Atos "Fora Renan" em Curitiba e mais 13 capitais | Fábio Campana

Atos “Fora Renan” em Curitiba e mais 13 capitais

canalheiros-diante-de-predio-de-renan-em-ato-fora-renan-em-maceio-foto-daniel-araujo

Grupos pró-impeachment protestam neste domingo (20) em todas as regiões do País pela queda do presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) e pela defesa da Operação Lava Jato e das Dez Medidas Anticorrupção. As manifestações do “Fora Renan” serão realizadas em 14 capitais e mais quatro cidades brasileiras.

O ponto central do movimento será na capital alagoana, onde os protestos se concentram no coração da área mais rica de Maceió, na Ponta Verde, onde o boneco ‘Canalheiros’ será erguido diante do prédio onde mora o senador Renan, na região do antigo Alagoinhas. Na capital alagoana, o protesto tem previsão de iniciar às 10h, no horário local. e nas demais cidades os horários variam das 9h às 17h.

O prédio de Renan, localizado no coração do bairro mais nobre de Maceió, já foi alvo de outro ato de repúdio ao senador alagoano, em agosto de 2015, quando manifestantes lavaram com água, sabão e vassouras a calçada do edifício.

Na última sexta-feira (18), o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a autorização do ministro Dias Toffoli para a abertura do 12º inquérito contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em razão de uma movimentação financeira suspeita de R$ 5,7 milhões. Alvo incidental da Operação Lava Jato, Renan divulgou nota com o seguinte teor: “O senador já esclareceu todos os fatos relativos a esta questão e é o maior interessado no esclarecimento definitivo do episódio. Senador lembra ainda que foi o autor do pedido de investigação das falsas denúncias em 2007, há quase dez anos”.

Inimigo nº 1

A líder do movimento Nas Ruas, Carla Zambelli participa da manifestação em Maceió, que também conta com o apoio dos seguintes movimentos: Fora Corruptos, Frente pela Liberdade (FPL), Instituto liberal de Alagoas (ILA), Movimento Brasil (MBR), Instituto Conservador de Alagoas (Ical) e Foro de Maceió, entre outros.

O historiador Marco Antonio Villa também divulgou vídeo em que elege Renan Calheiros como o “Inimigo nº 1 do Brasil”, após Dilma, Lula e Eduardo Cunha. E alertou para os problemas que o presidente do Senado pode causar para o combate à corrupção. “Temos que concentrar fogo na figura de Renan Calheiros. Ele é inimigo do Brasil. Temos que politicamente acabar com Renan Calheiros”, disse Villa, que é comentarista do Jornal da Cultura, da TV Cultura.


4 comentários

  1. Carvalhão
    domingo, 20 de novembro de 2016 – 12:52 hs

    Deixa ele fazer a faxina nos supersalários primeiro !

  2. Palpiteiro
    domingo, 20 de novembro de 2016 – 13:20 hs

    Esses movimentos de rua já encheram o saco da população. Atrás deles não há somente boas intenções. Há também interesses de seus líderes em elegerem-se vereadores, deputados, etc. O povo já está desconfiando disso tudo. Querem trocar as moscas, mas, manter o esterco como está.

  3. marcio ferreira
    segunda-feira, 21 de novembro de 2016 – 8:42 hs

    Fora Temer, mas a Marcela pode ficar.

  4. André Luiz
    sexta-feira, 2 de dezembro de 2016 – 9:07 hs

    Temos o dever é a obrigação como cidadão brasileiro de irmos todos ás ruas pedir a prisão deste indivíduo inimigo do país Renan Calheiros inclusive confisco de bens comprados com o dinheiro público. Faça um grande esforço e vá para o seu bem, o bem dos seus filhos e dos seus netos !.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*