Sobe para 165 escolas ocupadas no Paraná; Justiça nega pedidos de reintegração | Fábio Campana

Sobe para 165 escolas ocupadas no Paraná; Justiça nega pedidos
de reintegração

protestositiocercado

Subiu para 165 o número de escolas ocupadas por alunos no estado do Paraná. De acordo com os manifestantes, entre a manhã de segunda-feira e o começo da tarde desta terça (11) foram pelo menos 100 novas escolas tomadas pelos manifestantes que protestam contra a reforma do ensino médio proposta pelo governo Michel Temer. A Justiça começou a julgar, também nesta terça, os pedidos de reintegração de posse solicitados pelo Governo do Estado e negou três até o início da tarde.

Curitiba agora lidera o número de escolas ocupadas no estado. Segundo o perfil Ocupa Paraná, são 26 instituição com ocupações na cidade. Entre eles, o Colégio Estadual do Paraná segue ocupado desde quinta-feira (4). São José dos Pinhais, na região metropolitana, tem 19 escolas ocupadas. Na cidade, o Padre Arnaldo Jansen iniciou a série de movimentos que já rompeu as divisas estaduais.

A juíza Heloísa da Silva Krol Milak, da 2ª Vara da Fazenda Pública, afirmou que não houve perda de posse no caso dos colégios localizados nos Campos Gerais, já que os manifestantes permitem a entrada de alunos e da comunidade aos locais ocupados. Em nota, a Seed informou que a Procuradoria Geral do estado já entrou com recurso e aguarda decisão.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) solicitou junto à Procuradoria Geral do Estado do Paraná o termo de reintegração de posse das escolas ocupadas por estudantes. Até o momento, a Justiça negou pedidos referentes ao Colégio Estadual Albino Feijó Sanches, em Londrina, e aos colégios Ana Divanir Boratto e Polivalente, em Ponta Grossa. A Seed já entrou com recurso.

O secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná, Wagner Mesquita, disse que, antes de se executar um mandado de reintegração de posse, é preciso encerrar todas as formas de diálogo. “Não vamos fazer execuções pontuais sem diálogo. Vamos trabalhar de forma coordenada e, nesse momento, não vamos partir para o uso da força”, disse.

Medida Provisória

A medida provisória proposta pelo governo federal torna obrigatórias para os três anos do ensino médio apenas as disciplinas de português e matemática. Inglês também será obrigatório, mas não necessariamente para os três anos. Os demais conteúdos serão determinados pela Base Nacional Comum Curricular, que ainda está sendo definida.

Entre os conteúdos que deixam de ser obrigatórios nesta fase de ensino estão artes, educação física, filosofia e sociologia. O conteúdo dessas disciplinas, porém, não será propriamente eliminado, mas o que será ensinado de cada uma delas dependerá do que estiver dentro do conteúdo obrigatório previsto na futura Base Nacional Comum Curricular.

São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), registra o segundo maior número de ocupações, com 19 colégios. Cascavel, com 13 ocupações, Pinhais, com 10, e Londrina, com 9, vêm na sequência.

Novos protestos começaram nesta terça-feira (11) também em Goioerê, Sengés e Balsa Nova, no interior do estado.

Segundo a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), atos ocorrem ainda em Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Brasília, São Paulo, Goiás, Rio Grande do Sul e Pernambuco.

Na noite desta segunda-feira (10), os alunos também se manifestaram contra a PEC 241, aprovada pelo plenário da Câmara dos Deputados, que estabelece um teto para os gastos públicos pelos próximos vinte anos. A matéria ainda vai tramitar no Senado Federal.

Ocupações no Paraná, segundo a Upes

São José dos Pinhais
C.E. Elza Scherner Moro
C.E. Afonso Pena
C.E. Padre Arnaldo Jansen
C.E. Costa Viana
C.E. Silveira da Motta
C.E. Hebert de Souza
C.E. Chico Mendes
C.E. Juscelino K. de Oliveira
C.E. Pe. Antônio Vieira
C.E. São Cristóvão
C.E. Angelina Prado
C.E. Shirley
C.E. Guatupê
C.E. Lindaura Ribeiro
C.E. Estadual Ipê
C.E. Unidade Polo
C.E. Barro Preto
C.E. Zilda Arns
C.E. Tiradentes

Londrina
C.E. Albino Feijó Sanches
C.E. Maria Aguilera
C.E. Vani Ruiz
C.E. Polivalente
C.E. Willie Davids
C.E. Hugo Simas
C.E. Margarida Barros
Colégio de Aplicação da UEL
Instituto de Educação

Curitiba
Colégio Estadual do Paraná
C.E. Algacyr Maeder
C.E. Teobaldo Kletemberg
C.E. Teotônio Vilela
C.E. Ernani Vidal
C.E. Cruzeiro do Sul
C.E. Benedicto J. Cordeiro
C.E. Brasílio de Castro
C.E. Cecilia Meireles
C.E. Guido Arzua
C.E. Pilar Maturana
C.E. Alfredo Parodi
C.E. Flavio F. da Luz
C.E. Rodolfo Zaninelli
C.E. Conselheiro Carrão
C.E. Lysimaco F. da Costa
C.E. Monteiro Lobato
C.E. Tiradentes
C.E. Maria Gai Grendel
C.E. Paulo Leminski
C.E. Getúlio Vargas
C.E. Etelvina Ribas
C.E. Pinheiro do Paraná

Fazenda Rio Grande
C.E. Cunha Pereira
C.E. Anita Cannet
C.E. Lucy Requião
C.E. Jorge Andriguetto
C.E. Abilio Lourenço
C.E. Décio Dossi
C.E. Olindamir Claudino
C.E. Liria Nichele

Pinhais

C.E. Arnaldo Busato
C.E. Tenente Sprenger
C.E. Daniel Rocha
C.E. Castelo Branco
C.E. Amyntas de Barros
C.E. Mathias Jacomel
C.E. Leocádia Ramos
C.E. Ottília Homero
C.E.E.P Newton Maia
C.E. Walde Galvão

Cascavel

C.E. Castelo Branco
C.E. Olinda Truffa
C.E. Wilson Joffre
C.E. Santos Dumont
C.E. Horácio Ribeiro
C.E. Jardim Clarito
C.E. Marcos Shuster
C.E. Itagiba Fortunato
C.E. Jardim Interlagos
C.E. Padre Carmelo
C.E. Eleodoro E. Pereira
C.E. Jardim Santa Felicidade
C.E.E.P Pe. Boaretto Neto

Ponta Grossa

C.E. Ana Divanir Borato
C.E. Polivalente
C.E. Regente Feijó
C.E. Epaminondas Ribas
C.E. Meneleu Torres
C.E. Pietro Martinez
C.E. Elzira de Sá

Maringá

C.E. Brasílio Itibere
C.E. Tânia Varella

Paranaguá

C.E. José Bonifácio
C.E. Alberto Gomes Veiga
C.E. Arthur Miranda Ramos

Pato Branco

C.E. de Pato Branco
C.E. do Campo São Roque
C.E. Agostinho Pereira
C.E. Carlos Gomes
C.E. Cristo Rei
C.E. São João Bosco
C.E. Castro Alves

Toledo

C.E. Novo Horizonte
C.E. Atílio Fontana

Colombo

C.E. Helena Kolody
C.E. Vinicius de Moraes
C.E. Abraham Lincoln
C.E. João Gueno

Matinhos

C.E. Sertãozinho
C.E. Mustafá Salomão
C.E. Gabriel de Lara

Campo Largo

C.E. Macedo Soares
C.E. Albina Muginoski
C.E. Primeiro Centenário

Almirante Tamandaré

C.E. Papa João Paulo I
C.E. Tancredo Neves
C.E. Pedro Piekas
C.E. Edimar Wright

Piraquara

C.E. Rosilda de Souza
C.E. Romário Martins

Balsa Nova

C.E. Juventude de Sto. Antonino

Laranjeiras Do Sul
C.E. Gildo Aluisio Schuck
C.E. Floriano Peixoto

Marechal Cândido Rondon
C.E. Frentino Sackser
C.E. Antonio Ceretta

União da Vitória
C.E. São Cristovão

Mandaguaçu
C.E. Parigot de Souza

Rio Branco do Sul
C.E. Maria da Luz Furquim

Pontal do Paraná
C.E. Paulo Freire

Guaratuba
C.E. Zilda Arns Neumann
C.E. Joaquim Mafra

Ibiporã
C.E. Brasilio de Lucca

Apucarana
C.E. Nilo Cairo
C.E. Godomá de Oliveira

Sengés
C.E. Anita Salmon
C.E. Costa e Silva
C.E. Erasmo Braga

Goioerê
C.E. Polivalente

Guarapuava
C.E. Mahatma Gandhi

C.E. Heitor Rocha Kramer

Mandirituba
C.E. João Afonso de Camargo

Castro
C.E. Antonino e M. Cavanis

Santo Antonio do Sudoeste
C.E. Humberto de Campos
Universidades ocupadas

UNIOESTE – Marechal Rondon
UNIOESTE – Toledo


3 comentários

  1. medonho
    terça-feira, 11 de outubro de 2016 – 16:50 hs

    a IMPORTANCIAdestas ocupações é permitir analisar o atual modelo de educacional….
    Os gastos nesta área serão reduzidos em termos reais, motivando a saida de cerebros de ponta para o exterior.
    Dependendo como está sendo delineado o projeto de educação, poderá também, favorecer o atraso e retrocesso em setores que essencialmente requer boa formação ciencias e tecnologias.
    Quando se diz que educação é igual a investimento no futuro, teremos um futuro nebuloso ou nem teremos futuro.

  2. nassifu
    terça-feira, 11 de outubro de 2016 – 18:51 hs

    Não bastou o indiciamento triplo de Lula, com mais seis outras investigações em curso, na bastou o chute no traseiro que tomou Dilma, não bastou a redução do PT ao status de nanico, como possibilidade de até o fim do ano ser extinto pela lei partidária. Quando você pensa que eles esgotaram seu estoque de arrogância, agora, tal como uma Organização Criminosa, usa estudantes secundários para invadir escolas. Essa história de reintegração de posse é coisa de frouxo. Arrancar esses baderneiros de dentro das escolas é uma tarefa do batalhão de choque da PM.

  3. RR
    quarta-feira, 12 de outubro de 2016 – 13:33 hs

    JUSTIÇA QUE APOIA ATOS DE VANDALISMO,KKKKKKKKK

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*