Brasil faz, nas urnas, sua maior curva à direita | Fábio Campana

Brasil faz, nas urnas, sua maior curva à direita

unnamed

Da votação do dia 2 de outubro emergiu um Brasil à direita – e que impôs ao Partido dos Trabalhadores a maior derrota de sua história. Em sua reportagem de capa, a edição de VEJA desta semana analisa os fatores que contribuíram não apenas para a derrocada petista, mas para que o país saísse destas eleições mais conservador. O fenômeno, que tem na figura de João Doria (PSDB), eleito prefeito em São Paulo no primeiro turno, seu mais bem acabado exemplo não se explica apenas pela força do antipetismo. Soma-se a ela o peso da crise financeira sobre o eleitorado. E o triunfo, ainda lento e gradual, da antipolítica.

Como definiu Mauro Paulino, diretor do Datafolha: “Independentemente de renda ou escolaridade, as pesquisas mostraram que o eleitor buscou um político com perfil de alguém que pudesse pôr sua vida nos trilhos. Por isso, o discurso de gestor do Doria colou tanto”. A direita que saiu vencedora já não é mais a dos antigos coronéis. Do pastor evangélico ao empresário bem sucedido, VEJA elenca os tipos que hoje integram esse grupo político. E analisa o impacto dessa virada nas eleições de 2018 – que dependerá, sobretudo, do comportamento do PSDB, maior vencedor deste pleito. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirma não temer uma disputa com Aécio Neves pela indicação do candidato tucano à Presidência da República. “Prévia ninguém controla”, diz em entrevista a VEJA.


4 comentários

  1. Igor
    sábado, 8 de outubro de 2016 – 13:27 hs

    Depois da “diretas já”, nunca houve de verdade “curva a direita”, tucanos são socialistas fabianos (moderados), estão apenas reocupando espaço deixado pelos socialistas marxistas do PT e Cia, caso contrário os verdadeiros conservadores de direita tais como Jair Bolsonaro fatalmente ocupariam este espaço, pena JB não ter apoio da grande mídia como os fabianos do Dem e do PSDB, senão já era !!!

  2. Gardel
    domingo, 9 de outubro de 2016 – 9:32 hs

    Vamos livrar o Brasil do vermelho.

  3. CARRASCO
    segunda-feira, 10 de outubro de 2016 – 7:03 hs

    Na história da política sempre os grupos políticos navegam de
    acordo com os seus interesses. A curva da direita para a direita pode ser tão intensa que pode chegar à esquerda… Acompanhem.

  4. Jacyr Augusto
    segunda-feira, 10 de outubro de 2016 – 11:18 hs

    Há esperança no João Doria, mas não tem como considerar alkmin e aécio como direita. É mentira. A situação fui muito bem apresentada pelo Sr. Igor.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*