Eleição aberta | Fábio Campana

Eleição aberta

Acreditem. Em Curitiba nada mudou substancialmente desde o início do segundo turno. Com variações mínimas as pesquisas mostram o mesmo. Um terço de Greca, um terço de Ney e um terço da moçada do “não voto” (soma de brancos, nulos e abstenções). É como se o curitibano tivesse desistido do espetáculo e entrado em hibernação durante quatro semanas. Tudo está como no início do mês. A eleição está aberta e qualquer incidente de percurso pode mudar o resultado nas urnas.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*