Galdino vai protocolar denúncia no MP contra Carla Pimentel | Fábio Campana

Galdino vai protocolar denúncia no MP contra Carla Pimentel

O jornalista Fernando Tupan informa que o vereador Professor Galdino (PSDB) vai protocolar no Ministério Público do Paraná denúncia contra Carla Pimentel (PSC) por falsa comunicação de crime. De acordo Tupan, Galdino usará um vídeo que supostamente mostra uma armação da vereadora e que minutos antes de fazer a denúncia ela estaria tranquila “sem apresentar sinal nenhum de consternação”, diz o jornalista. E continua, “Carla só se transformou depois que sentou na bancada para fazer a falsa acusação”.

Isso pode levar Carla Pimentel a responder um inquérito para saber os reais motivos que a levaram a faltar com a verdade, caso tenha feito.

Veja o vídeo:


11 comentários

  1. Nicheli
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 18:12 hs

    A pergunta é: Aonde estava a Procuradoria da Câmara na hora que a Polícia Municipal veio prender o Galdino? Ato arbitrário e ilegal contra um vereador, serve pra que os procuradores? O ato foi absurdamente fora da lei, ele foi conduzido na marra, com truculência para delegacia por uma polícia ilegítima para isso! Pelo visto ele não tem nenhum advogado assessorando ele no gabinete, não deveria sequer ter entrado na viatura! Foi um vexame e uma escancarada demonstração de incompetência da procuradoria da Câmara e dos assessores do gabinete!

  2. FALA SÉRIO
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 18:23 hs

    Quebrou o talo! kkkk

  3. FALA SÉRIO
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 18:25 hs

    Pergunta que não que calar… Se a nobre vereadora estava acompanhada de mais dois colegas de partido, porque estes não à defenderam no momento da “agressão”? heim?

  4. Emerson
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 18:58 hs

    Tive a paciência de ver o vídeo, curioso que sou.

    1) Um vereador com uma latinha na mão saiu da sala e foi falar com uma vereadora sentada ao lado direito e claramente gesticulou conforme o que a vereadora afirmou.

    2) Me parece absolutamente normal ir reclamar com o Presidente da Câmara, maior autoridade e representante do colegiado.

    3) Não agir histericamente não quer dizer nada além de educação.

  5. Evangélica?
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 19:42 hs

    Essa moça tem problemas emocionais.
    Já criou problemas com o Pastor Takayama e até com Marcos Feliciano.
    O Ministério Público tem que investigar tudo isso realmente. As imagens dão a impressão de tudo foi coisa armada.
    Mas será que a neta do Pastor Pimentel, que o Pastor Ailton Araujo, que o vereador do apóstolo Waldomiro Tiago Gevert estão de conluio para uma armação trouxa dessas?

  6. Sandra Coutinho
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 19:46 hs

    A verdade superará a mentira e o professor Galdino provará e colocará estes bandidos “travestidos de bonzinhos” atrás das grades.
    Esperamos que a máscara da bandida caia antes das eleições em do dia 2. porém até lá terá comprometido o processo e enganará os evangélicos.

  7. FCarraro
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 22:39 hs

    Por favor, alguém acredita nesse roteiro???? Acho que os vereadores não são tão idiotas assim e conhecem a “peça”.

  8. Renato Britto Barros
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 23:06 hs

    Carla Pimentel antes de ser vereadora era conhecida na sua igreja como Maria Madalena.

  9. victor Bairro alto
    sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 23:06 hs

    Esta certo tem que processar sim,não sou fã nem nunca votei nesse vereador,mas esta claro que cheira armação,que triste ver as pessoas querer se promoverem em cima de outras.

  10. Observador
    sábado, 17 de setembro de 2016 – 11:10 hs

    Neste episódio, testemunhado por muitos, o vereador Galdino se parece muito com o ex-presidente Lula. Numa crise de imbecilidade,ele inventa situações risíveis, nas quais passa a acreditar,mesmo contra as testemunhas que para ele todas estão do outro lado querendo prejudicá-lo. A bem da verdade, o corporativismo instalado na Câmara está permitindo que a imagem do legislativo como um todo seja manchada. Neste instante, é preciso destacar a decisão do ex-vereador pastor que ao se ver sem saída diante de um fato que ele criou, renunciou e botou um ponto final numa situação insustentável. Já o Galdino, travestido de professor, mais para um demente do que para um educador, com ajuda de terceiros interessados somente em $ e não na verdade ética, sobrevive numa Casa de Leis onde há muito tempo não devia estar mais. O último capítulo da tragicômica vida de Galdino hoje, felizmente, está nas mãos de vereadores íntegros que fazem parte da Comissão de Ética e que, em nome da verdade, certamente mostrarão a porta da saída daquela casa ao simulacro de professor e vereador.

  11. renato crovador
    sábado, 17 de setembro de 2016 – 22:27 hs

    Vi todo o vídeo. Achar que isso aí vai livrar a barra do cara é desespero de causa, estilo dizer “é golpe!” quando pego roubando ou chorar quando é denunciado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*