este que retorna no “Time To Get Touch”(2011). Temas estes que repetiu ao longo de toda a sua campanha. Para além disto, as análises de Trump sobre os globalistas, os comunistas, o terrorismo e o radicalismo do Islam são, não só pertinentes como assustadoramente corretas. Inclusive, antes do atentado ao WWC, ele havia predito que os EUA estavam correndo esse risco. Em 2011, lançou “Time to Get Tough: Making America #1 Again”, Regnery Publishing, senha da sua campanha.
    Donald Trump tem mais de 20 livros publicados ao longo de mais de 30 anos. Alguém fala disso? O novo Presidente dos EUA é um intelectual de proa, além de um negociador agressivo. E como não sê-lo quando não se faz parte do grupo dos globalistas? E como derrotar globalistas sem ser “agressivo” como ele foi durante toda a sua campanha vitoriosa sob todos os aspectos?
    Nicholas Hagger fala que desde a década de 2000 se sabia que as eleições americanas de 2016 seriam decisivas para os EUA e o esquema globalista internacional. Nos EUA, estudos da época do primeiro governo de Barack Obama já apontavam para uma vitória de Donald Trump no futuro. Até o desenho animado dos Simpsons, de modo jocoso, demonstraram esses estudos.
    Portanto, a vitória de Trump não foi um mero acaso, uma intervenção Divina, um mero surto de conservadorismo do americano. Bilionário e burro são uma conjugação que não combinam. CONHECIMENTO, INTELIGÊNCIA E ESTRATÉGIA são valores que os globalistas cultivam, pois como pensar que jumentos podem ter o projeto de dominar o mundo sem saber como, quando e de que modo fazê-lo? Trump e sua equipe, igualmente, combinam CONHECIMENTO, INTELIGÊNCIA E ESTRATÉGIA, mas, para o lado do BEM, do BOM e do BELO, a trilogia da perfeição do Pensamento judaico-grego-cristão que fundaram e mantém os EUA. Venceram.
    Por tudo isso, comparar qualquer político brasileiro com Donald Trump é sinal de demência e de proselitismos insandecidos.
    A vitoriosa história de sucesso dos EUA explica-se, em parte, pelo apreço e cultivo verdadeiro ao CONHECIMENTO. A ruína do Brasil é o desapreço ao CONHECIMENTO.”

  5. Alessandro
    quinta-feira, 10 de novembro de 2016 – 12:02 hs

    É de rachar de rir.
    “Forças armadas cubanas”. Os soldados que atuarem no exterior vão desertar para ter, pelo menos, duas refeições no dia.
    Isso não é notícia, é tragicomédia.

  6. lika
    quinta-feira, 10 de novembro de 2016 – 18:25 hs

    Com aqueles carrões dos anos 60 com certeza eles resistirão, pois aquilo não entra bala de jeito nenhum, pode entrar agua de chuva se for abundante. com certeza eles resistiram uns 30 minutos de bombardeios de F15 ou sei la o que rsrsrs

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*