Que tal a pauleira na tv? | Fábio Campana

Que tal a pauleira na tv?

tv
Esta será, com toda a certeza, uma eleição disputada até o último voto. É também a campanha eleitoral mais agressiva dos últimos tempos. No programa deste sábado chegamos ao ponto máximo do confronto em Curitiba. Os candidatos Rafael Greca (PMN) e Ney Leprevost (PSD), dedicaram todo o tempo a desconstruir o adversário.

As “verdades surpreendentes” sobre o candidato Ney Leprevost (PSD), prometidas há dois dias pela coligação de Rafael Greca (PMN), foram, enfim, “reveladas”. Greca usou todo o tempo para acusar seu adversário e também familiares dele, de envolvimento em episódios obscuros. “Tudo aqui hoje é verdade”, foi como começou o bloco de Greca. Durante os dez minutos, o programa acusou Leprevost de ter autorizado, quando deputado, negócios com um terreno público que havia sido doado a uma organização não-governamental. A campanha diz que um irmão de Leprevost seria beneficiado.

Ney lembrou dos problemas de Greca durante o tempo em que foi ministro de Turismo e Esportes, como a construção da Nau. Também lembrou que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) admitiu, em julho, um recurso especial proposto pelo Ministério Público Federal contra Rafael Greca, em função de exploração ilegal de bingos eletrônicos no Brasil. Também falou do tempo em que Greca ficou lotado no Senado.

A propaganda de Greca também afirmou que o mesmo irmão de Leprevost é um dos envolvidos em um contrato que foi declarado irregular pelo Tribunal de Contas da União. À época, o TCU apurou irregularidades em convênios do Ministério do Turismo com uma ONG paranaense contratada para promover eventos e festas em Curitiba e no interior – o Instituto de Desenvolvimento da Organização Nacional de Excelência Administrativa (Iabras). Esta ONG, conforme a campanha de Greca, tinha ligação com uma empresa do irmão de Leprevost, que, junto com o Iabras, foi condenada a devolver aos cofres públicos R$ 1,75 milhão em 2014.

Além disso, Greca atacou Leprevost por ter em sua chapa o PCdoB, além de voltar a pisotear na formação acadêmica de seu adversário. Ele questiona a trajetória universitária de Leprevost, que se graduou em Administração pela Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) na modalidade de ensino a distância. A instituição foi fechada pelo Ministério da Educação após ter nota 2,49 na avaliação do MEC, numa escala de zero a 100.

Por sua vez, Leprevost também usou parte de seu tempo para atacar seu oponente. O candidato do PSD ressaltou o fracasso de Greca em alguns pleitos eleitorais, como o de 2012, também pela prefeitura de Curitiba.

Ao mesmo tempo, Leprevost aproveitou para desvincular sua campanha de extremos políticos. “Não nomearemos extremistas de qualquer origem”, declarou o candidato. “Na nossa gestão, não haverá obras nem de direita nem de esquerda”, acrescentou.


12 comentários

  1. Palpiteiro
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 0:20 hs

    Esta estória de formar-se em tal ou qual faculdade [e uma imbecilidade bem curitibóca. Já naufragar caravelas e ficar pendurado em sinecuras do senador que ele sempre atacou, isso é deplorável. Além disso, almoçar todos os dias em restaurantes caríssimos, com seus afilhados e pupilos, é muito estranho.

  2. Joao Luiz Pereira Tavares
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 3:53 hs

    De uma coisa sei: a hipocrisia do discurso, da narrativa & do uso das palavras:

    GRECA e o FEDOR:

    É bom ver um político chamado Greca a ponto de ganhar em Curitiba…
    Greca, do Partido PMN, é um antissentimentalista. Não é hipócrita. Não fica se fazendo de vítima, não é BUNDA-MOLE.

    GRECA DISSE QUE QUASE VOMITOU QUANDO COLOCOU UM MENDIGO em seu carro. Um morador de rua… ¿E daí? O que há de mais nesse fato real? Morador de rua ou mendigo não FEDE NÃO???

    O PT de Curitiba está tentando DERRUBÁ-LO no 2º TURNO.

    ESSA fala de GRECA, sobre FEDOR (uma realidade humana, quase palpável), é a medida exata de um cara que não é HIPÓCRITA. Com seu ouvido para o diálogo, seu antissentimentalismo e seu humor sardônico, transformou profundamente a paisagem política de Curitiba.

    Eu disse: HUMOR SARDÔNICO…

    Obs.:
    Qualquer ANIMAL fica dias sem tomar banho e não fede , agora o SER-HUMANO já 1 dia sem tomar banho já fede muito, é um fedor danado. Fato incrustado na realidade.

  3. JÁ ERA...
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 5:51 hs

    Assim caminha a humanidade e assim tambem caminham os polí-
    ticos. Falar bonito em época eleitoral, abraçar os pobres e descami-
    sados na pré campanha, promessas mirabolantes… tudo faz parte
    do jogo sujo. E daí vem a velha pergunta:- existe político ficha lim-
    pa ??? Óbvio que não. E eleitor desmemoriado ??? Quase a totali-
    dade infelizmente…

  4. Parreiras Rodrigues
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 8:27 hs

    A pergunta de hoje: O apoio do Requião, liberando os seus deputados a pedirem votos para o Ney é oportunista, pois acompanha resultado de pesquisas? Para depois, Ney eleito, ele bater papo que derrotou Beto Richa? Vixi…já respondi.

  5. Observador Atento
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 8:55 hs

    Convenhamos, com tantas faculdades e universidades em Curitiba e tendo a familia de Ney Leprevost plenas condições financeiras de pagar uma universidade, ‘formar-se’ em administração através de uma faculdade no Tocantins descredenciada pelo MEC? Certamente não tinha competência para prestar um vestibular. Que formação tem esse candidato para administrar uma cidade como Curitiba? Curitiba não pode ter como prefeito políticos e muito menos sem a formação necessária. De incompetência já basta a administração de Gustavo Fruet.

  6. PIXULEQUINHO
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 9:34 hs

    .
    O PREFEITO JÁ ESTÁ ELEITO: É NEY LEPREVOST.

  7. medonho
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 10:19 hs

    Isto parece juvenis, ou gangues disputando territorio. Claramente falta é PROFISSIONALIZAR e desvencilhar deste amontoado de SIGLAS partidárias que buscam o espólio de campanha para fortalecer suas ambições.
    Estas denúncias entre si se anulam, e quem de fato tem vontade de vomitar somos nós, pobres cidadãos manipulados por interesses voltados para GRUPOS DOMINANTES e seus JOGOS SUJOS para conquistar o PODER.
    A lava jato desvestiu, expôs o lado que nós CURITIBANOS queremos nos ver livre…
    Hoje tenho até medo de conversar com o funcionário público incorporaram este lado dissimulado, todos querem é ferrar o contribuinte.

  8. OTIMISTA
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 10:27 hs

    Ainda bem que esta barbaridade institucional que se chama pro-
    paganda eleitoral “gratuita”, porque se fosse paga ninguem asisti-
    ria; termina esta semana. Ninguem aguenta mais tanta mentira e
    tanto dinheiro gasto para falar da mesmice e mentiras deslavadas
    na maior cara de pau. Muda Brasil !!!!!!!!!!

  9. vilson
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 10:28 hs

    QUAL É O MENOS RUIM?

  10. bagre ensaboado
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 14:52 hs

    Nós contribuintes pagamos com os impostos o tempo de tv e estes bostas só sabem fazer isto.
    Curitiba,Paraná e o Brasil não merecem estes políticos enfadonhos, mesquinhos e incompetentes.
    Cartão vermelho para estes dois.

  11. Agora é Greca
    domingo, 23 de outubro de 2016 – 14:58 hs

    Acho o Rafael Greca mais preparado para ser Prefeito, ainda mais nesse momento, em que a Prefeitura precisa de alguém que conheça os caminhos pra resolver os muitos problemas da cidade.

  12. GILMAR CARDOSO
    segunda-feira, 24 de outubro de 2016 – 10:22 hs

    O candidato Ney Leprevost é arrogante, dissimulado e uma figura apagada na Assembléia Legislativa. Curitiba merece um prefeito e não um aventureiro oportunista. Rafael Greca é a melhor opção.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*