Ministério da Saúde exonera 73 funcionários de cargos em comissão | Fábio Campana

Ministério da Saúde exonera 73 funcionários de cargos em comissão

índice

O Ministério da Saúde publicou no “Diário Oficial da União” desta quarta-feira (28) as exonerações de 73 funcionários que ocupavam cargos em comissão (aqueles que não são preenchidos por concurso público). Segundo o ministro Ricardo Barros, as exonerações atendem a uma determinação do governo do presidente em exercício Michel Temer de cortar gastos com cargos em comissão nos ministérios. As informações são do G1.

Ainda segundo ministro, os cargos vagos serão ocupados interinamente por servidores de carreira do ministério. Entre os exonerados estavam funcionários que exerciam cargos de coordenação, assessoria técnica e gerentes de projeto.

Segundo Barros, a Saúde exonerou funcionários além da determinação do Planalto porque identificou um “aparelhamento” da pasta. Ele participou de uma entrevista coletiva na qual a pasta anunciou compra de medicamentos para a hepatite C.

“Houve uma orientação do Palácio do Planalto para que fizéssemos as exonerações em todos so ministérios, estamos cumprindo “, disse o ministro. “O Ministério da Saúde cortou muito além dos 190 que foram solicitados pelo Palácio. Eliminamos em cargos comissionados 315, muito além da meta estabelecida pelo Palácio, porque há sim um aparalhamento do Estado brasileiro que precisa ser desfeito. Nós precisamos enxugar a máquina e trabalhar com as pessoas necessárias para um bom funcionamento da instituição”, completou Barros.

(Foto: Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados)


3 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 28 de julho de 2016 – 14:48 hs

    Grande coisa. Vai nomear outros 73 no lugar.

  2. Kafir
    quinta-feira, 28 de julho de 2016 – 18:24 hs

    Vê-se que o RB já assimilou o estilo mole do presidento, porque esperar tanto tempo assim para por na rua estes pestistas? Estava com pena desta caterva? Aposto que entre estas dezenas de hoje desempregados tem gente que até se esqueceu de onde trabalhava antes.

  3. Angelo Antonio
    quinta-feira, 28 de julho de 2016 – 21:34 hs

    Isso aí! Exemplo a ser seguido. Deve-se extinguir órgãos públicos sem função, só cabide de pessoas que não trabalham e são sustentados com $$$$público

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*