Lava Jato é exibicionista, vocifera Renan | Fábio Campana

Lava Jato é exibicionista, vocifera Renan

renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tornou a fazer críticas ao que entende como “excessos” da operação Lava Jato. O senador acusou a Força Tarefa da investigação de “exibicionismo” e citou como exemplo a coletiva do procurador Deltan Dellagnol que centralizou o esquema de corrupção no ex-presidente Lula.

“A Lava Jato precisa acabar com esse exibicionismo, como vimos agora no episódio do ex-presidente Lula e em outros. Isso, ao invés de dar prestígio, retira prestígio do Ministério Público e obriga o Congresso Nacional a pensar numa legislação que proteja garantias individuais e coletivas”, disse o presidente do Senado.

No Congresso tramitam diferentes propostas relacionadas a investigações, como revisão da lei de delações e a nova lei de abuso de autoridade. Renan não chegou a citar nenhum projeto em específico para dar encaminhamento, mas prosseguiu com as críticas à Lava Jato e falou em “mobilização política”.

“É preciso de uma vez por todas investigar e fazer denúncias que tenham começo, meio e fim, que sejam consistentes e não fazer denúncias por mobilização política, porque com isso o País perde e as instituições perdem também”, afirmou.

Anistia Caixa Dois. Renan Calheiros negou ter participado de qualquer articulação para a votação do projeto que anistia o caixa dois, emenda à uma proposta de 2007 que foi colocada em votação nessa segunda-feira, 19, na Câmara dos Deputados.

“Eu não fui informado do teor do que conteria essa proposta, sinceramente. Eu não sei de nada, o que se pretende, qual é o texto, se é eficaz, em que momento vai votar. Isso não chegou ainda ao Senado Federal”, afirmou Renan.

Mais cedo, deputados disseram que senadores participaram dos acordos para tentar votar o projeto na noite de ontem na Câmara. De acordo com fontes, Renan teria participado da articulação e, por essa razão, não abriu a sessão do Congresso Nacional, marcada para às 19h.

O peemedebista negou e disse que chegou, inclusive, a ir ao plenário da Câmara e apenas não abriu a sessão do Congresso porque os deputados ainda estavam trabalhando.

Reforma política. O presidente do Senado reafirmou sua intenção de votar a PEC 36/2016, que pode diminuir a quantidade de partidos com representação no Congresso, no intervalo entre o primeiro e o segundo turno das eleições municipais, em outubro.

Nessa terça-feira, 20, o plenário completou a quarta das cinco sessões de discussão da PEC, para que ela possa ser votada em primeiro turno. De acordo com Renan, o regimento permite que a última sessão de discussão seja realizada no mesmo dia da votação.


12 comentários

  1. Helena
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 19:26 hs

    Depois da articulação deste Senhor e os demais dono do poder na armação do julgamento do impeachment da Dilma rasgando a CF, pode-se esperar tudo desse pessoal, legislativo e executivo, tudo pode acontecer. Alguém disse certa vez que na política até cobra voa…

  2. Helena
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 19:31 hs

    Jamais vi um politico com tamanha capacidade de articular e envolver todos para salvar a si e os demais companheiros de safadeza. Por isso critica e odeia tanto a Lava Jato. A Lava Jato não é do Sérgio Moro, é de toda a sociedade brasileira. é sua única esperança de justiça neste País comandado pelos corruptos e ladrões.

  3. QUESTIONADOR
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 19:33 hs

    A manobra da desqualificada classe política, que nunca aprova medidas contra seus próprios interesses, apenas confirma o quanto será difícil promover mudanças efetivas na máquina estatal brasileira, pela via meramente legislativa. Também fica claro que não adianta editar novas leis cheias de brechas para não serem efetivamente cumpridas. O problema da impunidade brasileira é agravado pelo regramento excessivo, com ajuda a cultura do “jeitinho”, que alterna rigor seletivo contra uns com perdão providencial para outros. O poderio político e a criatividade de caríssimos advogados ditam as regras, no final das contas.

  4. Brasileiro Indignado
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 20:09 hs

    Vergonha esse coronel das alagoas, ladão mor do povo brasileiro, que país é esse meu DEUS.

  5. agricultor
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 20:26 hs

    Este pilantra vem preparando , juntamente com outros da sua laia, um plano de escape.Pelo andar da carruagem a casa vai cair.

  6. Juca
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 20:41 hs

    O distinto pode falar o que quiser pois vai cair nas mãos do STF que pressionado pela opinião pública saberá dar o castigo que ele merece. Escapou do processo pela pensão que sustentava a amante com o dinheiro alheio. Mas agora a situação é outra.

  7. imauricioprofeta
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 22:34 hs

    Este pilantra deveria estar cassado há muito tempo,a culpa é exclusiva do povinho que elegeu este malaco para Senador da República.Que país é este. País do Ali-Babá e os quarentas Ladrões da nação.

  8. BinLaden
    terça-feira, 20 de setembro de 2016 – 22:58 hs

    Tem rabo ?
    Tá com medinho é ?

  9. FCarraro
    quarta-feira, 21 de setembro de 2016 – 8:55 hs

    Renan ao afirmar que “o MPF obriga o Congresso Nacional a pensar numa legislação que proteja garantias individuais e coletivas”, na verdade quer dizer: “obriga o Congresso Nacional a encontrar uma fórmula para proteger pilantras, corruptos e ladrões”. Como tentaram fazer na calada da noite ainda nesta semana procurando aprovar “anistia retroativa aos fichas sujas”…

  10. iri
    quarta-feira, 21 de setembro de 2016 – 9:43 hs

    Esse é mais um escudeiro do Lulático que quando for investigado vai aparecer coisas que até Deus duvida, já foi provado sua participação em alguns desvios , e ainda se dão ao luxo de ficar latindo aos quatro cantos do país como se o povo de bem, fosse cego,mudo e surdo, tamanha convicção de sua falsa inocência.

  11. ciro
    quarta-feira, 21 de setembro de 2016 – 10:16 hs

    Sinais de fumaça próximo ao rabo do Renan

  12. SOLANGE LOPÉS
    quarta-feira, 21 de setembro de 2016 – 13:49 hs

    Eu não sei de nada. Este é o hino dos corruptos pegos com a boca na botija.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*