Reino Unido deixa União Europeia e Cameron renuncia | Fábio Campana

Reino Unido deixa União Europeia e Cameron renuncia

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou nesta sexta-feira que deixará o cargo após o referendo popular decidir que o Reino Unido deve sair da União Europeia (UE). O premier afirmou que o país precisa de um novo líder para comandar as negociações de saída do bloco. A escolha do novo líder britânico só deve acontecer em outubro, quando o Partido Conservador vai se reunir para apontar um novo comandante. Estimando uma “década de incertezas” para a economia, o governo britânico acredita que o processo para negociar a saída da UE, os futuros acordos com o bloco e os acordos comerciais com países fora da UE deverá ser concluído no fim de 2019.

Após a divulgação do resultado do referendo, a libra caiu ao nível mais baixo frente ao dólar desde 1985, chegando a US$ 1,329 – recuo de 12%. Quando a votação foi encerrada, às 18h (horário local, 22h em Brasília), a moeda britância era cotada a US$ 1,501 no fechamento das urnas do referendo sobre a permanência do Reino Unido na UE. A saída britânica da UE derrubou os mercados globais.

Após 43 anos de uma parceria que definiu os rumos da Europa no pós-guerra, o Reino Unido decidiu na quinta-feira retirar-se da UE. Por 52% dos votos a 48%, a maioria dos britânicos optou pelo chamado Brexit, a saída do bloco, em uma votação apertada, na qual as duas opções do referendo se alternaram diversas vezes na liderança. O resultado foi na contramão das últimas pesquisas de intenção de voto, que indicavam vitória da permanência do páis no bloco.

— Eu não penso que seria correto tentar ser o capitão que orienta nosso país até seu próximo destino. Os britânicos votaram pela saída e sua vontade deve ser respeitada. A vontada dos britânicos deve ser seguida — disse Cameron na residência oficial de Downing Street, em Londres. — A negociação deve começar com um novo premier. Eu amo esse país e me sinto honrado de ter servido a ele. Agora que a decisão foi feita, precisamos encontrar o melhor caminho. Farei o que for preciso para ajudar — acrescentou.

Cameron afirmou que o próximo primeiro-ministro deverá decidir se ativará o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que estabelece o processo sobre a retirada de um Estado-membro da UE.

— Agora que a decisão de sair foi tomada, precisamos encontrar a melhor maneira (para a retirada) — disse Cameron, informando que o governo vai se reunir na próxima segunda-feira para debater o resultado das urnas.

Logo após a divulgação do resultado da consulta popular, foi aberta uma petição on-line para que seja realizado um novo referendo. Em poucas horas, o documento já alcançou as 100 mil assinaturas para que seja apreciado pelo Parlamento.

FUTURO INCERTO

Segundo a casa de apostas Ladbrokes, Boris Johnson, o ex-prefeito de Londres, é o favorito para suceder Cameron como primeiro-ministro. Líder da campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia (UE), ele voltou a dizer nesta sexta-feira que é hora de retomar o controle do país e que o Reino Unido continuará sendo uma grande potência no continente e um parceiro da União Europeia.

— (O referendo) Era sobre o direito das pessoas de elegerem pessoas que tomam decisões importantes em suas vidas — afirmou Johnson em entrevista coletiva. — Eles decidiram votar para retomar o controle.

Johnson homenageou Cameron, a quem chamou de um “homem corajoso e de princípios” e elogiou o seu “conservadorismo compassivo”. Ele também agradeceu a Cameron pela realização do referendo.


3 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 24 de junho de 2016 – 11:59 hs

    O excesso de regulações na UE (como por exemplo: numa caixa de salmão é obrigatório dizer que contém peixe; as seitas anti-transgênicos, etc), a onda migratória incontrolável e o desemprego foram algumas das grandes causas do fracasso europeu. A Europa se dedica à discussões do sexo dos anjos, como a neutralidade de gênero para a educação infantil e outras idiotices regulatórias, que vem sendo exportadas para países botocudos, como Brasil.

  2. QUESTIONADOR
    sexta-feira, 24 de junho de 2016 – 12:31 hs

    -A União Européia poderá sofrer mais deserções!!!
    -A saída da Inglaterra da UE não será um fim do mundo, como todos pensam. Até demorou demais para a Inglaterra sair. Alguem acha que a Rainha iria acatar decisões tomadas de portas fechadas em Bruxelas, sobre como a Inglaterra deveria se portar dentro do bloco. A decisão dos ingleses foi soberana e os políticos e tecnocratas devem se submeter à decisão popular. Democracia é isto!!!
    -Em termos econômicos apenas a Inglaterra e Alemanha tem economias vistosos e grande participação dentro da UE. Acho que os ingleses cansaram de trabalhar para manter um bloco em que outros países como Itália, Espanha, Grécia e até a França cometem irresponsabilidades fiscais.
    -Anotem aí que o próximo a deixar o bloco será a Alemanha. Primeira cairá a socialista Angela Merkel!!!
    -Em analogia, o Mercosul é um péssimo negócio para o Brasil.

  3. Carlos Bahia
    sexta-feira, 24 de junho de 2016 – 13:40 hs

    A próxima a deixar o bloco será a Alemanha, poderá desencadear uma suessão de novas saídas. Provavelmente serão formados pequenos blocos de países com economias mais estáveis.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*