A derrocada do PT | Fábio Campana

A derrocada do PT

unnamed

Editorial, Folha de S. Paulo

Seja devido ao impacto devastador que a Operação Lava Jato tem provocado em figuras proeminentes do petismo —a começar do ex-presidente Lula—, seja por causa do desastroso governo Dilma Rousseff, nada marcou mais as eleições municipais deste ano do que a derrota acachapante do PT.

Partido mais sufragado em 2012, com 17,3 milhões de votos para prefeito, o PT caiu para a quinta posição nesse quesito, com 6,8 milhões, atrás de PSDB, PMDB, PSB e PSD.

Generalizada, a perda de apoio se traduziu em expressiva redução no número de cidades lideradas por petistas. Se a legenda saíra do ciclo de 2012 com 644 prefeituras, atrás apenas de PMDB e PSDB, agora despencou para 256, desempenho pior que o de nove siglas.

Com isso, o eleitorado governado pelo PT na esfera municipal encolheu de 27,6 milhões para 4,4 milhões. Nem se imagine que o segundo turno modificará substancialmente esse quadro. Embora a agremiação esteja em 7 das 55 disputas em aberto, seu candidato mal tem chances na principal, Recife.

Para completar a derrocada, pela primeira vez o partido ficou de fora do segundo turno na eleição paulistana. E mais: com os 16,7% do prefeito Fernando Haddad, o PT teve seu pior resultado ao disputar o comando de São Paulo —até então a marca pertencia a Eduardo Suplicy, com 19,7% em 1985.

Se na maior cidade do país registrou-se o fracasso mais eloquente do PT, aqui também se deu o maior êxito de seu rival. A vitória surpreendente de João Doria Jr, com 53,3% dos votos, simbolizou o sucesso do PSDB na disputa de 2016.

O fortalecimento tucano, contudo, foi muito além do quintal do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sem dúvida o nome que ganhou maior projeção nacional.

Nenhuma legenda conquistou mais votos para prefeito do que o PSDB. Foram 17,6 milhões de sufrágios (ante 13,9 milhões em 2012), com boa margem sobre os 14,9 milhões do segundo colocado nesse quesito, o PMDB (que tivera 16,7 milhões há quatro anos).

O número de municípios comandados pelo PSDB também cresceu, passando de 701 para 793 e podendo chegar a 812.

Embora nesse ponto a liderança do PMDB permaneça inconteste, com 1.029 prefeituras (1.017 em 2012), o partido do presidente Michel Temer pouco aproveitou o vácuo deixado pelo PT. Não apenas isso, a agremiação fracassou em São Paulo e Rio de Janeiro, o que indica os limites do Planalto.

Num cenário de descrédito dos políticos em geral, não surpreendem nem as altas taxas de abstenção verificadas em algumas localidades nem o avanço das siglas nanicas. Pelo que o desfecho das disputas municipais projeta para 2018, quase todos os partidos tradicionais têm bons motivos para rever práticas e costumes.

Nenhum, porém, tem mais motivos do que o PT, justamente aquele que mais se recusa a fazer verdadeira autocrítica —e aquele que, como mostrou a população, mais continuará definhando se não mudar.


6 comentários

  1. Jorge
    terça-feira, 4 de outubro de 2016 – 21:26 hs

    Mais do que a lava jato, foi a recessão causada pela política econômica demagógica e irresponsável. A maior recessão e maior geração de desempregados da história, somada ao maior escândalo de corrupção do mundo, Até que o PT teve muitos votos depois dos seus feitos.

  2. Helena
    terça-feira, 4 de outubro de 2016 – 22:58 hs

    E agora PT? Foi golpe dos eleitores? Gritem que todos são golpistas!

  3. SÍTIO DOS PEDALINHOS
    terça-feira, 4 de outubro de 2016 – 23:06 hs

    PARA TUDO

    TEM MAIS O QUE DEFINHAR?

    PERGUNTE NA RUA: QUEM É O MAIOR LADRAO DO BRASIL?

    QUAL PARTIDO É UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA CORRUPTA?

    AÍ VOCÊ VERÁ QUE NÃO TEM MAIS NADA PEA DEFINHAR. O PT É UM CADÁVER EM PROCESSO DE SEPULTAMENTO.

  4. A CULPA E DO FHC
    quarta-feira, 5 de outubro de 2016 – 8:32 hs

    O PT E O RETRATO PERFEITO DO DITO ITALIANO: “POR FORA BELA VIOLA, POR DENTRO PÃO BOLORENTO”.

    ESSA PODRIDÃO NÃO PODE SER MAIS ESCONDIDA, NÃO HAVIA MAIS COMO CAMUFLAR OS DESMANDOS O ACUMULO ILIMITADO DE RIQUEZA PELOS SEUS INTEGRANTES.

    OS SINAIS EVIDENTES DE RIQUEZA SEM LASTRO, A OSTENTAÇÃO, A ARROGÂNCIA COM QUE OS INTEGRANTES DO PARTIDO DOS TRABALHADORES SE PORTAVAM ERA MAIS DO QUE PREVISÍVEL QUE UMA HORA OU OUTRA A CASA IA CAIR, COMO CAIU!!

    ACHO QUE DEMOROU MUITO ATÉ! SE NÃO FOSSE O SERGIO MORO E PASMEM O EDUARDO CUNHA ESSE PESSOAS ESTARIA AINDA RINDO DA CARA DOS BRASILEIROS, GASTANDO HORRORES EM VINHOS CARÍSSIMOS, FESTAS NABABESCAS, CAMPANHAS MILIONÁRIAS POR TODO O PAÍS.

    CHEGA UM MOMENTO DA VIDA QUE ATÉ MESMO A “SORTE ABANDONA” RSRSRSR

    QUERO VER O PT RESSURGIR!! AGORA SEM DINHEIRO, SEM O MONOPÓLIO DA VERDADE, SEM O APOIO DA IGREJA CATÓLICA, SEM O APOIO DE SETORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO!

    AO QUE PERCEBE ESTÃO TODOS SE MAQUIANDO, TRANSFORMANDO, MUDANDO A “FACE” PARA INGRESSAR NO PSOL.
    QUEM VIVER VERÁ

  5. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 5 de outubro de 2016 – 10:39 hs

    Difícil saber quem é o mais safado no partido. Mas, de longe, o mais esperto é sem dúvida Palocci. Ou ele é testa de ferro de outros malacos, ou sozinho amealhou 348 milhões de dólares que estariam depositado em conta nos EUA. Realmente, é de tirar o chapéu a safardanagem deste vagabundo de envergadura internacional, que foi ministro da fazenda. O Brasil é uma tragicomédia circense e nós somos os palhaços.

  6. JÁ ERA...
    quinta-feira, 6 de outubro de 2016 – 7:50 hs

    A nossa esperança hoje é o PT sumir do mapa e o número abusi-
    vo de partidos ir para zero. Sim, zero porque nenhum partido político
    tem moral para continuar existindo !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*