Professores cobram promessas de Fruet | Fábio Campana

Professores cobram promessas de Fruet

fruet-greve

O Sismuc, sindicato que representa a categoria dos servidores municipais de Curitiba, está denunciando que o prefeito Gustavo Fruet (PDT) ainda não cumpriu o acordo feito com os professores após duas greves, uma em 2013 e outra em 2014. Segundo o Sismuc, depois das paralisações educadores conquistaram a aposentadoria especial após 25 anos de atuação em sala de aula, a consulta pública nos Cmei e o plano de carreira, mas apenas este já saiu do papel para ser implementado pela Prefeitura. As informações são do Jornal do Ônibus.

Agora, o Sismuc tem questionado a Prefeitura não apenas a respeito da concretização de todas as conquistas, mas também sobre o desconto em holerite de quatro dias de trabalho dos servidores envolvidos na mobilização. Além do prejuízo financeiro à categoria, o desconto expressa o desrespeito de Fruet frente ao direito à greve e à organização dos trabalhadores. Como justificativa pelo abatimento, a gestão explica que “o movimento foi judicializado, razão pela qual tais dias de ausência ao trabalho foram lançados como falta”.

Aposentadoria especial

Desde dezembro de 2015, cerca de 300 servidores da categoria aguardam a definição relativa à aposentadoria especial para encerrarem suas atividades, segundo o que já é previsto em lei para educadores do magistério. A conquista prevê o direito de se aposentar a todos os professores da Educação infantil que tenham completado 25 anos de atuação em sala de aula. “Temos muitos servidores já em condições de se aposentar, mas a Prefeitura afirma que os processos serão encaminhados ao Tribunal de Contas do Paraná apenas a partir deste mês”, explica a coordenadora do Sismuc Maria Aparecida Santos.


6 comentários

  1. Fiora Neto
    segunda-feira, 5 de setembro de 2016 – 11:08 hs

    O prefeito Fruet é um lixo…

  2. bel soares
    segunda-feira, 5 de setembro de 2016 – 11:13 hs

    a incompetência priva as pessoas da capacidade de reconhecer sua própria incompetência. Ou seja: as pessoas burras são burras demais para saber que são burras.

  3. BETO
    segunda-feira, 5 de setembro de 2016 – 13:21 hs

    ESCÓRIA. Senhores, Fruet leva gravado na testa o número da besta (13). Aqui se planta e aqui mesmo se faz a colheita e no seu caso será uma colheita “maldita”.

  4. eleitor desmemoriado.
    segunda-feira, 5 de setembro de 2016 – 15:45 hs

    Este palerma é maluco, descontar professor ou qualquer outro servidor público em ano de eleição é suicídio. E a mulher deste palerma deixou que ele desse este tremendo tiro no pé?

  5. Bia
    segunda-feira, 5 de setembro de 2016 – 16:14 hs

    No quadro está escrito : ” QUEM NÃO LUTA PELO O QUE QUER …” O certo é “quem não luta PELO que quer, porque POR + O = PELO. São professores …?

  6. ricardo crovador
    segunda-feira, 5 de setembro de 2016 – 16:37 hs

    Pura maledicência. Os professores estão quase na totalidade com o Fruet e o SISMUC sabe muito bem disso, mas tem que obedecer seus patrões da CUT que foram escorraçados pela administração. A verdade é que o prefeito Fruet, aliás, qualquer prefeito, não pode interferir quando a questão vai para a justiça. É preciso esperar o veredito. E a culpa é de quem? Da inábil e fanfarrona diretoria do SISMUC, que foi quem colocou na justiça o caso, mesmo estando todas as negociações abertas. Isso é fato e todos os professores sabem disso.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*